Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Atletismo | Atletas da região disputam Europeu em Veneza para veteranos

Susana Estriga, atleta natural de Tramagal, em representação do Sporting Clube de Abrantes (SCA), 18 anos depois de ter sido convocada para representar Portugal na Taça da Europa que decorreu na Lituânia, regressa às provas combinadas (heptatlo) no Europeu de Masters que irá decorrer em Veneza de 5 a 15 de setembro, a par da prova dos 80 metros barreiras, que também irá disputar. Em 2001, a marca que alcançou no heptatlo tornou-a na 8ª melhor atleta portuguesa de sempre e o objetivo de Susana Estriga para este Europeu é lutar pelos dois títulos nas provas que vai disputar. No total, são três os atletas da região que vão estar em Itália.

- Publicidade -

“Estou na luta pelos dois títulos europeus”, disse Susana Estriga ao mediotejo.net, tendo feito notar o nível competitivo do Europeu de Masters. “Estou a treinar em exclusivo para esta competição desde maio”, disse a atleta, tendo dado conta que, devido a uma tendinite no tendão de Aquiles, abdicou dos 400m barreiras.

Susana Estriga (SCA) vai competir nas provas de heptatlo e 80 metros barreiras no escalão F40, Paulo Constantino (Casa do Povo de Alcanena) vai participar no decatlo no escalão M50, e o abrantino António Costa (individual), escalão M50, vai correr a meia maratona.

- Publicidade -

O heptatlo é composto por 80 metros barreiras, salto em altura, lançamento do peso, e 200 metros (no primeiro de prova), salto em comprimento, lançamento do dardo e 800 metros (no segundo dia).

A seleção nacional será composta por 64 atletas neste European Master Athletics, competição onde vão participar atletas de 41 países europeus.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome