Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Setembro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Autárquicas | MIFT aposta em António Carvalho para “voltar a pôr o Tramagal no mapa” (C/ÁUDIO)

Com o objetivo de revitalizar e dar nova dinâmica ao Tramagal, freguesia do concelho de Abrantes, o professor António José Carvalho anunciou a sua candidatura pelo Movimento Independente Freguesia Tramagal (MIFT) à Junta de Freguesia nas eleições autárquicas do próximo dia 26 de setembro. “Temos que voltar a pôr o Tramagal no mapa por bons motivos”, afirmou.

- Publicidade -

O anúncio da candidatura de António José Carvalho, de 56 anos, decorreu na quinta-feira no cenário ribeirinho do Porto da Barca, junto ao Tejo, no dia em que se ficou a conhecer a data das eleições autárquicas e numa sessão restrita que contou com a presença de duas dezenas de apoiantes, alguns dos quais oriundos de diversos quadrantes políticos.

Na sessão, foram apresentadas as linhas gerais do seu programa de ação para Tramagal, tendo o candidato, que já concorreu em 2017 e ficou então a cerca de 60 votos da vitória, anunciado para outras ocasiões da campanha a apresentação completa da equipa e do programa do MIFT, para o qual disse ainda querer contar com contributos da sociedade, a qual vai auscultar.

Na sessão, António José Carvalho, começou por “endereçar os parabéns à SAT que hoje comemora os seus magníficos 120 anos e é um dos símbolos maiores da nossa comunidade”, tendo ainda feito notar que, naquele dia 1 de julho, foram marcadas pelo Governo as eleições autárquicas para o dia 26 de setembro.

ÁUDIO | DECLARAÇÕES DE ANTÓNIO JOSÉ CARVALHO, CANDIDATO MIFT

“Este encontro que aqui marcámos, em moldes condicionados pela pandemia, num local que diz muito à história da freguesia, procede ao lançamento da candidatura do MIFT à Assembleia de Freguesia de Tramagal, em que de novo me apresento aos nossos concidadãos com vontade de ser o próximo Presidente da Junta de Tramagal”, referiu o candidato, dando conta que se abre assim o período de sensibilização da população para o projeto do MIFT.

“Inicia-se aqui o tempo em que queremos sensibilizar a população para aderirem ao projeto do MIFT. O MIFT é um movimento já com alguma história: há quatro anos, sentimos ser preciso uma nova dinâmica nas nossas terras, iniciámos um trabalho sempre em prol das pessoas, tentando por todos os meios ao nosso alcance contribuir para a melhoria da sua qualidade de vida”, notou, lembrando os resultados de há quatro anos atrás.

“O resultado das eleições de 2017 não nos permitiu implementar as nossas ideias, no entanto, desde então, especialmente na Assembleia de Freguesia (AF), continuamos a tentar por todos os meios ao nosso alcance honrar a confiança dos nossos eleitores, defendendo a cada momento o melhor para todos”.

“Continuamos imbuídos da vontade de ajudar as pessoas e valorizar a freguesia” afirmou, tendo referido que “para o próximo ciclo autárquico muitos problemas continuam por resolver. Temos soluções, focados na ideia de voltarmos a ser uma freguesia atrativa”.

“Temos que voltar a pôr o Tramagal no mapa por bons motivos. É isso que merece a nossa história, mas, principalmente, a nossa população, as empresas e diversas instituições, que queremos ajudar nos seus projetos”, disse, exemplificando com a necessidade de “melhores serviços públicos”.

MIFT apresentou o cabeça de lista à Junta de Freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

“Como Junta, com o nosso trabalho e empenho, daremos o exemplo e lutaremos por justiça e mais atenção dos poderes públicos para a Vila de Tramagal. Nestes próximos quatro anos vai ter especial importância a promoção das nossas escolas como referência regional de qualidade”, afirmou, exemplificando com um projeto educativo de “valorização ao longo da vida”.

Por outro lado, avançou, “partindo do enorme potencial económico que a freguesia revela nos mais diversos setores, especialmente na indústria, iremos também promover de forma sustentável o nosso potencial turístico, como o património, animação, natureza – campo de jogos-piscina”.

“Temos orgulho no Crucifixo e no Tramagal e queremos melhorar as nossas terras projetando-as no futuro. Então vamos lá! Juntos pela nossa freguesia!”, concluiu.

