- Publicidade -

Terça-feira, Janeiro 18, 2022
- Publicidade -

Autárquicas/Abrantes | PSD apresenta Luís Agostinho em Tramagal (C/VIDEO e FOTOS)

O PSD apresentou este fim de semana a lista candidata à Junta de Freguesia de Tramagal, tendo como cabeça de lista Luís Agostinho e sob o lema ‘Unir Tramagal’, numa tarde tórrida de um sábado que juntou cerca de 60 pessoas para ouvirem as propostas para Tramagal mas também as ideias e os discursos de Rui Mesquita e João Fernandes, candidatos do PSD à Câmara Municipal de Abrantes e Assembleia Municipal, respetivamente.

Na sua intervenção, Luís Agostinho, 44 anos, serralheiro civil de profissão, disse que “a candidatura que aqui hoje apresentamos rege-se pelo seu maior princípio – a União. Sem ela não progredimos. Sem ela não construímos o nosso futuro. Por isso propomo-nos a “Unir Tramagal”. A unir todos os tramagalenses e crucifixenses e construir uma freguesia a uma só voz! Tramagal parou no tempo. Caminhamos a passos largos para a desertificação. E é preciso compreender isso e mudar de rumo”, defendeu.
“O nosso programa eleitoral, marcado por projetos inovadores e sustentáveis, traz-nos uma nova forma de fazer política. Permitir-nos-á uma constante adaptação aos desafios do tempo, assim como nos possibilitará cultivar a harmonia, o bem-estar e a qualidade de vida na nossa comunidade. Queremos honrar os nossos compromissos. E queremos, acima de tudo, uma junta aberta aos cidadãos; uma junta amiga e recetiva; porque a Junta somos todos nós. E como outrora alguém afirmou, “Quando um homem assume uma função pública, deve considerar-se propriedade do público”.
Tendo feito notar que a candidatura apresentará “em devido tempo, o seu programa eleitoral completo”, o candidato do PSD a Tramagal disse que, “para já, a primeira coisa a que nos queremos referir, a este respeito, é aos valores e propósitos em que acreditamos, e que devem estruturar o que nos propomos fazer ao longo dos próximos quatro anos”.
“O primeiro é a União! O Tramagal demonstrou já, inúmeras vezes que a “União faz a força”, e sempre a manteve como valor cimeiro. Os valores da iniciativa, do empreendedorismo, da realização pelo trabalho asseguraram a prosperidade do Tramagal desde sempre. Terá de ser nestes valores que devemos assentar os nossos esforços (…) Afinal, Acreditar é vencer”, afirmou, tendo resumido essas prioridades em três grandes vetores: “a coesão social, a regeneração urbana e industrial, e a competitividade da Vila”.
- Publicidade -

“Independente é ter a liberdade de estar aqui, com esta equipa, trabalhar com eles, vir cá sempre que for preciso!” Com estas palavras Rui Mesquita, candidato do PSD à Câmara de Abrantes, marcou a sua intervenção durante a apresentação da equipa liderada por Luís Agostinho à Junta de Freguesia do Tramagal.

Mesquita elogiou o trabalho desenvolvido pela equipa candidata à freguesia do Tramagal e, apesar de reconhecer o “trabalhado árduo que tem sido feito”, considerou que “o mais importante é que no dia 2 de outubro equipa de Luís Godinho vai fazer tudo o que sabe para transformar esta vila numa vila única do concelho e trazer à ribalta aquilo que ela foi no antigamente”.

- Publicidade -

Referindo-se às intervenções que tem feito nas outras freguesias, Rui Mesquita salientou um dos lemas que o acompanha: “Um dos meu lemas é a independência. Por que é que sou independente? Independência não é só não ter filiação no PSD. Independente é ter a liberdade de estar aqui, hoje, com esta equipa, trabalhar em conjunto com eles, vir cá sempre que for preciso, vir cá para estar com as pessoas, com a população, ver o que precisam, saber o que eles querem”, explicou o candidato à Câmara de Abrantes, parafraseando de seguida o “seu amigo” António Cartaxo: “Não se trata de trabalhar para a população.Trata-se de trabalhar com a população”, frisou.

Rui Mesquita enalteceu a presença, nesta sessão, de alguns candidatos a outras juntas de freguesia. “Hoje temos aqui, para além do futuro presidente da Junta de Freguesia do Tramagal, três futuros presidentes das juntas de Freguesia de Abrantes, Rossio e S. Miguel e de Rio de Moinhos, que fizeram questão de vir apoiar o projeto de Luís Agostinho”, disse Mesquita salientado que a presença destes candidatos  manifesta “o inequívoco apoio e o exemplo de trabalho que queremos para a nossa candidatura. A candidatura não sou eu! A candidatura somos todos. Eu sou o representante de toda a equipa”, afirmou.

- Publicidade -

Antes de terminar a sua intervenção Mesquita referiu-se às áreas da Educação e do Turismo. “A escola vai sair do Tramagal. A decisão é das entidades competentes, Governo, ministério…. mas nós temos de lutar para que a escola se mantenha, para que os jovens continuem a estudar na sua vila, a estudar na sua terra e que não tenham que se deslocar para Abrantes. Nós vamos lutar pela escola aqui, mesmo que não seja da nossa competência”, apelou Rui Mesquita.

Por fim, Mesquita deixa uma pergunta no ar: “há uns meses atrás foi inaugurado o Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira. Quantas pessoas já vieram visitar o museu? No concelho de Abrantes, onde está publicitado o museu, em que freguesias existe publicidade ao museu?”

“Transformar o fácil em difícil faz-se muito bem. Mas transformar o difícil em fácil dá muito trabalho. Inaugurar um museu com toda a pompa e circunstância é fácil, mas trazer cá gente, promover, divulgar o museu, é mais difícil. Para nós vai ser fácil porque o Tramagal, tal como todas as outras freguesias, terão nossa máxima atenção”, concluiu Rui Mesquita.

João Fernandes, por sua vez, candidato do PSD à Assembleia Municipal de Abrantes, disse que “o propósito é acabar com o esquecimento, (…) com uma política que se centra na cidade e condena as freguesias e as pessoas que aí habitam ao esquecimento. Para nós, são 13 freguesias, 1 concelho”, vincou.

“O Tramagal e o Crucifixo são terras de trabalho, ligados, histórica e atualmente à atividade industrial”, lembrou, tendo assegurado que o PSD, “quando ganhar as eleições, irá criar uma escola profissional especialmente focada na formação industrial, principalmente na metalurgia”. O candidato, advogado, disse ainda que o PSD tem um projeto “Viajar em Abrantes, que pretende internacionalizar o concelho…e, entre outros objetivos, atrair turistas para todo o concelho”, tendo acenado aos tramagalenses com a criação de “um jardim japonês” na Vila, numa alusão clara à relação nipónica da fábrica da Mitsubishi com a Vila metalúrgica.

João Fernandes, num discurso fluente e empolgado, rematou com um nova proposta para o lema de candidatura a Tramagal: “deveria ser diferente, deveria ser: com Luís Agostinho não há outro caminho! É a vitória!”.

LISTA PSD A TRAMAGAL:

Luís Agostinho, João Carlos Pio, Ana Aparício, Ana Barralé, Dionísio Correia, Francisco Ferreira, Cristina mergulhão, Carlos Pereira, Carlos Santos, Ana Véstia, Mário Bonacho, Gil Oliveira, Marta Rodrigues, António Ferreira, Jorge Brunheta, Inês Veiga, Carlos Horta Ferreira, e João Vasco.

Fotos: Jorge Santiago

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome