Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Autárquicas | António Rodrigues apresenta estudo prévio para três novas avenidas em Torres Novas

O candidato independente à Câmara Municipal de Torres Novas, António Rodrigues, apresentou a primeira do conjunto de propostas do seu programa eleitoral. A “estratégia de coesão territorial”, conforme denominou, assenta num estudo prévio para a requalificação das atuais estradas do Bom Amor, Sapeira (Meia Via) e a Nacional 243 entre o Torreshopping e Riachos, transformando-as em avenidas com passeios e ciclovias. Para o ex-presidente da Câmara, Torres Novas tem que ter condições para competir com os concelhos vizinhos e assim atrair investimento. 

- Publicidade -

Numa conferência de imprensa na segunda-feira, dia 9 de junho, o candidato do movimento P’la Nossa Terra adiantou que até ao ato eleitoral vai realizar vários momentos semelhantes, em que dará a conhecer as suas propostas.

“Uma das coisas que mais me tem preocupado é o afastamento do investimento” do concelho torrejano, começou. Para o ex-autarca, a conjuntura atual é de competição a vários níveis, das meras freguesias aos países, e “Torres Novas faz parte dessa competição”. Para Rodrigues, é inclusive “desejável que haja disputa entre municípios”, por forma a potenciar as próprias estratégias intermunicipais e evitar situações de submissão.

- Publicidade -

Para entrar neste domínio, defendeu, Torres Novas precisa de ter “noção de coesão territorial” e para tal é necessária uma estratégia e o devido planeamento. Neste sentido, a equipa do candidato fez um diagnóstico ao território, identificando problemas e apresentando um estudo prévio com uma proposta de solução.

Segundo António Rodrigues, não obstante Riachos e Meia Via possuam uma parte significativa da população do concelho, a vila e a aldeia estão afastadas do perímetro urbano da cidade de Torres Novas.

A “pensar no futuro” e na necessidade de uma estratégia de coesão territorial que transforme o concelho num território com qualidade de vida, o autarca apresentou assim a ideia de criar três novas avenidas, devidamente equipadas com passeios e ciclovias, que sejam vias unificadoras entre a cidade e as suas zonas industriais.

As avenidas nascerão da requalificação das estradas do Bom Amor (saída norte de Torres Novas), Sapeira (estrada da Meia Via) e dos vários troços da Nacional 243 entre o Torreshopping e Riachos (acesso principal a Riachos). O projeto ascende aos 8 milhões de euros, mas Rodrigues garante que ainda há fundos comunitários disponíveis no Portugal 2020, para além do Portugal 2030 e do Plano de Recuperação e Resiliência. 

“O que estamos a apresentar é positivo”, salientou, possibilitando que se faça estes percursos em segurança, a pé ou de bicicleta. Sobre as críticas de que algumas destas ideias já têm projetos concluídos, Rodrigues afirmou que ainda não viu nada e que o seu projeto será feito por pessoas da região e não por gente em Lisboa.

As três avenidas são necessárias mesmo sem fundos europeus disponíveis, frisou, considerando que são estruturas que fazem falta à população e às empresas. “Torres Novas tem que ser a melhor terra para viver, para trabalhar e para estudar”, concluiu.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome