Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Maio 14, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Barquinha, Entroncamento e Torres Novas com 84 iniciativas culturais até dezembro

Os concelhos de Entroncamento, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha vão ser palco, de maio a dezembro, de 84 iniciativas culturais sob o lema “VOLver”, num apelo aos militares e polícias a revisitarem o território onde se formaram.

- Publicidade -

- Publicidade -

A programação cultural em rede que junta estes três municípios do Médio Tejo, no distrito de Santarém, foi hoje apresentada numa sessão no Teatro Virgínia em Torres Novas, que contou, na assistência, com a presença de representantes das estruturas militares e policiais sediadas nos três concelhos e das delegações locais da Liga dos Antigos Combatentes.

A programação vai decorrer de 18 de maio a 11 de dezembro “num eixo de 15 quilómetros”, onde residem 65.000 pessoas, e onde existe “uma história em comum” que é partilhada por “muitos milhares de portugueses que, em determinada época das suas vidas, aqui fizeram a sua formação militar e policial”, salientou a vereadora da Câmara de Torres Novas com o pelouro da Cultura, Elvira Sequeira, destacando este como “um território de encontros”.

- Publicidade -

Com um total de seis exposições, 13 ações de arte urbana, 28 espetáculos musicais, 15 de dança, oito de teatro, dez sessões de cinema e quatro conferências agendadas, o projeto arranca com iniciativas como “BOX – Uma caixa de histórias”, em que uma antiga cavalariça, situada no edifício da Escola Prática de Polícia em Torres Novas, “é não apenas uma box (caixa) de cavalos, mas também de histórias”.

Pretexto para abrir o baú com “recordações da Escola Prática de Cavalaria e lembranças dos tempos do Grupo de Artilharia Contra Aeronaves n.º 2”, mas também da atual Escola Prática de Polícia.

“Para alguns, as histórias desta box serão uma surpresa, mas, para muitos outros, entrar na box será o regresso a outras idades e vontades, será o volver aos braços dos companheiros dos dias passados na ‘escola’ ou no quartel”, afirma o ‘flyer’ de divulgação da programação.

Também a 18 de maio abre, no Museu Nacional Ferroviário (MNF), no Entroncamento, a iniciativa “A Cidade e o Ferro”, que inclui o I Simpósio de Escultura do Entroncamento e a Criação de Esculturas em Ferro, com a realização de oficinas abertas ao público com os escultores Ana Mena, Hugo Maciel, João Bernardo, João Duarte e Pedro Marques, cujo resultado será mostrado em vários pontos da cidade a 20 de junho.

A vereadora da Cultura da Câmara do Entroncamento, Tília Nunes, salientou a ligação entre a ferrovia e as várias instituições militares que se instalaram nesta zona, num cruzamento também presente na programação do VOLver, que assume a significação não apenas do vocábulo militar, mas também do “voltar a ver”, num convite à visitação da região por todos os que passaram por este território.

O MNF vai ainda acolher a exposição “Sempre Fixe!”, do Batalhão de Sapadores de Caminhos de Ferro, para “desconstruir as representações simbólicas associadas a esta unidade”, que foi extinta após o 25 de abril de 1974.

No mesmo espaço, o grupo Fatias de Cá, vai apresentar “Sonho de uma Noite de Verão”, a partir de William Shakespeare, nos dias 22 e 29 de maio e 05, 12 e 19 de junho, sempre às 19:19.

De 08 a 16 de junho, o artista Mário Belém vai pintar um mural em Torres Novas, realizando, a 09 de junho, um ‘workshop’ direcionado às escolas.

Vila Nova da Barquinha vai receber, a 13 de junho, o projeto “Ó da Casa”, dos Arregaita, num espetáculo que vai acontecer na Praça da República e que vai contar com a participação de artistas locais, numa iniciativa que a vereadora da Cultura, Marina Onório, disse servir para “puxar de novo para os palcos” as associações culturais do concelho, “desmotivadas” por meses de confinamento devido à pandemia da covid-19.

O ciclo de palestras “História Militar de Portugal – Um recorte sobre o território do Médio Tejo” vai acontecer a 17 de junho, no MNF, realizando-se, no dia seguinte, no Espaço Memória de PaYo de Pelle, em Vila Nova da Barquinha, duas conferências sobre “Instituições Militares e Democracia”, com Nuno Severiano Teixeira e Helena Carreiras, “que explora particularmente o tema da integração de género nestas instituições”.

A outra conferência agendada, sobre “História da Música Militar – O movimento da música militar e nascimento das bandas filarmónicas no Médio Tejo”, realiza-se a 19 de junho, no auditório da Biblioteca Municipal de Torres Novas.

O Parque de Escultura Contemporânea Almourol, na Barquinha, vai receber, a 26 de junho, o concerto do compositor e guitarrista João Roque.

O mês de julho abrirá, dia 03, com os espetáculos “À sombra de mis cabels”, de Susana Gaspar e Leonor Mendes, no Largo da Igreja de Lapas, em Torres Novas, e “Balastro”, pela Escola Es-Passo de Dança, na Praça Salgueiro Maia, no Entroncamento.

Entre muitas outras iniciativas, conta-se a exibição, de 08 de julho a 26 de setembro, no Castelo de Torres Novas, do documentário “Os Castelos da Ordem do Templo em Portugal”, da Direção-Geral do Património, ou a apresentação do projeto MONDA SONORA – Pesquisa Geo-sonora do Rio Almonda, do Colectivo249, de 08 de julho a 04 de dezembro, no Museu Municipal Carlos Reis, também em Torres Novas.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome