Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Autárquicas | Cília Seixo é a candidata do PS à Câmara Municipal de Ourém (c/áudio)

O PS vai recandidatar a vereadora Cília Seixo à Câmara de Ourém, após o cabeça de lista anunciado, o deputado António Gameiro, que era presidente da Concelhia, ter retirado a candidatura e pedido a demissão da estrutura partidária. Hugo Costa, presidente da Federação Distrital do PS elogiou a qualidade da candidatura a Ourém ao passo que Cília Seixo afirmou que é de novo candidata porque “o PS tem um projeto para o concelho”. 

- Publicidade -

“Sou recandidata e isso foi confirmado na quinta-feira, na reunião da Concelhia, por unanimidade”, afirmou Lusa Cília Seixo, de 59 anos, professora e psicóloga clínica, e agora presidente da Concelhia de Ourém do PS. “Candidato-me porque devo isso aos militantes, simpatizantes, apoiantes e aos ourienses em geral. Candidato-me porque Ourém precisa de uma alternativa política séria, credível e comprometida com o desenvolvimento do concelho, e porque percebo o potencial do concelho e quero contribuir para a sua afirmação em termos nacionais e internacionais”, continuou Cília Seixo.

ÁUDIO: CÍLIA SEIXO, CANDIDATA DO PS À CM OURÉM:

- Publicidade -

 

A cabeça de lista adiantou que o projeto estratégico de desenvolvimento que tem para Ourém, assenta em vários fatores. “Queremos um concelho competitivo no panorama nacional, como polo de inovação e desenvolvimento. Queremos um concelho que, através de Fátima, adquira dimensão mundial e que se torne atrativo não apenas em termos turísticos, mas de qualidade de vida, de modo a atrair famílias para as freguesias do norte do concelho que têm um potencial em termos ambientais e paisagísticos e de identidade que deve ser promovido”, salientou.

Para Cília Seixo, que é psicóloga, professora e residente em Fátima, o objetivo é “um concelho de excelência na cultura, educação e do ponto vista social”.

Sobre o balanço que faz da governação municipal, a candidata considerou que o executivo, de coligação PSD/CDS-PP, “faz praticamente uma gestão corrente”, notando que este tem colocado “em prática projetos que tinham sido deixados em aberto ou planeados pelo anterior executivo [do PS]”, como a requalificação do Cineteatro, do Castelo ou da avenida que atravessa a cidade de Ourém.

Acusando o atual executivo “de falta de uma visão estratégica de futuro”, a socialista observou que “as coisas são feitas em termos do imediato, mas não há um projeto definido a longo prazo para o concelho”.

Segundo Cília Seixo, “este executivo não tem um rumo claro para o futuro do concelho”, tendo falhado “redondamente na atração de novas empresas, no projeto de incubação ‘startup’ e na criação de emprego”, destacando que “uma das promessas eleitorais era criar 3.000 empregos”.

Para a socialista, uma vitória nas eleições autárquicas é “melhorar os resultados nas últimas eleições”.

Em declarações ao mediotejo.net, a autarca afirmou que entendeu ser seu “dever” assumir a candidatura após a desistência de António Gameiro, continuando assim o projeto do PS no concelho. Sentiu “essa obrigação com as pessoas, com o PS de Ourém, porque me importo que haja uma alternativa”.

Numa altura em que apenas falta conhecer oficialmente o candidato(a) do PS à Câmara de Mação, na região do Médio Tejo, Hugo Costa, presidente da Federação do PS de Santarém, comentou a candidatura de Cília Seixo a Ourém, destacou um projeto que assenta na experiência da atual vereadora e nos seus conhecimentos dos vários dossiers, tendo comentado ainda a saída de António Gameiro e os objetivos do PS para estas eleições.

ÁUDIO: HUGO COSTA, PRESIDENTE FEDERAÇÃO PS DE SANTARÉM: 

Com uma campanha ainda incerta e sem adiantar quando serão apresentados todos os candidatos, Cília Seixo deixou apenas a garantia que pretende “melhor os resultados de 2017”.

Nas eleições autárquicas de 2009 e 2013, Cília Seixo integrou a lista do PS à Assembleia Municipal de Ourém, tendo sido eleita.

No sufrágio de 2017, Cília Seixo era a número dois da lista socialista liderada pelo então presidente da câmara, Paulo Fonseca. Como este foi impedido de se recandidatar pelo Tribunal Constitucional, Cília Seixo acabou por ser a cabeça de lista.

Este mês, o deputado António Gameiro, que era também presidente da Concelhia de Ourém, foi anunciado como cabeça de lista. Por ser suspeito na “Operação Triângulo”, que levou à detenção da então presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita (PSD), de dois empresários e de um trabalhador da Administração Pública, António Gameiro retirou a candidatura e apresentou a demissão da Concelhia.

Questionada sobre o facto de ter sido de novo a segunda escolha do partido à câmara, Cília Seixo respondeu: “Ao longo do último ano eu fui, insistentemente, sondada para ser cabeça de lista. Porque achava que o António Gameiro tinha um conhecimento político e do concelho que representava uma mais-valia, apoiei a candidatura dele e fazia parte da sua lista”.

“Dada a impossibilidade, e por uma questão de dever e de respeito para com todos, decidi liderar esta lista. Há uma mudança no cabeça de lista, mas a equipa mantém-se”, garantiu.

A coligação PSD/CDS-PP governa o município, que conquistou ao PS nas autárquicas de 2017, ao alcançar quatro mandatos, enquanto os socialistas tiveram os restantes três.

São também candidatos Élio Paulo (Chega), Anabela Pereira (MOVE – Movimento Independente) e Luís Albuquerque (PSD-CDS).

C/LUSA

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome