Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Beira Baixa exige comportamento responsável sobre poluição no Tejo

O Conselho Intermunicipal da Comunidade da Beira Baixa (CIMBB) exigiu na segunda-feira sobre a problemática da poluição no rio Tejo um comportamento “à altura das circunstâncias” àqueles que têm responsabilidades institucionais.

- Publicidade -

Em comunicado enviado à agência Lusa, o Conselho Intermunicipal da CIMBB refere que se “impõe a todos os que verdadeiramente estão preocupados com este tema [poluição do Tejo] e, em particular, aos que têm responsabilidades institucionais, um comportamento à altura das circunstâncias e das responsabilidades que lhe estão confiadas”.

O documento adianta que se tem assistido, nos últimos tempos, a um “conjunto de atitudes e declarações” sobre a problemática da poluição no rio Tejo, ao qual a CIMBB não pode ficar indiferente.

- Publicidade -

“A abordagem de questões desta natureza, pela importância que têm ou impacto que geram na opinião pública, não pode ser feita de forma superficial e casuística, sem fundamentos objetivos e em tom alarmista, colocando em causa investimentos, empresas que são referência pelo desempenho ambiental e significativos postos de trabalho”, lê-se no documento.

A CIMBB sublinha que “focar o problema numa parte ou num território [Vila Velha de Ródão], não será certamente a solução”.

“A solução deste passivo ambiental passa necessariamente por englobar todas as situações que se observam da nascente do rio à sua foz, não podendo subtrair, sem prejuízo de comprometer irremediavelmente o seu sucesso, partes significativas do problema”, sustentam.

O documento adianta ainda que a discussão tem que incluir “questões tão fundamentais como os caudais negociados com Espanha, a qualidade da água à entrada do nosso território e a generalidade dos contributos dados por todas as situações identificadas no território nacional”.

A CIMBB acredita que estão reunidas as condições necessárias para de uma “forma séria e determinada se encontrarem as melhores soluções para os problemas que afetam o rio Tejo”, sobretudo pelo trabalho desenvolvido pelas instituições oficiais e face às posições públicas já assumidas pelo primeiro-ministro e pelo ministro do Ambiente sobre esta matéria.

A CIMBB integra os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome