- Publicidade -
Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Casa Fernando Pessoa é o museu do ano e há prémios APOM para Torres Novas e Fátima

A Associação Portuguesa de Museologia (APOM) distinguiu hoje o Museu Municipal Carlos Reis, em Torres Novas, com o prémio APOM 2021 na categoria Educação e Mediação Cultural, num ano em que a Casa Fernando Pessoa venceu o Prémio Museu do Ano. O prémio Catálogo foi para o Museu Santuário de Fátima pela exposição – “Vestida de branco – A imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima”.

- Publicidade -

A Casa Fernando Pessoa, dedicada à vida e obra do poeta, em Lisboa, foi hoje distinguida com o Prémio Museu do Ano 2021, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), anunciou a organização, com o Museu Carlos Reis a ser distinguido pelo projeto ‘O Visível do Invisível’ – uma oficina do serviço educativo do Museu dinamizada por Joana Carreira.

Trata-se de uma proposta a partir da obra de Anabela Mota que esteve patente na exposição intitulada «Ó». Nesta atividade, as crianças tiveram a oportunidade de desenvolver a expressão de pensamentos e emoções de forma criativa, utilizando uma linguagem artística.

- Publicidade -

Também o projeto «Museu na Aldeia», de que o Museu Municipal Carlos Reis faz parte no âmbito da Rede Cultura 2027, foi agraciado com o prémio Inovação e Criatividade e com a menção honrosa na categoria Educação e Mediação Cultural. Também a exposição «Identidade Territorial: Imaginário visual de uma região», patente no Mimo – Museu da Imagem em Movimento de Leiria, na qual o Museu Municipal Carlos Reis participa também como parceiro da Rede Cultura 2027, foi distinguida com prémio na categoria Parceria.

O galardão foi anunciado durante uma cerimónia realizada no Museu de Marinha, em Lisboa, onde foi apresentado um palmarés com 32 prémios relativos ao ano anterior, atribuídos a museus, projetos, boas práticas, profissionais e diversas atividades desenvolvidas no setor, em todo o país.

Museu Carlos Reis, de Torres Novas. Foto: Arlindo Homem

A Casa Fernando Pessoa, no Bairro de Campo de Ourique, é a casa que foi habitada pelo escritor nos Zeus últimos 15 anos de vida, e tem uma exposição dividida em três pisos, sobre a vida e obra do poeta e uma biblioteca especializada em poesia mundial.

Lugar de literatura que cruza memória, criação literária e leitura, a Casa Fernando Pessoa conserva, preserva e divulga o legado do escritor, filósofo, ensaísta, tradutor e publicitário – figura maior da poesia portuguesa -, cujo espólio documental foi classificado Tesouro Nacional.

A Associação Portuguesa de Museologia (APOM) distinguiu o Museu Municipal Carlos Reis, em Torres Novas, com o prémio APOM 2021 na categoria Educação e Mediação Cultural. Foto: DR

O Prémio Museu do Ano é uma das principais distinções atribuídas pela APOM, num total, este ano, de 32 categorias a concurso, que distinguem, entre outras áreas, a melhor intervenção e restauro, o melhor catálogo, a melhor exposição, mecenato e projeto museográfico.

O catálogo da Exposição “Vestida de Branco”, dedicada ao centenário da escultura de Nossa Senhora, recebeu um premio APOM. Foto: mediotejo.net

A APOM, entidade fundada em 1965, recebe anualmente centenas de candidaturas aos prémios, provenientes de instituições de Portugal Continental e das Regiões Autónomas, bem como de projetos expositivos portugueses no estrangeiro.

Em 2020, foi vencedor o Museu de Fotografia da Madeira — Atelier Vicente’s, o único do país exclusivamente dedicado à fotografia, e, em 2019, o Museu da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo.

Em 2018, o Prémio de Museu do Ano foi para o Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, no Tramagal, Abrantes, e, em 2017, o vencedor foi o Museu do Dinheiro, em Lisboa.

Cerimónia da receção do prémio ‘Melhor Museu do Ano 2018’ em Tramagal. Foto arquivo: mediotejo.net

C/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome