- Publicidade -

Quinta-feira, Janeiro 20, 2022
- Publicidade -

Autárquicas/Médio Tejo | Sabe quanto ganha o seu presidente de Câmara?

*com retificação às 9h51 de 27 de setembro de 2017

- Publicidade -

Em período de campanha eleitoral somam-se os candidatos às Câmaras Municipais da região. Mas qual é afinal o ordenado do presidente da Câmara? O montante muda consoante o número de eleitores do município, com apenas um concelho, Ourém, a ultrapassar a fasquia dos 40 mil eleitores, o que o coloca nas remunerações mais próximas de Lisboa e Porto. Metade da região é, porém, constituída pelos presidentes “pobres” do país.

O mediotejo.net cita dados agrupados esta semana pelo Jornal de Notícias, que se guiou pela tabela geral de remunerações dos eleitos locais. A remuneração do presidente de Câmara num município que não atinja os 10 mil eleitores é de 2.899,53 euros. No âmbito do Médio Tejo, encontram-se nesta situação os concelhos de Constância, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha. Acrescem as despesas de representação, que para são de 888,78 euros. Esta faixa remuneratória engloba assim seis dos 13 municípios.

Fonte: Jornal de Notícias
- Publicidade -

O nível seguinte inclui municípios que possuam entre mais de 10 mil e menos de 40 mil eleitores. São os concelhos de Abrantes, Alcanena, Entroncamento, Tomar, Torres Novas e Sertã, cujo presidente aufere 3.261,97 euros, mais 999,88 euros em despesas de representação.

Por fim, apenas Ourém consegue ultrapassar os 40 mil eleitores, o que permite ao seu presidente auferir mensalmente 3.624,41 euros, mais 1.110,97 euros em despesas de representação. Acima desta alínea, mesmo com o dobro ou o triplo da população (ex. Leiria ou Coimbra), apenas os presidentes dos municípios de Lisboa e Porto têm direito a um aumento no ordenado, neste caso 3.986,85 euros mais 1.222,07 euros para despesas de representação.

- Publicidade -

O ordenado de um presidente de Câmara na região ronda, assim, os 3 mil euros.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. É mal contada a história dos proventos dos autarcas. Falta adicionar várias remunerações variáveis, que aumentam em muito o que foi dito. Imprensa a sério é o que todos precisamos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome