CDS-PP/Santarém: “Eleição de Cristas é uma lufada de ar fresco a um partido que se quer renovar e crescer” – Vasco Matafome

O presidente da distrital de Santarém do CDS-PP, José Vasco Matafome, disse hoje ao mediotejo.net que a eleição de Cristas no Congresso Nacional do pretérito fim de semana “significa uma lufada de ar fresco a um partido que se quer renovar e crescer para ser alternativa, por si só”.

PUB

O CDS-PP do distrito de Santarém levou ao Congresso do passado fim de semana 94 delegados num total de 1100, tendo sido eleitos para a Comissão Política Nacional José Vasco Matafome, de Abrantes, e Tiago Leite, de Santarém, sendo Matafome ainda o Coordenador Autárquico Distrital de Santarém.

Para a Jurisdição Nacional foi eleito António Velez, também de Abrantes, e para a Mesa do Congresso Filipe Teixeira, de Almeirim. Para a Fiscalização foi eleito João Mendes, da Golegã.

Para o Conselho Nacional, os eleitos do CDS de Santarém foram, pela lista A (Assunção Cristas) Miguel Lima Bento (Torres Novas), Ana Filomena (Rio Maior), e Isabel Margarida Coelho (Salvaterra de Magos). Pela lista B (de Filipe Lobo d’Ávila), foi eleito Lobo d’Ávila, de Santarém, Hugo Ribeiro, de Santarém, e Maria Boneville, de Almeirim.

Relativamente à expressão da distrital do CDS-PP de Santarém no contexto nacional, Matafome apontou para a presença de 94 delegados presentes no Congresso, tendo destacado que Santarém é, neste momento, “a 5ª distrital com maior peso” no partido.

PUB

“O CDS-PP de Santarém tem hoje uma estrutura capaz de fazer ouvir a sua voz”, disse o dirigente centrista, tendo destacado” a subida da distrital, nos últimos quatro anos, do 11º lugar para a 5ª posição nacional, em termos de militantes e delegados”.

CDS/Congresso: Direção de Cristas eleita com quase 96% dos votos

A comissão política da nova líder do CDS-PP, Assunção Cristas, foi eleita no domingo com 95,59% dos votos, mais do que a última de Paulo Portas, mas a direção perdeu lugares no Conselho Nacional.

A Comissão Política Nacional conseguiu 1.191 votos de um total de 1246 votantes (55 brancos), numa percentagem de 95,59% dos votos.

No anterior Congresso, em Oliveira do Bairro (Aveiro), a direção de Paulo Portas tinha sido eleita com menos votos – 85,9% – mas conseguiu eleger mais lugares no Conselho Nacional, o ‘parlamento’ do partido: 58 em 70 lugares.

Ao Conselho Nacional concorreram duas listas: a de Assunção Cristas, que teve como primeiro nome António Lobo Xavier, tendo a primeira conseguido 942 votos (correspondentes a 75,48% e 54 lugares) e a segunda 288 votos (23,08%, 16 lugares).

Também ao Conselho Nacional de Jurisdição concorreram duas listas: a da direção, que conseguiu 957 votos (76,5%), e uma coordenada com Filipe Lobo d’Ávila, encabeçada por Pedro Melo, que foi o único eleito, com 251 votos (20%).

Aos restantes órgãos concorria apenas uma lista: a Mesa do Congresso, que terá novamente como presidente Luís Queiró, foi eleita com 94,4% dos votos, a Mesa do Conselho Nacional, liderada por Telmo Correia, obteve 93,56%, e o Conselho de Fiscalização, presidido por Alberto Coelho, eleito com 94,57% dos votos.

C/LUSA

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here