Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Basquetebol: Torres Novas perde frente ao GDESSA na última bola do jogo

5 de março de 2016, 18.30 horas, Torres Novas

- Publicidade -

Campeonato Nacional de Basquetebol Sub-19 Femininos

Clube Desportivo de Torres Novas 71 – Grupo Desportivo da Escola Secundária de Santo André 74

- Publicidade -

Espetacular partida de basquetebol, que só se decidiu na última posse de bola, entre as duas equipa que à partida para este jogo estavam invictas no Campeonato.

Começaram melhor as torrejanas que adquiriram rapidamente uma vantagem de 7 pontos, no entanto a mudança de agressividade na defesa e a mudança de sistema defensivo das forasteiras para defesa a campo inteiro deu frutos, fazendo com que anulassem essa desvantagem. Enquanto a equipa da casa ia conseguindo os seus pontos à custa do seu forte jogo interior, onde se destacava Leticia Soares e Mariana Silva, a equipa do Barreiro ia através da eficácia da linha de lance livre mantendo o jogo vivo. Nota para a diferença de jogo das duas equipas. O CDTN deixava a organização para Patrícia Martins, que no meio campo ofensivo tentava servir as suas companheiras nas zonas perto do cesto, enquanto que as barreirenses num jogo também coletivo alternavam entre a decisão na área pintada ou os tiros de média/longa distância.

_MG_0005
Leticia Soares é letal na zona perto de cesto.

Durante o jogo foram várias as variações táticas que os dois treinadores deram ás suas equipas. José Monteiro fez incidir a sua defesa numa zona que por vezes revelava algumas dificuldades no fecho da zona central, tendo também passado pela opção homem-a-homem. Nuno Manaia, alternou a defesa da sua equipa num homem-a-homem e numa pressão a campo inteiro (sempre que necessitava recuperar no marcador, numa altura recuperou 7 pontos e na segundo parte recuperou 8), tendo a espaços optado pela defesa zona, mas teve sempre dificuldades em parar o jogo interior da equipa de Torres Novas.

_MG_0018
José Monteiro parou o jogo várias vezes para afinar as movimentações da sua equipa.

_MG_0055
Nuno Manaia fez de tudo para que a sua vencesse em Torres Novas e conseguiu.

O lance que marca a partida ocorreu a meio do terceiro período quando as barreirenses por Beatriz Serralheiro converteram um lançamento de três pontos e deram a cambalhota no marcador. Também com grande influência na movimentação defensiva da equipa da casa foi o facto de Mariana Silva a 2 minutos do final do terceiro quarto ter atingido a 4 falta, o que lhe limitou as acções e a agressividade defensiva, aproveitando as forasteiras para atacar, com sucesso, mais pelo seu lado da defesa.

_MG_0062
Perante uma defesa zona consistente das torrejanas, as forasteiras tiveram que responder muitas vezes com lançamentos longos.

Partiu-se para o último quarto do jogo com uma igualdade a 52 pontos. Por momentos pareceu que as torrejanas iam disparar no marcardor quando alcançaram uma vantagem de 4, mas novamente a boa defesa do GDESSA deu frutos tendo reequilibrado o marcador. A 3.47 minutos para o fim, Leticia Soares foi excluída da partida por ter atingido as 5 faltas, o que veio a influenciar não só o jogo ofensivo, mas também o defensivo da equipa da casa, no entanto nessa altura aparece mais em jogo Wytalla Motta que ajudou a manter a equipa no jogo (estranhamos apenas o facto de só aparecer com maior evidência no jogo após a exclusão da sua colega). No entanto a consistência forasteira manteve-se e a 1 minuto do fim Leonor Serralheiro com um triplo sentenciou a partida. O Torres Novas ainda teve posse de bola para responder mas não conseguiu concretizar como era pedido.

_MG_0019
Maianca Umabano foi a principal arma do GDESSA no jogo interior.

Excelente jogo de propaganda da modalidade, numa partida que “caiu” para o GDESSA como podia ter sido vencida pelo Torres Novas. Ficámos com esta ideia no jogo frente ao Benfica e neste jogo ainda se notou mais. A equipa torrejana é “curta” para jogos com intensidade alta, tem um cinco muito forte, tem uma sexta jogadora, mas depois parece não haver mais opções. Em jogos onde o desgaste físico e emocional são grandes isso nota-se.

Realce para a concretização da linha de lance livre e para os lançamentos longos (3 pontos). Nos lances livres o CDTN concretizou 21 lançamentos em 31 tentativas, enquanto o GDESSA concretizou 20 em 25 tentados. De longa distância as torrejanas tentaram 5 vezes e não concretizaram nenhum cesto, ao passo que as barreirenses em 18 tentativas conseguiram 6 concretizações.

No plano individual destaque para três jogadoras de Torres Novas com 20 pontos anotados, Mariana Silva, Wytalla Motta e Leticia Soares. No GDESSA Leonor Serralheiro e Eliana Cabral anotaram 19 pontos e Maianca Umabano 13.

_MG_9993
Mariana Silva anotou 20 pontos.

Dupla de arbitragem em bom plano e com um bom critério. Em nossa opinião, apenas nos últimos três minutos teve duas decisões no ataque torrejano que podia ter tido outro desfecho, mas como estão mais próximos dos lances e numa ângulo mais favorável, temos que lhes dar o benefício da dúvida.

Ficha do jogo

Palácio dos Desportos de Torres Novas

Árbitros: Sérgio Ferreira e Francisco Silva

_MG_0093
Sérgio Ferreira e Francisco Silva estiveram em bom nível.

Oficiais de Mesa: Tânia Joaquim, Filipe Ferreira e Mikael Ferreira

CD Torres Novas

Cinco Inicial: Mariana Silva, Leticia Soares, Patricia Martins, Wytalla Motta e Clarisse Amisi

Outras opções: Marta Maia, Beatriz Martins, Mariana Martins, Flávia Cabaço, Maria Nazário e Rafaela Paterno

Treinador: José Monteiro

Treinador Adjunto: Bruno Martins

_MG_9944
CD Torres Novas

GDESSA

Cinco Inicial: Maianca Umabano, Mariana Ferreira, Ivana Serranho, Leonor Serralheiro e Eliana Cabral

Outras opções: Ana Jesus, Beatriz Serralheiro, Débora Fernandes, Daniela Carrasquinho e Leticia Ferreira

Treinador: Nuno Manaia

Treinador Adjunto: Ana Sebastião

_MG_9950
GDESSA

Parciais: 17-19, 22-15, 13-18 e 19-22

_MG_0098
Placar final do jogo.

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome