- Publicidade -
Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Celtejo reclama 250 mil euros a Arlindo Marques, o ambientalista que denuncia casos de poluição

A empresa Celtejo instaurou um processo ao ambientalista Arlindo Marques, do movimento proTEJO, por este associar os episódios de poluição no Tejo à empresa, reclamando esta o pagamento de 250 mil euros por danos atentatórios do seu bom nome.

- Publicidade -

Em causa, segundo se pode ler no processo que a Celtejo – Empresa Celulose do Tejo, SA, instalada em Vila Velha de Rodão, Castelo Branco, instaurou a Arlindo Marques, guarda prisional de profissão e conhecido no distrito de Santarém como o “guardião do Tejo”, estão “afirmações que têm por objetivo gerar na opinião pública a ideia de que a autora [do processo] é responsável, ou co-responsável, pela alegada poluição do rio Tejo”.

O documento, entregue no Tribunal Judicial de Santarém e ao qual a agência Lusa teve acesso, tem a data de 12 de dezembro de 2017 e reclama do réu 250 mil euros acrescidos de juros de mora até integral pagamento para “compensar a autora pelos danos sofridos por causa da ofensa cometida”.

- Publicidade -

Celtejo reclama 250 mil euros de ambientalista que denuncia casos de poluição

O processo, com 90 páginas, é sustentado com imagens publicadas nas redes sociais e cópias de notícias de vários órgãos de comunicação social com denúncias e entrevistas do ambientalista que a Celtejo considera difamatórias.

“Ao longo dos últimos meses, o réu tem vindo a proferir, de forma reiterada e através de meios e plataformas que facilitam a sua divulgação, afirmações que atentam contra o bom nome, a credibilidade e o prestígio da autora”, pode ler-se na acusação.

Tendo por objeto social a produção e comercialização de pastas celulósicas e seus derivados ou afins, a Celtejo afirma “orientar a sua atividade económica por critérios de sustentabilidade e preservação ambiental, bem como pela rigorosa certificação de qualidade”.

A Lusa tentou contactar a Celtejo, sem sucesso. Arlindo Marques tem 30 dias para se defender.

Contactado pela Lusa, o ambientalista disse estar “triste e indignado com este processo”, tendo afirmado que o mesmo “pretende silenciar vozes incómodas num caso de autêntico terrorismo psicológico”.

Segundo Arlindo Marques, “os casos de denúncia de situações de poluição têm aumentado de visibilidade graças ao trabalho de cidadania dos populares e do movimento proTEJO”, tendo afirmado que “toda a gente vê, toda a gente sabe, que a poluição vem de lá”, referindo-se a Vila Velha de Rodão.

“Para montante de Vila Velha de Rodão já não há aquela poluição, nada disto se passa, pelo que acho que é lamentável virem querer atacar um simples cidadão que está no exercício dos seus deveres e obrigações de cidadania. Não estou arrependido e vou continuar a denunciar estes casos de poluição, enquanto eles existirem”, afirmou, tendo manifestado a “esperança de ainda ver o rio correr limpo”.

“Vou defender-me, conto com o apoio de muita gente que está revoltada com este processo e acho que esta indemnização que me estão a pedir deviam ser eles a pagar. Não a mim, mas aos pescadores, que ficaram privados do seu ganha-pão, e por todos os prejuízos que têm causado em termos ambientais”, concluiu.

Segundo Arlindo Marques, “os casos de denúncia de situações de poluição têm aumentado de visibilidade graças ao trabalho de cidadania dos populares e do movimento proTEJO”

Os primeiros apoios a Arlindo Marques chegaram através do porta-voz do Movimento pelo Tejo – proTEJO, tendo Paulo Constantino afirmado que o ambientalista “tem sido a voz e os olhos das populações ribeirinhas” e que a acusação “não tem sentido, sendo antes uma oportunidade para saber quem é quem na poluição do Tejo”.

Também a Assembleia Municipal de Mação, município do distrito de Santarém, já se pronunciou sobre este processo, tendo aprovado por unanimidade uma moção na quarta-feira denominada “Arlindo Marques atuou como porta-voz de Mação” e que visa apoiar financeiramente a defesa judicial do ambientalista.

“Esta Assembleia Municipal solidariza-se com o Arlindo Consolado Marques, verdadeiro guardião do rio Tejo, que tem atuado como legítimo porta-voz da população do concelho de Mação e de todos aqueles que se preocupam com o rio Tejo. Os membros desta Assembleia Municipal consideram que uma ação contra Arlindo Consolado Marques é uma ação contra todos os cidadãos de Mação”, lê-se no texto da moção daquele município ribeirinho.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

13 COMENTÁRIOS

  1. Estão a querer desviar as atenções da Celtejo para a Centroliva, por isso estão constantemente em cima da Centroliva descorando a poluição produzida pela Celtejo. Uma empresa que teve um aumento de produção de cerca do dobro era impossivel com a mesma central de tratamento não poluir…

  2. Neste caso, dá -se a inversão do ónus da prova. A celulose que prove não ser a causa da poluição. E o Estado, não teria a obrigação de investigar as denúncias há muito feitas?

  3. Esta empresa nem sequer devia piar
    Mas em portugal tudo vale graças à nosssa justiça e os nossos ministros . Esta empresa devia de fechar as portas agora mesmo e so abrir quando tiver condicoe pra tal e ainda devia pagar uma multa por toda a poluicao que causa desde vila velha ate lisboa . Cada um faz o que quer . Força amigo Arlido edtou aqui pra drpor a seu favor se precisar . Boas festas

  4. Espero que Arlindo Marques não fique apenas triste e indignado e que tenha a noção que para se ter justiça neste país, só o ter razão pouco conta e que por isso, que contrate um bom advogado, aqui da zona para estar ligado ao Tejo e sentir também aquilo de que todos nos queixamos: caudais baixos, águas sujas e poluídas, mau cheiro, peixes mortos.

  5. Arlindo es un buen ciudadano, denuncia y hace visibles los maltratos al medioambiente y a la salud pública, contribuye a que la ciudadanía tenga más respeto y consideración por el patrimonio común que son los ríos y esa labor debería ser reconocida por el Estado y por todas las instituciones y ciudadanía.
    CelTajo se descalifica automáticamente al emprender acciones legales legales contra él en lugar de emprender acciones para proteger, cuidar y repetar el medio del que se aprovecha y maltrata.
    Desde España, desde la Plataforma de Toledo en Defensa del Tajo y desde la Red Ciudadana por una Nueva Cultura del Agua en el Tajo / Tejo y sus ríos (Red del Tajo / Rede do Tejo) nuestro apoyo, cariño y solidaridad para Arlindo.
    Ojalá todos fueramos como Arlindo. O Tejo merece.

  6. Vergüenza Celtejo, una empresa que gasta su dinero en perseguir a los\as que defienden el río, en vez de invertir recursos en conservar el agua que les permite hacer buenos negocios.
    Desde Espanha estamos muy interesados en difundir estás políticas persecutorias de la empresa Celtajo para que en toda Europa se conozca su proceder, daremos la máxima difusiòn a la noticia.

    Ánimo Arlindo somos muchas/as personas de bien que estamos contigo.
    O Tengo merece! El Tajo se lo merece ( aunque a CELTEJO le moleste)

  7. Un buen ciudadano que protege y vela por un bien común de todos los ciudadanos como es el agua
    debería ser alabado en un sociedad madura, por lo que toda forma de agresión descalifica por si sola a quien lo comete.

  8. Cualquier ciudadano responsable, empresa o administración comprometida con quiénes velan por el sano estado del medio que garantiza nuestra existencia debiera ser lo normal y punible a quien lo permita o mire para otro lado.

  9. No se puede consentir que Celtejo pretenda castigar a Arlindo, que es la voz e tambem os olhos da poluição do río Tejo. Desde Espanha vamos a apoyar y proteger a Arlindo, no vamos a consentir que esta empresa consiga su propósito. Necesitamos muchos Arlindos, valientes, para visibilizar las barbaridades que empresas como Celtejo, hacen. Todo nuestro apoyo y cariño para Arlindo Consolado.

  10. Grande CELTEJO. O bom nome de qualquer entidade tem de ser respeitado. E por 250 mil € mais juros de mora e custos judiciais, já esta empresa fica descansada quanto ao seu “bom nome”. E se fossem uns milhões, não ficaria ainda mais o bom nome, a credibilidade e o prestígio?

  11. É triste ver o rebanho de pequeninos que tem na Celtejo o ganha pão, a defender algo indefensável.
    Ganhem vergonha na cara.

    A poluição do Tejo devia ser punida exemplarmente. Se vir algum produto desta empresa ou grupo Altri, não comprarei.

Responder a Maciel Cancelar resposta

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome