Canoagem: Francisca Laia estreia-se com um 16º lugar nos Jogos Olímpicos

Francisca Laia, natural de Abrantes, ficou hoje no 8º e último lugar na Final B da competição de K1 200 metros de canoagem, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, obtendo assim o 16º lugar na classificação geral na sua estreia nesta prova à escala mundial.

PUB

Francisca Laia é uma das três representantes da região do Médio Tejo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a par de Ana Rente, natural de Tomar, e de David Rosa, de Fátima/Ourém.

A canoísta portuguesa Francisca Laia, formada no Clube Desportivo ‘Os Patos’, de Rossio ao Sul do Tejo, Abrantes, e que começou a representar o Sporting já este ano, fez na segunda-feira um balanço positivo da sua participação no K1 200 dos Jogos Olímpicos Rio2016, apesar de ter sido relegada para a final B.

PUB

“O objetivo da prova não era conseguir a final B, era conseguir a final A. Penso que na eliminatória falhei um pouco no arranque, mas faço um balanço bastante positivo da minha prestação. Acho que fiz uma boa prova, simplesmente há atletas mais fortes do que eu e contra isso não posso lutar. Vou tentar o melhor resultado possível na final B”, referiu.

A canoísta, que se estreou em Jogos Olímpicos, até começou bem as meias-finais, mas quebrou nos metros finais, terminando a meia-final com 41,573 segundos, o 15.º tempo entre as semifinalistas.

PUB

“O meu objetivo era estar aqui presente. Tudo o que viesse além disso era um bónus. Claro que estando aqui temos sempre a ambição de chegar à regata das medalhas, mas não posso deixar de estar contente com a minha prova”, referiu.

Francisca Laia, de 22 anos, quer descansar e analisar esta temporada, antes de começar a pensar em Tóquio2020, considerando que “estar aqui, ao lado de nomes tão grandes da canoagem, é sem dúvida uma grande experiência”.

Ana Rente, ginasta de Tomar, falhou no dia 12 de agosto o acesso à final de Trampolins Individual nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, ao conseguir apenas o 11º lugar nas eliminatórias da competição (apuraram-se as 8 primeiras ginastas).

A nabantina foi a terceira a entrar em ação nas duas rotinas, tendo conseguido melhorar a sua prestação da primeira para a segunda rotina (45.220 pontos na primeira e 52.665 pontos na segunda), terminando com 97.885 pontos. Fez excelentes saltos mas, no entanto, não foram suficientes para garantir o apuramento para a final, objetivo que ficou a escassos 400 pontos.

Com este 11º lugar, Ana Rente iguala a prestação de Londres 2012, depois de ter alcançado um 16º lugar nos Jogos de Tóquio, em 2008.

David Rosa, de 29 anos, é dos últimos portugueses a entrar em ação e é mesmo o último da região do Médio Tejo a fazê-lo, numa prova que não se disputa por eliminatórias.

Subirá para a sua bicicleta para disputar a prova de Cross Country pelas 16h30 de domingo, dia 21 de agosto. Quanto a transmissões televisivas, a RTP 2 tem transmissão de provas nesse dia a partir das 13 horas e a RTP 1 a partir das 15 horas.

c/Lusa

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here