- Publicidade -

Sábado, Janeiro 22, 2022
- Publicidade -

Autárquicas/Sardoal | PS diz ter “equipa coesa, forte, renovada e motivada” focada no concelho

Na noite desta sexta-feira, feriado municipal e Dia do Concelho, o PS de Sardoal efetuou uma visita pela vila, após a abertura solene das festas. De seguida, foram apresentados oficialmente os candidatos à Câmara, Assembleia e Juntas de Freguesia de Valhascos, Sardoal e Alcaravela perante mais de uma centena de candidatos e militantes. Pedro Duque, cabeça de lista à Câmara, reforçou que os membros desta candidatura querem ser “diferentes”.

- Publicidade -

“Uma equipa coesa, forte, renovada, e motivada, e com competências aos mais variados níveis”, foi assim que Pedro Duque, candidato à Câmara Municipal, caraterizou a lista de candidatos aos órgãos autárquicos nas próximas eleições de 1 de outubro.

“Temos um projeto em que o único foco é efetivamente o concelho de Sardoal e os sardoalenses, bem como a melhoria da qualidade de vida, e atenuação das dificuldades do dia a dia, são o nosso objetivo principal e, por isso mesmo, o nosso lema é «Mais Sardoal»”, frisou o candidato.

- Publicidade -

Abordando um projeto assente num “modelo sustentado, de crescimento económico-social” e que tem por base “um conjunto de medidas que visam essencialmente a fixação e captação de casais jovens no concelho”, Pedro Duque referiu ser “urgente a revisão do PDM para permitir reorganização dos espaços urbanizáveis do concelho, bem como a ampliação da zona industrial ou a criação de outros espaços industriais, associado a um pacote de medidas de incentivo à natalidade, e melhoria da qualidade de vida dos sardoalenses estão no topo das nossas prioridades”.

Notando que no concelho mais de 50% da população é idosa e de reduzidos recursos financeiros, está em vista a “aplicação de um pacote de medidas de proximidade, por forma a atenuar a situação de carência em que estas pessoas se encontram ao ponto de não terem capacidade para comprar a totalidade dos medicamentos que lhes são prescritos pelos médicos mensalmente”.

- Publicidade -

Os jovens não ficam de fora dos eixos prioritários desta candidatura, sendo contempladas medidas que pretendem melhorar a qualidade de vida, qualificação e entrada no mercado de trabalho, a ocupação dos tempos livres e apetência para as questões de cidadania. O candidato salientou a redução de cerca de 80 matrículas, num universo de 500 alunos (16%), no Agrupamento de Escolas de Sardoal no ano letivo que agora iniciou.

No turismo, o candidato referiu-se a “um conjunto de propostas de complementaridade com a oferta dos espaços e valências, com incidência no projeto integrado de aproveitamento da Barragem da Lapa e seus espaços adjacentes, como o espelho de água, parque de campismo, recuperação da escola de Cabeça das Mós e a construção de um passadiço até à aldeia de Cabeça das Mós”.

Quanto aos imóveis municipais ao abandono, são também alvo da preocupação da candidatura de Pedro Duque, caso da Casa dos Almeidas, Externato Rainha Santa Isabel, Escola da Cabeças das Mós, e a própria Barragem da Lapa e espaço envolvente, sendo objetivo uma “intervenção para estancar a degradação e recuperar, colocando-os ao dispor da população”.

Já no que toca à situação financeira do município, esta “é débil”, segundo o inspetor de Finanças, sendo que “cerca de 95% do orçamento anual a estar alocado a encargos fixos com pessoal, gastos fixos de financiamento e encargos com a banca”, propondo o PS “um conjunto de medidas que aumentem a liquidez financeira quotidiana através de renegociação de contratos altamente lesivos, assim como a racionalização do recurso aos contratos de outsourcing”.

Pedro Duque referiu-se à gestão social democrata como sendo de “sectarismo e política em que vários interesses privados se cruzam e confundem com a gestão do município (…) tempos de algum populismo, com recurso a mediatismo desenfreado, muitas vezes à custa do próprio município, e em pretexto da promoção da imagem do concelho para fora, se pretende não mais que a promoção pessoal, em prol de ambições pessoais que não cabem, seguramente, dentro das fronteiras do nosso concelho”, criticou.

