Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Atentado/Testemunho: Maria Rosário Pratas, de Constância: “raiva e impotência”

Maria do Rosário Pratas, de Malpique, concelho de Constância, trabalha desde 1992 no Conselho da UE e mora relativamente perto do local onde ocorreram os atentados desta manhã em Bruxelas, na Bélgica, onde o último balanço oficial apontava para 34 mortos e 187 feridos no aeroporto de Zaventem e na estação de metro de Maelbeek.

- Publicidade -

Ao mediotejo.net, Maria do Rosário, 46 anos, relatou o dia que está a viver, retida no seu local de trabalho, com um sentimento misto de raiva e impotência.

“De manhã tudo começou normalmente e hoje excecionalmente até apanhei o metro, coisa que raramente faço.

- Publicidade -

Quando cheguei ao escritório começam as notícias… primeiro o aeroporto. Depois da minha janela comecei a ver muito movimento de polícia, ambulâncias e bombeiros e soubemos que uma outra explosão tinha acontecido na estação de metro Maalbeek aqui bem perto.

BRUXELAS1
Agora (14:30) está tudo demasiado calmo. As reuniões aqui foram anuladas e de momento não se entra nem se sai no/do edifício do Conselho… na rua não há movimento porque todas as estradas aqui à volta foram cortadas.

Voltámos ao nível de segurança 4 (em 4) e as pessoas são aconselhadas a ficar em casa… eu por enquanto tenho que ficar no escritório, já que não podemos sair.

Vivo um sentimento misto de raiva e impotência… caramba, Bruxelas está cheia de polícia e de militares há uma série de meses e como se vê…

rue de la loi-22.03-II
Rua de la Loi: nesta foto vê-se as ambulâncias e à direita uma série de polícias… é onde se encontra a estação de Maalbeek…

Hoje de manhã quando apanhei o metro bem pensei: se acontece aqui? As carruagens cheias de gente…

Toda a gente por aqui pensa que podia ser um de nós e que talvez um de nós esteja entre as vítimas…

Pensamos em ter cuidado mas não há maneira nenhuma de ter cuidado… acontece em qualquer lugar a qualquer hora… daí o sentimento de impotência.

E depois pensamos que a vida tem que continuar e que não podemos dar “a essa gente” o prazer de nos tirar a nossa vida estando vivos.. e continuamos com a nossa vida…

rue de la loi-22.03
Rue de la Loi, umas das ruas mais movimentadas de Bruxelas e onde se situam as instituições europeias. Como se vê, não há movimento, tudo bloqueado.

A minha preocupação em primeiro lugar foi contactar os meus pais e dizer-lhes que estava bem…

Na verdade os meus pais souberam desta situação por mim ao dizer-lhes que estava bem…

Foi agora anunciado que podemos sair se quisermos… mas é uma saída controlada e enquadrada pelo nosso serviço de segurança e pela polícia belga… por enquanto ainda fico no escritório.

Bruxelas já viveu momentos complicados há bem pouco tempo e o sentimento era: não podemos mostrar medo”…

Duas explosões registaram-se hoje de manhã, cerca das 08:00 locais (07:00 em Lisboa), no aeroporto de Zaventem e uma terceira, cerca de uma hora mais tarde, na estação de metro de Maelbeek, perto das instituições europeias.

As três explosões foram qualificadas pelas autoridades belgas como atentados terroristas.

*Testemunho exclusivo de Maria Rosário Pratas ao jornal digital www.mediotejo.net

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Para a Maria do Rosario,um beijo bem grande,e que a força e a coragem de lutar pela vida fora da sua terra a acompanhem sempre!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here