“Caminhos do Ferro” leva espetáculos a municípios do Médio Tejo cruzados pelo comboio

O primeiro ciclo de programação “Caminhos do Ferro”, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), começa quinta-feira com sete espetáculos que vão percorrer, até dia 16, domingo de Páscoa, cinco concelhos da região que têm estações ferroviárias.

Inspirando-se no facto de a região ser atravessada pelas duas principais linhas ferroviárias do país, que se cruzam no Entroncamento, o ciclo, que tem por tema central a dança, é o primeiro do projeto “Caminhos” (resultante de uma candidatura a fundos comunitários da CIMT), que inclui ainda os ciclos da Água, em julho (música), e da Pedra, em outubro (teatro).

Ao longo da próxima semana Abrantes, Entroncamento, Mação, Tomar e Vila Nova da Barquinha recebem espetáculos multidisciplinares gratuitos, sendo o destaque do primeiro dia dado à atuação do grupo de música tradicional portuguesa Galandum Galundaina, às 21:30, na praça Raimundo Soares, em Abrantes.

PUB

Os outros concertos musicais agendados vão acontecer na Praça da República, em Tomar, no dia 16, às 21:30, com o fadista Ricardo Ribeiro, nomeado para o Prémio Melhor Artista do Ano, pela revista Songlines, pelo seu álbum “Hoje é Assim, Amanhã Não Sei”, e na estação ferroviária do Entroncamento, nos dias 13 e 14 pelas 19:00, com A Dixie Band dos Xaral´s Dixie.

Nos dias 14, no Castelo de Almourol, em Vila Nova da Barquinha, e 15, na Praça Salgueiro Maia, no Entroncamento, sempre às 21:30, o convite é para assistir, e participar, no “Baile dos Candeeiros”, em que “o corpo dos bailarinos dá vida à luz de candeeiros de época e que envolve o público num baile espontâneo”.

O espetáculo “Andar”, da coreógrafa Aldara Bizarro, um projeto de criação que reúne a poesia de Ana Hatherly e o movimento de andar pelas ruas e envolve bailarinos amadores dos cinco municípios, poderá ser visto, sempre às 18:30, nos dias 14 no Café Paraíso, em Tomar, no dia 15 no Parque Ribeirinho, de Vila Nova da Barquinha, e no dia 16 no centro histórico de Mação.

Vocacionados para as famílias, os espetáculos de teatro “Sopa Nuvem” (dias 13, às 11:00, e 15, às 12:00, em Mação) e o “O cão que corre atrás de mim…” (dias 15, às 17:30, e 16, às 17:00, no Entroncamento) aliam cinema e música ao vivo, teatro físico e de objetos, “sugerindo viagens pelas memórias de infância e interpelando-nos para as relações entre pais e filhos, avós e netos”, afirma uma nota de divulgação do projeto.

Em paralelo aos espetáculos, serão realizadas residências artísticas nas cinco cidades pelos criadores Marina Palácio, Paulo Carmona, o Teatro de Ferro, Violant e Yola Pinto.

O programa inicialmente divulgado pela organização, e noticiado pela Lusa na quinta-feira, foi entretanto alterado devido à retirada do espetáculo “Human Brush”, juntando desenho, coreografia e tecnologia digital, numa primeira apresentação em palco de Vincent Glowinski, conhecido desde que preencheu as paredes de Bruxelas com os seus desenhos gigantes, que foi anunciado para os dias 13 e 15 no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento.

A organização corrigiu igualmente a informação inicialmente divulgada que referia o concelho de Ferreira do Zêzere na programação deste primeiro ciclo.

PUB
Agência Lusa
Agência de Notícias de Portugal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).