Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Autárquicas 2021 | Resumo do debate entre os candidatos de Ferreira do Zêzere

Atrair e fixar jovens, apostar no turismo – com enfoque no potencial de Dornes – e promover a melhoria das acessibilidades foram os temas dominantes do debate que juntou à mesa a 15 de setembro os candidatos à Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere nas eleições autárquicas. Num debate que teve lugar nos estúdios de televisão da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, estiveram frente a frente os candidatos António Matos (CDU), Bruno Gomes (PS), Paulo Alcobia Neves (Nós Cidadãos), Hugo Azevedo (PSD/CDS) e Amélia Esteves Caei (Chega).

- Publicidade -

Bruno Gomes (PS) 37 anos, professor de acordeão. Presidente da concelhia socialista há mais de uma década e vereador do PS na Câmara de Ferreira do Zêzere, foi também deputado municipal.

Hugo Azevedo (PSD) 41 anos, engenheiro na Câmara Municipal e Presidente da União de Freguesias de Areias e Pias.

- Publicidade -

Amélia Galinha Caeiro Esteves (Chega) 55 anos, mediadora de seguros. 

Paulo Alcobia Neves (Nós cidadãos) 54 anos, técnico superior de turismo.

António Matos (CDU) 73 anos, aposentado.

Atrair jovens e fixar população. Foi o primeiro tema dominou em cima da mesa entre os candidatos aos destinos da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere. Num debate de duas horas marcado por uma apresentação de ideias para o concelho sem grandes replicações entre candidatos, o tema da qualidade de vida e da necessidade de fixar população – em particular os jovens – gerou consenso enquanto esfera de atuação prioritária, num anseio comum por uma mudança do panorama atual do concelho.

“O que precisamos para atrair mais jovens, população, é emprego. Precisamos de criar condições para que as empresas fiquem no concelho, para que os jovens fiquem no concelho”, começou por dizer Amélia Esteves Caei (Chega), a primeira candidata a tomar a palavra e que apontou a necessidade de mudança de um concelho “parado” como principal motivo da sua candidatura.

Já para António Matos (CDU) o foco prender-se-á com “dar um contributo para melhores condições de vida para quem vive e trabalha em Ferreira do Zêzere”. Qualidade de vida que foi também referida pelo candidato do PS, Bruno Gomes, que deixou claro que a medida prioritária “terá que ser sempre melhorar a qualidade de vida”. “Tudo aquilo que for resolvido será sempre para melhorar a qualidade de vida dos ferreirenses, sempre com proximidade”, sublinhou, admitindo a vontade de tornar o concelho uma “referência regional e nacional”.

Com o candidato da coligação PSD-CDS, Hugo Azevedo, a referir também a necessidade de “estancar a perda de população”, sublinhou no entanto a questão do saneamento como outra das prioridades. “Temos 24% de saneamento, é inadmissível hoje em dia”, referiu. Já a destoar da generalidade dos candidatos, Paulo Alcobia Neves (Nós Cidadãos), que se candidata com a intenção de repor as freguesias extintas em 2014, não elenca uma medida prioritária mas 25 – as que constam do seu programa eleitoral.

Da população passou-se para o turismo, com Amélia Caei (Chega) a reafirmar que a vila está “perdida no tempo”. “Nós não temos nada”, disse, exaltando a necessidade de crescimento turístico, não só na sua vertente rural. A criação de mais praias fluviais, de piscinas exteriores, ciclovias, e o aumento da oferta de desportos náuticos foram as propostas que anunciou e que foram, em parte, ao encontro dos anseios do candidato Hugo Azevedo (PSD-CDS), que defendeu um “plano de salvaguarda para Dornes”, de modo a potenciar o seu valor.

No mesmo sentido, Bruno Gomes (PS) referiu o potencial de Dornes, enumerando lacunas que precisam de resolução imediata como o facto de só existir uma praia fluvial ou uma entrada e saída. Para melhorar o concelho a nível turístico, o candidato do PS vai mais além e propõe a criação de uma incubadora, incluindo startup, virada para o turismo. “Este espaço, que vai ser feito no centro da vila, será também um motor que ajudará todas as empresas que estão ligadas à nossa economia e ao nosso turismo”, afirmou.

Por sua vez, Paulo Alcobia Neves (Nós Cidadãos) admitiu que “Ferreira do Zêzere acordou tardiamente para o turismo”, tendo-se fechado portas que fizeram com que o concelho atualmente, nas palavras do próprio, tenha “demasiadas pocilgas, demasiadas moscas”. Neste âmbito, o candidato propõe a criação de um plano de ordenamento turístico, criação e produtos turísticos locais (inclusive, tornando a EN110 num produto turístico, à semelhança da EN2), recriação de um sírio à moda antiga com os ranchos da região, e a criação de um retail park junto a uma das saídas da A13 que permita criar 300 postos de trabalho.

E precisamente a questão do emprego foi outro dos assuntos em discussão. Apesar da taxa de desemprego no concelho ser inferior a 3%, a necessidade de captar empresas é comum no discurso dos cinco candidatos. No entanto, é nos detalhes que estão as diferenças. Enquanto Amélia Caei (Chega) quer trazer empresas ligadas às tecnologias, António Matos (CDU) defende um maior apoio às micro empresas na agricultura, nomeadamente nas áreas do olival, floresta e pastorícia. “Penso que se se der apoio à oliveira, ao mel, se poderia criar postos de trabalhos [fazendo florescer] a economia do concelho”, assumiu.

Já Hugo Azevedo (PSD-CDS) defende que não são as empresas que têm de vir ao concelho mas “Ferreira do Zêzere é que tem de ir às empresas”, com incentivos fiscais e criação de condições para a sua fixação no território. Por seu turno, Bruno Gomes (PS) sublinha a necessidade criar emprego qualificado, conjuntamente com apoios ao arrendamento habitacional, nomeadamente aos jovens. “Aproveitar esta altura em que vem o Plano de Recuperação e Resiliência e podermos criar condições para quem vive nas zonas metropolitanas possa voltar a Ferreira do Zêzere”, disse.

Os maus cheiros provenientes da laboração agropecuária no concelho foi também tema que gerou consensos, nomeadamente quanto à sua necessidade de resolução. “É de facto um dos maiores problemas”, assumiu Paulo Alcobia Neves (Nós Cidadãos). “90% da área geográfica do concelho cheira mal em todo o lado”, acrescentou António Matos (CDU), com Amélia Caei (Chega) a insistir numa “fiscalização intensiva” das indústrias da área.
Criticando o PSD por “nunca ter sido capaz de fazer com que o PDM [Plano Diretor Municipal] tivesse uma zona só para este tipo de indústria”, Bruno Gomes (PS) propõe a proximidade com os empresários como meio de resolver o problema. Já o candidato da coligação PSD-CDS, Hugo Azevedo, expôs a sua sensibilidade a este problema, convicto de que “comigo este problema vai-se resolver, e a bem”.

Ainda houve tempo para debater a questão das acessibilidades, com a reivindicação de um transporte público gratuito a ser o assunto mais falado, a par da necessidade de requalificação de estradas do concelho, como a EN238.

Na educação, a necessidade de melhores infraestruturas, com a revitalização da Escola Pedro Ferreira, foi ponto assente, a par da atribuição de apoios a alunos e da criação de sinergias para mais formação que responda ao tecido empresarial do concelho.

Já na cultura, é também comum a ideia de que “há muitíssimo a fazer”. Desde a criação de espaços museológicos ao aumento da oferta cultural, foi dado destaque à necessidade de descentralizar eventos por todas as freguesias do concelho.

Recorde o debate na íntegra entre os candidatos à Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere no nosso canal de Youtube:

Ferreira do Zêzere

Fonte: Pordata

Autarquia liderada pelo PSD desde o 25 de abril, este bastião laranja é agora posto à prova numa fase de “fim de ciclo” com o atual presidente, Jacinto Lopes, a afastar-se da política depois de 12 anos como Presidente da Câmara e 16 anos como vereador. Na corrida eleitoral, os candidatos mais bem posicionados para disputar o poder representam uma nova geração de autarcas: Bruno Gomes (PS), 37 anos, e Hugo Azevedo (coligação PSD-CDS), 41 anos.

Resultados de 2017

Candidatos no concelho de Ferreira do Zêzere

PS

Câmara Municipal Bruno Gomes
Assembleia Municipal José Manuel Pinto da Silva Casanova
Ferreira do Zêzere Armando Cotrim
Águas Belas José Pedro Joaquim
Bêco António José Craveiro Carvalho
Chãos Edmundo Martins
Nossa Senhora do Pranto Manuel dos Santos Nunes
Igreja Nova Mário dos Santos Roberto
UF Areias e Pias Vanda Cristina Gonçalves da Silva

PSD-CDS/A Renovação na sua Mão

Câmara Municipal Hugo Azevedo
Assembleia Municipal Inês Ferreira
Ferreira do Zêzere – Sofia Marques
Águas Belas – Alfredo Martins
Bêco – Anabela Morgado
Chãos – Paulo Henriques 
Nossa Senhora do Pranto – Hélio Antunes  
Igreja Nova – António Nunes
UF Areias e Pias – Márcio Cabral

Nós Cidadãos

Câmara Municipal Paulo Alcobia Neves
Assembleia Municipal Luísa Rasteiro
Nossa Senhora do Pranto Maria Manuela Guerreiro

CDU

Câmara Municipal António Matos
Assembleia Municipal Vítor Mendes
Ferreira do Zêzere João Manuel Barreiros
Águas Belas António Matos
UF Areias e Pias Vitor Mendes

Chega

Câmara Municipal Amélia Galinha Caeiro Esteves

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome