Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Setembro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Cadeados do Amor na Vila Poema (c/vídeo)

Constância, Vila Poema, é reconhecidamente terra inspiradora de poetas. Entre tantos poetas que se apaixonaram pela vila da foz do Zêzere, num imenso abraço com o rio Tejo, está o maior expoente da língua e da cultura portuguesas – Luís de Camões – que recentemente, pelo 10 de Junho, o povo celebrou através das Pomonas Camonianas.

- Publicidade -

Escritor de génio, o grande épico foi também um poeta do amor que, nas palavras de um dos seus mais famosos sonetos, é fogo que arde sem se ver / é ferida que dói e não se sente…

Partindo desta ideia, um casal de Constância – João Paulo Morais e Anabela Ferreira – que no mesmo dia 10 de junho de há cinco anos casou, trajado à moda quinhentista, em plenas Pomonas Camonianas, teve agora a iniciativa de vir de novo junto ao Monumento a Camões para, celebrando a felicidade do seu casamento, deixar preso à rede exterior do Jardim-Horto Camoniano um cadeado como sinal do seu amor para sempre.

- Publicidade -

Os cadeados do amor, que têm vindo a tornar-se muito populares em várias cidades da Europa, chegaram assim a Constância, através de um gesto espontâneo de um casal que logo foi secundado por outros que igualmente ali prenderam mais alguns desses cadeados com promessas de amor eterno.

**Republicada no âmbito de alguns trabalhos a que voltamos a dar destaque e que foram publicados no jornal mediotejo.net entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome