Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Centro Nacional de Cultura diz que falta muito trabalho nos caminhos de Fátima

O presidente do Centro Nacional de Cultura (CNC), Guilherme d’Oliveira Martins, disse hoje que há muito a fazer nos caminhos de peregrinação ao santuário mariano de Fátima, apesar do trabalho realizado nos últimos 15 anos.

- Publicidade -

“Fátima é hoje uma referência extremamente importante, não apenas de cariz religioso, mas também nos caminhos de peregrinação. O CNC foi pioneiro em reconhecer a sua importância e a simultaneamente garantir, não apenas as referências culturais e religiosas, mas também a assegurar a marcação e escolha dos melhores trajetos”, sublinhou o jurista e professor universitário.

Salientando que ainda há muito a fazer nesta área, Oliveira Martins realçou que o CNC tem equipas de voluntários que têm trabalhado nos últimos 15 anos na marcação e escolha dos melhores trajetos, “até para garantir a segurança indispensável” aos peregrinos.

- Publicidade -

Segundo Oliveira Martins, ex-presidente do Tribunal de Contas, esse trabalho tem sido feito também em conjunto com os municípios atravessados pelos caminhos de peregrinação, através de protocolos de colaboração.

O presidente do CNC disse ainda que, ao nível do turismo em Portugal, um dos destinos mais procurados são os caminhos de peregrinação, embora neste campo inclua também os caminhos de Santiago, que têm trazido ao território nacional “milhões de peregrinos de todo o mundo”.

Sobre as comemorações do centenário das aparições de Fátima, que se assinalam em 2017, referiu que o CNC, em colaboração com o município de Ourém, as universidades e investigadores, pretende dar “com rigor e pluralismo uma visão aberta e moderna relativamente aos acontecimentos que rodearam as aparições” e a sua importância na atualidade.

Na terça-feira à noite, em Fátima, Oliveira Martins foi um dos dois oradores do primeiro de um ciclo de jantares-conferência subordinados ao tema “Portugal 1917 – Estado, Sociedade – Razão e Fé”, que vão decorrer ao longo de 2016 e 2017, juntamente com o presidente do município de Ourém, Paulo Fonseca.

 

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here