Candidato à Câmara Municipal, Pedro Duque, de 43 anos, é natural de Alcaravela, Sardoal, licenciado em Gestão de Empresas é Inspetor Tributário da AT, sendo também dirigente associativo e vereador na Câmara há 12 anos. Foto: mediotejo.net

Fernando Vasco, presidente da Concelhia do PS e candidato à Assembleia Municipal, disse acreditar que o PS tem “uma equipa renovada, um candidato com experiência, sensibilidade social, e que partilha os valores da solidariedade e fraternidade, com conhecimento da realidade do Sardoal, vereador nos últimos 12 anos, com capacidade para gerir com rigor os destinos do concelho”.

Mencionou ainda os candidatos às Juntas de Freguesia de Sardoal, Valhascos e Alcaravela, respetivamente Miguel Catalão Alves, Vicente da Neta e Joaquim Serras Gonçalves, “perfeitamente integrados nas suas comunidades, com um currículo de vida que fala por si”.

Teceu novamente grandes críticas à gestão da autarquia, enumerando alguns imóveis municipais degradados e que a Câmara tem esquecido. Desde a Barragem da Lapa, à Casa dos Almeidas e projeto para instalação de hotel de charme, ao Externato Rainha Santa Isabel, ao Bairro social da Tapada da Torre.

Candidato à Assembleia Municipal, Fernando Cascalheira Vasco, de 63 anos, é Consultor jurídico, e exerce atualmente os cargos de vereador na Câmara Municipal do Sardoal (2009-2017) e de Presidente da Comissão Política Concelhia do PS/ Sardoal. Foto: mediotejo.net

Fortes críticas ainda a questões ambientais como o facto de existirem ETARs em mau funcionamento e cujo modelo não é já legal, algo que sucede em Andreus e Valhascos. Na área da saúde, a falta de médicos não foi esquecida, bem como a proposta socialista rejeitada pelo executivo, que pretendia a criação de Unidade Móvel de Saúde que ajudasse a colmatar essa falha.

A Proteção Civil foi igualmente focada pelo socialista, achando “bizarro” o facto de o atual presidente Câmara considerar necessitar e mais formação pela ANPC para poder exercer enquanto Autoridade Municipal de Proteção Civil.

Quanto à cultura, o PS voltou a considerar a aposta cultural inadequada, fazendo contraponto com o facto de existir falta de apoio aos idosos e falta de medidas de ação social.

Para Fernando Vasco, a gestão social democrata carateriza-se por “inércia e falta de competência”, e reveste-se de situações “bizarras”.

Também foi recordado “o apagão” no boletim municipal dos decisores socialistas, nomeadamente vereadores de oposição e autarcas.

Hugo Costa, em representação da Federação Distrital do PS, esteve presente no início do jantar. “Acreditamos muito na candidatura do Pedro”, notando o trabalhado efetuado ao longo dos últimos anos enquanto vereador na Câmara Municipal de Sardoal, reconhecendo a sua competência e potencialidade enquanto candidato à Câmara. O deputado eleito pelo círculo de Santarém frisou que “a necessidade de mudança no Sardoal é óbvia e clara, basta passar nas ruas, desertas e sem ninguém, numa festa com a dimensão que aqui hoje assistimos”, criticou, indicando que a mudança só acontecerá pela mão do Partido Socialista.

Palavras também dirigidas a Fernando Vasco, candidato à Assembleia Municipal e presidente da Concelhia socialista, que fora candidato à Câmara nas duas candidaturas. “É um exemplo de qualidade política, técnica, acima de qualquer suspeita. É alguém que ama a sua terra e que sempre sempre fez o melhor pela sua terra e continua agora disposto a servir o concelho do Sardoal como sempre fez, com ética republicana e com espírito de serviço público”, disse o deputado eleito pelo círculo de Santarém.

Também presente na ocasião esteve Jorge Lacão, vice-presidente da Assembleia da República, enquanto representante Direção Nacional do Partido Socialista. O representante socialista disse ter vindo transmitir um abraço de solidariedade, “com votos que a campanha eleitoral possa decorrer o melhor possível e tenha um bom êxito final”, fazendo um balanço em termos dos últimos anos no país com dificuldades financeiras e aumento do desemprego e acentuar das desigualdades sociais, e às medidas tomadas pelo atual Governo socialista. Jorge Lacão disse ainda crer que “o Sardoal bem precisava de um novo fôlego transmitido pelo projeto do Partido Socialista”.

 

 

 

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome