PUB

Autarcas do Médio Tejo aprovam moção para estudo de viabilidade de aeroporto regional

Os autarcas da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) aprovaram por unanimidade uma moção que visa avançar para a elaboração dos estudos necessários à implementação de um aeroporto regional para uso civil e militar em Tancos.

PUB

PUB

No texto da moção, pode ler-se que “o aeródromo de Tancos é elemento essencial para a coesão do território do Médio Tejo, Lezíria, Beiras e Alto Alentejo”, tendo sido aprovado pelos autarcas dos 13 municípios “recolher os elementos bastantes dos estudos já efetuados sobre o aeródromo de Tancos, bem como realizar os estudos necessários para a implementação de um aeroporto regional civil-militar” na localidade de Tancos, concelho de Vila Nova da Barquinha.

Além de anunciar o início de um “procedimento para um estudo técnico que permita fazer uma primeira avaliação sobre a viabilidade” do aproveitamento do Aeródromo de Tancos para a implementação de um aeroporto regional, o objetivo da CIMT é “desenvolver, em estreita colaboração com a Instituição Militar, um conjunto de trabalhos e estudos preparatórios que permitam conhecer e avaliar as mais-valias de um eventual aproveitamento do Aeródromo de Tancos para a implementação de um aeroporto regional, como porta de entrada na região através do meio aéreo”.

PUB

O estudo deverá “avaliar a procura, a concorrência, as características técnicas e os custos alocados à construção de um aeroporto regional”.

Os autarcas da CIMT anunciaram ainda ter solicitado um conjunto de reuniões com os ministros da Defesa e das Infraestruturas para “obter uma definição política clara e objetiva sobre o aeródromo de Tancos” e que vão proceder à realização de debates públicos sobre o tema, o primeiro dos quais no dia 05 de fevereiro, às 21:00, no Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha.

O objetivo dos debates é “envolver os empresários, as CIM e os cidadãos nesta causa que defende a construção do aeroporto em Tancos”, deu conta Anabela Freitas, presidente da CIMT, citada na mesma nota.

“Não estamos a competir com ninguém, o que entendemos é que temos uma centralidade, que não é só nacional, é também ibérica, e estamos muito bem servidos por redes rodoviárias e ferroviárias, estando assim reunidas todas as condições para acolher uma infraestrutura deste género”, afirmou.

Por outro lado, o Conselho Intermunicipal do Médio Tejo deliberou ainda por unanimidade “empenhar-se junto da administração central para que esta realize, quanto antes, estudos para a criação de remodelação ou construção de novas infraestruturas tendo em vista o desenvolvimento da região e da coesão nacional contribuindo para atenuar assimetrias de desenvolvimento nas zonas de baixa densidade e tão anunciadas publicamente pelo poder político nacional”.

Foi ainda deliberado que a moção agora aprovada será remetida para apreciação e deliberação às Comunidades Intermunicipais e Assembleias Intermunicipais da Lezíria, do Médio Tejo, das Beiras e do Alto Alentejo, bem como a todos os municípios destas regiões.

Com uma área geográfica de 3.344 quilómetros quadrados, a CIMT integra os concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha (do distrito de Santarém) e Sertã e Vila de Rei (distrito de Castelo Branco), com um total de 247.330 habitantes (censos 2011).

PUB
PUB
Agência Lusa
Agência de Notícias de Portugal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).