António José Carvalho é o primeiro candidato a ser conhecido à freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

ENTREVISTA A ANTÓNIO JOSÉ CARVALHO, CANDIDATO DO MIFT A TRAMAGAL:

Há 4 anos foi por muito pouco que o MIFT não conseguiu os seus objetivos. O que é que neste mandato ficou por fazer e o que é importante fazer e que leva o MIFT a uma recandidatura?

Há sempre muito por fazer pelo desenvolvimento em todas as situações. No caso do Tramagal, pensamos que o que ficou por fazer foi tirar o Tramagal de um certo ciclo que se vem arrastando de perca de importância da nossa freguesia, falta de atratividade, e da própria imagem que o Tramagal projeta para o exterior. Nós temos de facto, como disse há pouco, uma economia forte, pessoas de trabalho, um território com potencial agrícola e florestal, e depois temos alguns problemas que se eternizam. Os problemas das acessibilidades, que nos condenam, especial as acessibilidades rodoviárias. E depois alguma falta de investimento nos espaços públicos, na própria promoção da localidade, do Tramagal, que enquanto vila merecia outra atenção do poder público.

Como no local onde estamos, por exemplo, o Porto da Barca?

Sim, este espaço do Porto da Barca. O Tejo, o património ambiental que temos é muito interessante para um certo tipo de turismo sustentável que tem cada vez mais adeptos. Todo o Tejo, as margens do Tejo temos 10 kms de margem do Tejo na freguesia e que tem um potencial enorme.

Como se pode voltar a pôr o Tramagal no mapa?

Por exemplo, aí, projetando o Tramagal como uma terra com importância para um Tejo de qualidade. É uma coisa que tentaremos fazer, centrar atividades no Tramagal em torno do rio. Promovê-lo para passeios, caminhadas, até para uso balnear que esperemos que seja possível dentro de curto prazo, até porque é isso que a própria legislação ambiental obriga, que tenhamos água de qualidade a passar aqui e com regime conveniente. E portanto, este é um bom exemplo de espaço que tem potencial e que podemos melhorar. Foi também por aí o simbolismo de virmos aqui a este local fazer a nossa apresentação, condicionados pela COVID, de nos termos de afastar dos lugares mais públicos, mas também tem esse simbolismo de virmos aqui à beira do tejo alertar de certa maneira e promover uma imagem que todos podem ver que é de facto um postal da nossa vila.

As eleições foram então marcadas para 26 de setembro. Como é que o MIFT planeia chegar às pessoas e apresentar as suas propostas, tendo em conta o contexto pandémico que vivemos?

Vamos ter de facto de nos adaptar a essa situação da pandemia, que esperemos que depois desta nova situação que vivemos, que volte a aliviar para as eleições decorrerem dentro de maior normalidade a 26 de setembro. Estamos a 3 meses. Nós teremos outros momentos para a apresentação da própria lista, para apresentação do programa, e iremos também privilegiar as plataformas de redes sociais, a comunicação por vídeo, provavelmente alguns lives que pensamos fazer através da internet, de forma a tentarmos compensar esse afastamento que a pandemia impõe.

A equipa que o acompanha vai ser a mesma ou vão haver alterações?

Vão haver alterações, os processos têm sempre dinâmica. A estrutura da equipa manteve-se de facto operacional ao longo dos 4 anos e a trabalhar sempre para todos, só isso para nós é motivo de orgulho, pois não é fácil para movimentos independentes conseguirem, na oposição, continuar a trabalhar e agregados sempre com a mesma intenção. É de facto um orgulho para nós termos mantido essa estrutura. Em termos de nomes dos candidatos da própria lista, há algumas alterações, a lista também tem hoje muito mais adesão de pessoas que querem participar no processo do que há 4 anos. Temos muitos jovens, felizmente, com vontade de trabalhar e contribuir, e que querem que o Tramagal seja uma freguesia melhor. Portanto temos mudanças mas dentro da mesma continuidade de trabalho feito há 4 anos.

Sendo um movimento independente, se vencer as eleições de 26 de setembro, como vê a relação com a Câmara que não é independente e deverá ser liderada por alguém que representa um partido político?

A relação com a autarquia, será sempre feita na mesma linha em que nos candidatamos e com que nos vamos relacionar com todas as entidades públicas e com todos os agentes, que é pensar no Tramagal, querer o melhor para o Tramagal e defender os projetos para o Tramagal, e justiça na distribuição dos fundos e à atenção que é dada às nossas terras, porque também notamos isso várias vezes, há alguma injustiça na maneira como a freguesia, e até como a valorização vila do Tramagal é feita, pelas nossas autoridades públicas. Portanto, esse ponto é o foco do trabalho. Portanto nós vamos sempre relacionar-nos de forma positiva, com espírito de cooperação, entreajuda e colaboração na procura das soluções, focados no Tramagal, pois é o Tramagal que nós pensamos que precisa de uma força maior. E também porque tendo um Tramagal mais forte – que é uma coisa que às vezes não é entendido – teremos também um concelho muito mais forte. Foi assim no passado e terá que ser assim também no futuro. Um Tramagal forte é um concelho de Abrantes muito mais forte.

MIFT candidata António José Carvalho para “nova dinâmica” da freguesia de Tramagal. Foto: mediotejo.net

Há 4 anos o MIFT não ganhou as eleições por cerca de 60 votos e este ano a junta de freguesia vai ter um novo presidente porque o atual não se pode candidatar por limite de mandatos. Pode ser uma vantagem, no seu entender?

A vantagem é sempre a democracia e o momento da eleição em que as pessoas se apresentam com os seus projetos e as suas pessoas, as candidaturas formulam-se e são apresentadas à população para ela escolher. A vantagem é sempre essa, de haver alternativa democrática e projetos alternativos para as pessoas escolherem. Agora propriamente em termos eleitorais, nem vantagem nem desvantagem, portanto nós temos as nossas ideias, vamos querer que as pessoas adiram às nossas ideias, as compreendam, vamos querer também juntar ainda – e estamos em tempo disso – de sentir quais são os anseios da população e fazer com que esses venham também para o nosso projeto, e no final as eleições decidem-se por votos, sejam 60 ou 10, esperemos que desta vez tenhamos um bocadinho mais de força e consigamos de facto levar para a junta de freguesia a nossa capacidade de trabalho pois achamos que isso seria bastante bom para todos.

António José Carvalho é professor, tem a vida estabilizada, é o rosto mais visível deste movimento independente. O que é que o leva a assumir a candidatura a um cargo de presidente de junta de freguesia?

É gostar muito do Tramagal. E é também, em termos pessoais, o querer pôr em prática a teoria e aquilo que fui fazendo ao longo da minha carreira profissional. Não fui só professor, também já tive outras funções em autarquias, parques naturais, centros de ciência viva, também já desenvolvi projetos no âmbito da iniciativa privada, e o espírito é sempre o mesmo, pôr em prática essa experiência toda e colocar o meu saber ao serviço da comunidade, ao serviço do bem estar das pessoas, ao fim ao cabo, querer que as coisas melhorem, no sentido de nós ao passarmos aqui nas nossas vidas, temos sempre esse sentido de deixar as coisas melhor do que como as encontramos, e é isso que vou tentar sempre fazer.

António José Carvalho, líder do MIFT. Foto arquivo: mediotejo.net

Perfil do candidato do MIFT, António José Carvalho

– Licenciado em Geografia e Planeamento Regional, pós-graduado em planeamento Ambiental e Ordenamento do Território, especializado em Políticas de Ambiente.

– Professor de Geografia no ensino Básico, secundário e de disciplinas de ambiente no ensino superior.

Outras experiências:

– Exerceu como Técnico Superior no Centro Ciência Viva do Algarve, onde coordenou diversos Projetos de divulgação cientifica.

– Exerceu como Técnico Superior do Parque da Ria Formosa, onde coordenou a elaboração do plano, Projetos Europeus de animação local para a criação de emprego e projetos de redes de ciclovias.

– Exerceu como Diretor os Departamentos de Planeamento e Urbanismo, Obras Municipais e Serviços Urbanos na Câmara Municipal de Vila Real Santo António.

– Exerceu consultoria nas áreas do Ordenamento do Território, Ambiente e na realização de eventos.

– Membro de diversas Associações, é fundador e coautor do blog://tramagal.blogspot.com

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome