- Publicidade -

Quarta-feira, Janeiro 26, 2022
- Publicidade -

Autárquicas/Alcanena | Gabriel Feitor candidata-se “contra o marasmo e a estagnação” (c/vídeo)

O movimento independente Cidadãos Por Alcanena apresentou na sexta-feira, 15 de setembro, todas as suas listas às eleições autárquicas de 1 de outubro. Para além de Gabriel Feitor, já anunciado como candidato à Câmara Municipal, foi apresentado o nome de Rui Anastácio como candidato à presidência da Assembleia Municipal. O movimento, apoiado pelo PSD, CDS e MPT – Partido da Terra, concorre ainda a quatro freguesias.

- Publicidade -

A apresentação decorreu na praça Marechal Carmona, em Alcanena, ao fim da tarde, na presença do presidente da distrital do PSD, Nuno Serra. Concorrem às juntas de freguesia Luis Veiga, pela união de Alcanena e Vila Moreia, Fernando Ferreira, pela união de Malhou, Louriceira e Espinheiro, Fátima Ramalho, por Minde, e Marlene Carvalho, a Serra de Santo António.

Rui Anastácio é o cabeça de lista à assembleia municipal. No seu discurso apelou ao envolvimento dos cidadãos na vida pública, reconhecendo que atualmente as pessoas “não têm tempo” para participar. Mas “há de facto em Alcanena falta de debate, falta de pluralidade”, referiu, entendendo que há uma “ausência de ambição neste concelho”, onde se faz apenas “uma gestão de dia a dia”. “Precisamos de muito mais ambição”, afirmou, de “massa crítica”.

- Publicidade -

Para a assembleia municipal candidatam-se, por ordem: Rui Anastácio, António Fresco, Maria do Carmo Fernandes, Paulo Frazão, Manuel Paiva, Maria de Lurdes Monteiro, Maria de Luz Manha, Artur Martinho, Otília Abreu, Nuno Marques, Alexandra Gama, Simone Duarte, André Carreira, Tracy Pereira, João Calçada, Pedro Roque Gameiro, Joana Marques, Maria João Caetano, Arménio Duque, Vanessa Jorge, Manuel Mota, Joana Alegre, Samuel Louro, Sara Condinho, António Ferreira, Marcelo Costa, Fabiene Oliveira, Saul Gonçalves, Jorge Flora, Maria João Correia, Celestiano Gameiro, Maria Hélia, Mariana Ganado.

Na sua intervenção, após ler um pequeno trecho de um texto das suas memórias de infância, Gabriel Feitor começou por afirmar que se candidata “contra o marasmo, contra a estagnação, contra o descontentamento e contra a descrença no nosso amado concelho”. “Queremos o nosso concelho com futuro”, salientou.

- Publicidade -

O autarca comprometeu-se desde logo que, em caso de vitória, fará alterações na gestão interna do município, reduzindo o gabinete político. Além disso, “queremos que a assembleia municipal deixe de ser uma caixa de ressonância do executivo”, defendeu.

O programa, apresentado em breve, assenta em cinco vetores: reforço da identidade concelhia, diversificação do tecido económico, melhoraria da qualidade de vida, novas formas de sustentabilidade, município coeso. Gabriel Feitor defendeu a descentralização e a melhoria dos acordos de execução com as freguesias, a criação de medidas de incentivo ao tecido económico, isenção de IMI e IMT para novas empresas, uma Start Up de indústrias criativas, a redução dos preços dos lotes da Zona Industrial de Minde, a resolução dos problemas ambientais através de prospeção de casos de sucesso que possam ser aplicados em Alcanena e incentivos às boas práticas industriais.

A aposta do movimento passa ainda por investir no turismo de natureza, religioso e industrial, assim como uma nova estratégia para a cultura, a organização de um Arquivo Municipal e a abertura do Museu do Curtume. Quer-se ainda fazer escavações arqueológicas na baixa industrializada.

Rui Anastácio concorre à assembleia municipal. Foto: mediotejo.net

Em termos de coesão, deseja-se apostar nas pessoas, com apoios cívicos e sociais, requalificação de estradas, reforço do dispositivo da GNR e melhoria das condições de trabalho e da carreira de Bombeiros. “Não me esconderei no gabinete”, salientou Gabriel Feitor, “não farei perseguições”.

Concorrem à Câmara Municipal, por ordem: Gabriel Feitor, João Silva, Maria João Rodolfo, João Pinto, Ana Cristina Rodrigues, Saul Gonçalves, Vítor Canteiro, Isabel Luís, Pedro Estevães, Jorge Flora, Maria do Carmo Fernandes, Joaquim Ganeiro.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome