Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Autárquicas 2021 | Resumo do debate entre os candidatos do Entroncamento

A questão da segurança foi o tema mais discutido entre os candidatos à Câmara Municipal de Entroncamento nas Eleições Autárquicas, no debate que se realizou a 14 de setembro. Nos estúdios de televisão da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes estiveram Álvaro Góis Santos (BE), Diamantino Graça (Chega), Pedro Gonçalves (CDS) e Rui Madeira (PSD). Jorge Faria (PS), por “motivos de saúde”, participou no debate por vídeochamada, enquanto Telma Jorge (CDU) não marcou presença alegando “motivos de força maior”.

- Publicidade -

Jorge Faria (PS) 64 anos. Com um percurso de gestor e dirigente em diversas empresas nacionais, é administrador não executivo nas Águas de Vale do Tejo e na Fundação Museu Nacional Ferroviário. É também presidente da Câmara Municipal do Entroncamento desde 2013.

Rui Madeira Claudino (PSD) 61 anos. É professor auxiliar do quadro da Faculdade de Motricidade Humana, em Lisboa.

- Publicidade -

Pedro Gonçalves (CDS-PP) 42 anos. Foi consultor de segurança e é membro dos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia do Entroncamento e da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários.

Álvaro Góis Santos (BE) 48 anos. É gestor de projetos e responsável de comunicação e marketing digital.

Telma Jorge (CDU) 49 anos. Desempenha funções de gerente.

Diamantino Graça (Chega) 55 anos. Empresário na área de mediação de seguros.

Segurança, segurança, segurança. Foi o tema que mais tempo ocupou na discussão entre todos os candidatos, apesar de existir um aparente consenso entre todos os partidos, reforçando a ideia de que são necessárias medidas adicionais para travar o aumento da criminalidade – ou da crescente sensação de insegurança – na cidade.

Só o cabeça de lista do Bloco de Esquerda, Álvaro Góis Santos, contrariou um pouco o discurso, frisando que os números oficiais não suportam a narrativa do aumento de crimes, embora exista, em seu entender, um claro aumento do sentimento de insegurança na população, e que é necessário lidar com essa questão. Por vezes, referiu, há coisas simples a fazer, como combater os atos de vandalismo ou cuidando mais da cidade, sem a deixar ficar “desleixada”. Vidros partidos, ruas sujas ou paredes pinchadas, lembrou, aumentam a sensação de insegurança e de repulsa do espaço público, como comprovam diversos estudos.

Por parte do CDS, o candidato Pedro Gonçalves afirmou que é necessária uma segurança sem ser autoritária, mencionando uma segurança intrínseca que comece na base, tendo o candidato assumido que a sua primeira ação, caso seja eleito, é a de marcar “imediatamente” uma reunião com o Ministro da Administração Interna, no sentido de tentar resolver o “paradigma” que existe, com a falta de condições na esquadra e o reforço de pessoal. Frisou ainda a intenção de criar um gabinete de apoio à vitima com a função de receber queixas e entregá-las ao ministério público, auxiliando ao mesmo tempo as vítimas, no que em termos de apoio jurídico e psicológico diz respeito. Outra proposta complementar, é a da instalação de uma rede de videovigilância na cidade.

Rui Madeira (PSD), diz que concorre para “quebrar este ciclo de insegurança que se vem arrastando há demasiado tempo”, assim como quebrar “um ciclo em que os planos não são aprovados e não há planos para um desenvolvimento estratégico da cidade”. Começou também por lamentar a ausência em estúdio de Jorge Faria (que participou em videoconferência por “motivos de saúde”), e criticou a hesitação sentida na sua recandidatura – uma vez que Jorge Faria se retirou para dias mais tarde voltar à corrida eleitoral – acusações que o candidato do PS repudiou e recusou comentar: “Acho que estamos aqui para debater ideias pela nossa cidade.”

No que toca em medidas concretas relativamente à questão da segurança, Rui Madeira falou na criação de um gabinete de segurança especializado nestas atividades com os recursos adequados, para trabalhar de modo a identificar estas questões de segurança e aplicar o mesmo tipo de boas práticas como já são aplicadas em outras cidades a nível europeu e mundial, além da criação de um provedor municipal de segurança que será a “interface” com as pessoas do Entroncamento para as ajudar no que for necessário em questões de segurança.

Jorge Faria (PS) disse que o Entroncamento tem já há muito tempo alguns problemas associados à insegurança, mas afirmou que há uma perceção de insegurança muito promovida por algumas intervenções – como, segundo o (re)candidato, algumas que se ouviram no debate – acrescentando que o nível de segurança no concelho é semelhante ao de outras cidades, sendo até mais baixo do que em outras cidades do Médio Tejo. Durante o período de funções do executivo a que preside, disse, “não se fez de conta que o problema não existia”.

Pedro Gonçalves, da CDS-PP, insurgiu-se e pediu a palavra após a intervenção de Jorge Faria, atual presidente da câmara e recandidato pelo PS, dizendo-se surpreendido com a sua “súbita” preocupação com o tema. “Durante anos levei este assunto à Assembleia Municipal e chamaram-me alarmista, populista… e agora já reconhecem que há um problema. Fico contente mas, ao mesmo tempo, não me sentiria bem comigo mesmo se não chamasse a atenção para esta incoerência [de Jorge Faria].”

Além da segurança – onde se englobou a “urgência” da construção de uma nova esquadra da PSP – foram igualmente debatidos temas relacionados com a descentralização de competências e a educação. Também a ferrovia não pôde deixar de ser tema de debate entre os candidatos ao município, sendo referida a necessidade de fazer melhorias na estação existente e de potenciar o interface do comboio com a zona industrial, para o transporte de mercadorias.

“Acabar com algum possível intento de corrupção, compadrio e alguns jogos de interesse que podem popular na cidade do Entroncamento”, foi o que, nas palavras do próprio, motivou a candidatura de Diamantino Graça pelo partido Chega. O candidato comprometeu-se em pedir auditorias a “dossiers mal explicados”, de obras em curso, projetos já efetuados e, na sua opinião, “feridos de morte”.

Jorge Faria exigiu que o candidato do Chega fizesse chegar às autoridades policiais os casos de que tivesse conhecimento, lamentando “o tipo” de insinuações levantadas.

Na sua recandidatura, disse Jorge Faria, o seu comprometimento é “o de um continuar do trabalho feito” até ao momento, nomeadamente através de um conjunto de desafios na regeneração urbana, da continuação da recuperação do património ferroviário, do desenvolvimento económico através da captação de mais empresas e criação de mais postos de trabalho – aliás, o candidato do PS comprometeu-se com a criação de 500 novos postos de trabalho diretos.

Álvaro Góis Santos (BE), cujas maiores preocupações assentam em três eixos principais, nomeadamente o ambiente, a criatividade e a segurança, disse que é necessário aproveitar o embalo da ferrovia e aproveitá-la como âncora para o turismo e questões ambientais, concretizando, em termos de medidas, a realização de eventos de arte, literatura e criatividade em torno do tema da ferrovia.

Sobre o tema, Jorge Faria mencionou os vários apoios e as várias iniciativas atuais em torno da valorização da ferrovia (casos do Festival a Vapor e RailFest, entre outros) como elemento diferenciador do Entroncamento, enquanto o candidato do CDS defendeu a criação de um “verdadeiro terminal multimodal no Entroncamento”.

Diamantino Graça (Chega) sugeriu a criação de um pacto turístico entre o Entroncamento e Tomar, através da utilização um comboio a vapor entre as duas cidades, propiciando uma visita ao Museu Ferroviário no Entroncamento e outra ao Convento de Cristo, em Tomar.

Pode ver o debate na íntegra no nosso Canal de YouTube:

ENTRONCAMENTO

Fonte: Pordata

O Entroncamento tem atualmente 20.140 habitantes e 16.973 eleitores, distribuídos por duas freguesias: São João Baptista e Nossa Senhora de Fátima. É o concelho do Médio Tejo que menos população perdeu na última década, com um decréscimo de 0,3%.

Historicamente ligado à ferrovia, setor que marca a economia, tem uma taxa de desemprego de 3,6%, abaixo da média nacional.

Na esfera política, desde as primeiras eleições livres, em 1976, tem sido o Partido Socialista aquele que tem estado maioritariamente no poder, apenas perdendo três mandatos para o PSD (2001, 2005 e 2009).

Em 2013, o PS recuperou a autarquia mantendo-a também nas últimas eleições autárquicas de 2017 com maioria relativa (45,5% dos votos), com Jorge Faria a ser o presidente do Município nestes últimos 8 anos. Já o PSD foi a segunda força mais votada nas últimas eleições, seguido plo Bloco de Esquerda, CDS-PP E CDU.

Em 2017, o Partido Socialista manteve quatro vereadores na Câmara Municipal, enquanto o PSD aumentou para dois, o Bloco de Esquerda manteve um lugar e a CDU perdeu a representação na Câmara. Nestas eleições, concorre pela primeira vez no Entroncamento o partido Chega, à semelhança daquilo que acontece na maioria dos concelhos da região.

Candidatos no concelho do Entroncamento

PS

Câmara Municipal Jorge Faria
Assembleia Municipal Luís Filipe Antunes
São João Baptista Paulo Gameiro Freitas
Nossa Senhora de Fátima Ezequiel Estrada

PSD

Câmara Municipal Rui Madeira Claudino
Assembleia Municipal Paula Carloto
São João Baptista Teresa Martins
Nossa Senhora de Fátima David Lage

BE

Câmara Municipal Álvaro Góis Santos
Assembleia Municipal Maria do Céu Carvalho
São João Baptista Manuel Borrego
Nossa Senhora de Fátima Rita Marçal 

CDU

Câmara Municipal Telma Jorge
Assembleia Municipal Bruno Melo
São João Baptista Guilhermino Rodrigues
Nossa Senhora de Fátima Margarida Lopes

CDS

Câmara Municipal Pedro Gonçalves
Assembleia Municipal Rosa Teixeira
São João Baptista João Rebelo
Nossa Senhora de Fátima Ana Lomba

Chega

Câmara Municipal Diamantino Graça
Assembleia Municipal Carlos Monteiro

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo. Ávido leitor, não dispensa no entanto um bom filme e um bom serão na companhia dos amigos.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Como consultar e obter informação sobre os candidatos à Câmara e às Freguesias, bem como as respectivas propostas, PROGRAMAS, de todos os Partidos e Coligações à Câmara Municipal de Mação.

    Obrigado.

    . indicação como obter a informação, ou por outro lado, o favor de enviarem as informações para o email: mmpenhascoso@sapo.pt

    Obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome