Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Astrónomo Máximo Ferreira debate em Argel “O Tempo e a sua Medição”

O Ministro do Ensino Superior e Investigação Científica e a Diretora do Departamento de Investigação em Ciência e Tecnologia da Argélia, presidiram hoje de manhã à sessão de abertura do Colóquio Internacional sobre “O Tempo e a sua Medição” que decorrerá até à próxima quinta-feira num hotel da capital daquele país do norte de África.

- Publicidade -

Durante três dias, arqueólogos e outros especialistas farão apresentações sobre achados arqueológicos que testemunham o uso de recursos vários para medir o tempo, ao longo de séculos – em particular nas regiões em que povos árabes estiveram presentes – e ainda a revisão de causas e conceitos associados à medição do tempo e suas unidades.

TEMPOIntervenções de especialistas vindos da Turquia, França, Canadá, Marrocos, Itália, Canadá, Síria, Portugal, Canadá e, naturalmente, de Argélia, constituem um painel amplo e variado que abordará uma vasta área das ciências relacionadas com o tema.

- Publicidade -

Portugal está representado por Miguel Pessoa, investigador do Museu de Conímbriga e Diretor do Museu do Rabaçal, e pelo Diretor do Centro Ciência Viva de Constância, Máximo Ferreira, cabendo a ambos apresentar vestígios romanos que envolvem representações associadas às estações do ano, bem como a descrição de técnicas de determinação de orientações em espaços arqueológicos e conceitos de tempo associados aos movimentos da Terra.”

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -