Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Autárquicas/Torres Novas | Helena Pinto (BE) juntou cerca de 700 apoiantes em jantar de campanha (c/vídeos)

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, mostrou-se confiante na vitória de Helena Pinto nas eleições de 1 de outubro, assumindo que o Bloco de Esquerda tem como objectivo conquistar a Câmara de Torres Novas. Num jantar de campanha que juntou na noite de terça-feira, 26 de setembro, cerca de 700 pessoas no Palácio dos Desportos, em Torres Novas, Catarina Martins disse que Helena Pinto é a “alternativa credível às maiorias do Partido Socialista” de Torres Novas, mostrando-se orgulhosa pela moldura humana que encheu por completo o Palácio dos Desportos.

- Publicidade -

Helena Pinto recebeu o apoio de Catarina Martins e de Francisco Louçã, entre outros Foto: mediotejo.net

Acompanhada por uma interprete de língua gestual – tal como os restantes oradores – Helena Pinto discursou perante a grande massa de apoiantes, entre os quais estavam os cabeça de lista à câmara de concelhos como Entroncamento, Tomar e Lisboa.  A candidata do Bloco de Esquerda à Câmara de Torres Novas agradeceu o carinho e incentivo que têm recebido por todo o concelho. “Os poderosos não nos vergam. A partir de 1 de outubro será o tempo de Torres Novas abrir as portas à democracia vivida e participada. Queremos tratar todos os munícipes por igual, quer vivam na cidade ou na freguesias, Tempo de falar verdade, assumir responsabilidades e cumprir a palavra dada. Como sempre, será o povo que mais ordena”, disse.

- Publicidade -

Helena Pinto referiu que responderam a este projecto do Bloco “155 homens e mulheres”, na sua esmagadora maioria não filiados no Bloco, que dão a cara para governar o concelho. “Estamos aqui com a alegria de dar o que tem, cada um mediante as suas possibilidades. Cada contributo soma e dá o seu grande resultado. Estão aqui 652 pessoas”, disse, sendo aplaudida com entusiasmo.

A candidata do Bloco orgulha-se do trabalho feito enquanto vereadora no executivo camarário, recordando que não houve assunto em que não tomassem posição. “Fomos de longe o partido que mais propostas apresentou. 36 com agendamento próprio, das quais 19 aprovadas embora a inércia e a falta de interesse da maioria socialista não as tivesse posto em prática”, disse, acrescentando que foram o único partido que, durante quatro anos, apresentou um orçamento alternativo.

Helena Pinto realçou os 155 candidatos que acreditam no projecto do Bloco para governar o concelho de Torres Novas Foto: mediotejo.net

A cabeça de lista do Bloco de Esquerda à Câmara de Torres Novas realçou que foi o Bloco que travou a intenção de se vir a instalar mais uma grande superfície no centro da cidade que “iria esmagar o comércio local”. Helena Pinto referiu ainda que “não ignoraram nenhum problema dos munícipes” lamentando não conseguir resolver todos por estarem em minoria.

Em relação aos projectos para os próximos quatro anos, referiu que “têm projecto”, destacando, entre outros, a intenção de investirem mais na Zona Industrial de Riachos, concluir a revisão do PDM que se arrasta desde 2002, concluir a rede saneamento básico e dinamizar um  um novo conceito para o centro histórico para povoar o centro da cidade e o combate à poluição. A candidata terminou o seu discurso chamando os candidatos para o palco, mostrando orgulho na equipa que a acompanha.

Francisco Louçã considera que Helena Pinto é a pessoa que está mais bem preparada para liderar o município de Torres Novas Foto: mediotejo.net

Francisco Louçã, fundador do Bloco, disse que a Helena Pinto, enquanto vereadora na câmara nos últimos quatro anos, ouviu e atendeu as pessoas, respondendo aos seus problemas e fez aquilo que a câmara deveria ter feito. “Helena Pinto só sabe uma coisa: trabalhar pela gente da sua terra, defender quem trabalha, ouvir quem precisa, dar a mão a quem merece”, disse, acrescentando que Helena Pinto traz confiança às gentes de Torres Novas. Para o fundador do Bloco, Helena Pinto é a pessoa que está mais preparado para dirigir a Câmara de Torres Novas. “A Helena Pinto merece ser presidente da Câmara de Torres Novas. Torres Novas merece ter esta presidente”, disse.

Jantar de campanha desta terça-feira, 26 de setembro, juntou cerca de 700 pessoas no Palácio de Torres Novas Foto: mediotejo.net

No discurso que fez, Catarina Martins vincou o tema da água, exigindo que esta seja limpa e pública, “porque com um direito humano não se pode brincar”. A coordenadora do BE destacou que é importante assegurar que todos e todas têm acesso à água, lembrando que “quando a atual maioria foi formada no parlamento, a tarifa social da energia, que é um direito das pessoas com menos rendimentos, chegava a apenas 80 mil famílias em todo o país”.

Por proposta do Bloco, recordou, “foi criado um mecanismo para que a tarifa social da energia passasse a ser automática. Ou seja, para que toda a gente que tem poucos rendimentos e que tem direito a essa tarifa passasse a tê-la automaticamente. E, com essa alteração, passámos a ter não 80 mil mas 800 mil famílias com acesso à tarifa social da energia”, acrescentou a dirigente do Bloco.

Catarina Martins focou o tema da água no seu discurso desta noite Foto: mediotejo.net

Catarina Martins explicou, contudo, que “o que se passa com a água é que, para que a tarifa social da água chegue verdadeiramente às famílias mais vulneráveis, garantindo o direito à água a toda a gente, vai ser necessário que as autarquias decidam impor a tarifa social”.

“Conseguimos no Parlamento fazer com que o mecanismo de atribuição automática da tarifa social da energia possa ser também aplicado à água, mas agora é preciso que as autarquias decidam aplicá-lo”, reforçou.

A coordenadora bloquista garantiu que “o compromisso do Bloco por todo o país é que a tarifa social da água terá também de ser automática para chegar a toda a gente, e para que toda a gente em Portugal possa ter acesso ao bem essencial que é a água”.  Catarina Martins deixou ainda a garantia de que o Bloco luta “em cada autarquia por autarcas que permitam que cheguem às populações os avanços” que se vão fazendo no país.

A Câmara de Torres Novas é liderada, com maioria absoluta, pelo PS, que elegeu em 2013 como presidente Pedro Ferreira com 44,7% (quatro mandatos), tendo o PSD conseguido 17,1% (um mandato), a CDU 16% (um mandato) e o BE 9,9% (um mandato).

Concorrem às eleições autárquicas de Torres Novas Filipa Rodrigues (PCP), Miguel Bento (CDS-PP), Pedro Ferreira (PS), Helena Pinto (BE) e João Oliveira (PSD).

* C/Lusa

Veja os vídeos com alguns discursos da noite:

Torres Novas / Helena Pinto, candidata a câmara, no jantar Comício do Bloco de Esquerda

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 26 de Setembro de 2017

Torres Novas / Francisco Louçã no jantar Comício do Bloco de Esquerda

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 26 de Setembro de 2017

Torres Novas / Catarina Martins, líder do BE, no jantar de campanha do Bloco de Esquerda que juntou mais de 600 pessoas no Palácio dos Desportos

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 26 de Setembro de 2017

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome