- Publicidade -

Autárquicas/Ourém | Sérgio Ribeiro é o candidato da CDU à Câmara Municipal (c/vídeo)

O histórico dirigente do PCP, Sérgio Ribeiro, deputado e eurodeputado durante vários anos e já por diversas vezes candidato à Câmara de Ourém e membro da assembleia municipal na atualidade, é o cabeça de lista da CDU às autárquicas de 1 de outubro. Com 81 anos, o comunista Sérgio Ribeiro sente-se perfeitamente capaz de ir à luta, afirmando que o objetivo é tornar-se presidente da Câmara de Ourém. A cabeça de lista à Assembleia Municipal é a empresária Brígida Batista.

- Publicidade -

Os cabeças de lista da CDU de Ourém foram apresentados na segunda-feira, 29 de maio. Sérgio Ribeiro concorreu pela primeira vez às lides do município nas eleições de 1976, não conseguindo eleger-se. Desde então só não concorreu nas eleições de 1979, variando entre candidato à Câmara ou à Assembleia Municipal, exercendo nesta última funções há 18 anos, sozinho. Nunca foi vereador. Em conferência de imprensa, lembrou as duas eleições à Câmara que mais o marcaram, 1976 e 2001: a primeira por sentir uma “campanha” clara contra a CDU e a segunda devido a expetativas criadas na época que se viram logradas após as eleições.

Na segunda-feira Sérgio Ribeiro afirmou-se capaz de ir à luta. “Quero ser presidente da Câmara de Ourém”, sublinhou. Fátima e “o resto do concelho”, a reorganização administrativa e a falta de uma estratégia definida para o município foram algumas das preocupações levantadas no seu discurso e nas respostas aos jornalistas. Lamentou ainda por diversas vezes que o Congresso de Ourém, realizado em 2010, onde se discutiu durante três dias o estado do concelho, não tenha resultado em nada.

- Publicidade -

Brígida Batista (esq.) é a candidata à assembleia municipal. Foto: mediotejo.net

“Eu tinha decidido não ser mais candidato porque me parecia que era preciso dar lugar aos novos, e eu de novo já não tenho nada”, começou por constatar. No entanto aceitou concorrer novamente à Câmara de Ourém, querendo apostar em algo que lhe parece fundamental: “é preciso uma estratégia para o concelho”.

Sérgio Ribeiro referiu que em 2009 “abriu-se uma luzinha de esperança” com a vitória do PS depois de 30 anos de PSD no executivo municipal. No entanto “de 2009 a 2017 nada aconteceu no que diz respeito à definição de uma estratégia para o concelho” e “anda tudo ao Deus dará”.

O autarca lamentou sobretudo o não se terem aproveitado os resultados do Congresso de Ourém, uma iniciativa levada a cabo pelo recém eleito PS em 2010 para pensar o concelho. “Foram três dias de trabalho intenso, com muitos técnicos e jovens a colaborarem”, recordou, mas depois “nada aconteceu, nem sequer há uma folha publicada sobre o que resultou daquele encontro”.

Novos projetos são entregues a consultoras, constatou, e ficam-se a aguardar os resultados. “O vazio é um vazio total”. “Penso que poderei contribuir”, admitiu, colocando de seguida a questão “onde é que está Ourém?”. A subregião do Médio Tejo não confere uma “definição concreta” ao território, “o oeste do concelho está condicionado pelo que se passa em Fátima”, cujos benefícios de ser um local de turismo “são para fora do concelho”.

Em resposta aos jornalistas, Sérgio Ribeiro argumentaria também que Fátima tem características demasiado específicas para conseguir integrar um concelho como Ourém. “Fátima nunca cumprirá as regras porque tem características próprias”, defendeu, considerando inevitável que o formato administrativo da cidade volte a discussão. “O Santuário de Fátima tem mais importância em Fátima que o concelho de Ourém”, constatou, defendendo uma unidade de poder local que responda às exigências da realidade.

Sérgio Ribeiro defendeu ainda o regresso das 18 freguesias, para então se discutir melhor a reorganização administrativa. O Castelo também precisa de um melhor aproveitamento, comentou, mas “não fazer uma segunda Óbidos, era uma primeira Ourém”.

Sem se alongar muito, a cabeça de lista à assembleia municipal comentou apenas que espera “continuar o bom trabalho”.

Os restantes elementos das listas e eventuais candidaturas às juntas de freguesia serão apresentados em data ainda a definir.

Nas últimas eleições, a CDU obteve 03,15% dos votos, não tendo conquistado nenhum mandato. A Câmara de Ourém foi conquistada pelo PS, com 38,86% dos votos, somando três mandatos. O PSD recebeu 38,35% dos votos, garantindo o mesmo número de mandatos. O movimento independente obteve 11,39% dos votos, ficando com um mandato atribuído.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -