Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Maio 11, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Autárquicas | “Usurpação” do domínio online de António Rodrigues gera indignação a putativo candidato

O domínio online “António Rodrigues 2021” foi registado por outra pessoa ou entidade que não o próprio ex-autarca de Torres Novas, tendo o movimento independente P’la Nossa Terra, que o putativo candidato integra, dado conta publicamente da sua indignação uma vez que tal situação inviabiliza que o torrejano António Rodrigues utilize o endereço online para um contacto de email da sua – ainda hipotética, mas com todos os indícios de que vai avançar –  candidatura independente às autárquicas 2021. O movimento independente aponta o dedo a “uma empresa detida por um elemento pertencente a organização política dominante no concelho”, ou seja, ao PS.

- Publicidade -

A concelhia do PS já veio afirmar em comunicado que não tem nada a ver com o assunto, mas adianta que um dos seus elementos, Nuno Carpentier, pediu a suspensão de mandato da Assembleia Municipal. A luta política pelo lugar de presidente da Câmara de Torres Novas torna-se assim inevitavelmente pública, a seis meses do ato eleitoral, e promete ser animada.

O caso começou com um comunicado do movimento independente P’la Nossa Terra, encabeçado por António Rodrigues, a avançar que o domínio online “António Rodrigues 2021” fora registado por terceiros logo após o anúncio oficial aos torrejanos de que o autarca preparava a candidatura ao município.

- Publicidade -

“Ainda não sendo candidato já foi, no entanto, vítima de usurpação grave indevida, tecnicamente considerada «apropriação abusiva e com má-fé» do email que naquela carta colocou ao dispor dos torrejanos para com ele poderem contactar. Sim, alguém indevidamente foi à pressa, utilizando o nome de António Rodrigues, registar o domínio «António Rodrigues 2021»”, adianta a informação.

“Este grave procedimento que seguirá na justiça os trâmites normais, foi executado por uma empresa detida por um elemento pertencente a organização política dominante no concelho”, referia ainda o mesmo comunicado de imprensa. “Lamenta-se este tipo de comportamento indigno e inapropriado; não é este necessariamente o melhor exemplo e caminho a seguir na campanha autárquica que se avizinha. Não é este um procedimento digno do que somos como Torrejanos. Torres Novas merece mais e muito melhor”, termina.

O movimento P’la Nossa Terra não acusa ninguém diretamente, mas entretanto a concelhia do PS de Torres Novas fez saber em comunicado “que não teve qualquer interferência direta ou indireta no registo de qualquer domínio na internet utilizando nomes ou denominações alheias ou de terceiros”. Manifesta ainda a sua “discordância e repudia qualquer prática de usurpação indevida de registos de domínios na internet”.

A terminar, no mesmo comunicado, o PS informa que “o membro da Assembleia Municipal Nuno Miguel da Silva Cabrita Gomes Carpentier, lhe comunicou nesta data ter enviado para o Presidente da Assembleia Municipal de Torres Novas um pedido de suspensão do seu mandato neste órgão autárquico pelo período de seis meses”.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome