CD “Novembro” de Pedro Barroso inclui a última gravação de Patxi Andión, “Rumos”

CD "Novembro" de Pedro Barroso inclui a última gravação de Patxi Andión, "Rumos". Foto: DR

A última gravação de Patxi Andión, falecido na quarta-feira, será incluída no novo CD de Pedro Barroso, “Novembro”, que está a celebrar 50 anos de carreira. Para Pedro Barroso, “Novembro” constituirá a sua “despedida das canções”.

PUB

“O título ‘Novembro’ foi escolhido por ser o mês de aniversário do Pedro [Barroso, que completou 69 anos no passado dia 28] e porque foi em novembro que se terminaram as gravações deste projeto”, explicou à Lusa Fernando Matias, da discográfica Ovação, segundo o qual o CD sairá “tão breve quanto possível”.

“Homem de música e palavras, que gravou mais de 30 discos tendo atuado em todas as salas de espetáculo em Portugal”, Pedro Barroso atua no próximo sábado no Teatro Virgínia, em Torres Novas, para festejar o 50.º aniversário de carreira.

PUB

“Que lutas nos sobram, que ninhos/ Que gaivotas esvoaçam pelo mar?/ Que sustos, e dores e caminhos/ Que causas inda’ há para lutar?”, assim abre a canção “Rumos”, que Barroso gravou com Andión; para terminar afirmando: “Aqui vos deixo esse aviso/ Por tudo o que quis urgente/ Viver é sempre improviso/ Por isso mesmo é preciso/ Crescer nas bermas do vento”.

Para Pedro Barroso, “Novembro” constituirá a sua “despedida das canções”.

PUB

“A condição física, após mais um ano de tratamentos médicos, impede-me de tocar; e, mesmo na parte de canto, canso-me ao fim de minutos e, portanto… as coisas são como são…”, disse Pedro Barroso, que mantém a firme disposição de um adeus aos palcos no próximo sábado em Torres Novas.

“É um CD histórico, um duo ibérico e… que vai ser falado. Merece o colo cuidadoso de uma produção sofrida, cuidada e importante. Nunca escrevi tanta corda!… Ter uma canção minha cantada a meias com o Patxi Andión é obviamente uma valorização imensa e o tema é lindíssimo”, disse.

“A escolha tímbrica e o simbolismo desta geração ibérica de cantores de luta e da sensibilidade diz tudo. Ambos nos estreámos no [programa televisivo] Zip Zip, em 1969. Também aí é histórico”, referiu o cantor, esperançoso na “valorização” deste seu trabalho discográfico.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here