Associação Rotas de Mação preparada para “abrir o concelho ao Mundo”

Foto: mediotejo.net

Os órgãos sociais do grupo “Rotas de Mação” tomaram posse este sábado, dia 3 de outubro, no primeiro ato formal da associação que se encontra em constituição. Esta será uma associação autónoma, tendo como objetivo divulgar, dinamizar e preservar o património natural, cultural, histórico e social do concelho de Mação. Um projeto do povo de Mação, nascido na sociedade civil e fruto do espírito e trabalho que envolveu o ortiguense Leonel Mourato e, por consequência, todos os elementos do grupo de trabalho que se mantêm até hoje.

PUB

O projeto materializa-se através da criação, marcação e dinamização de dezenas de  percursos pedestres, que unificam o território de ponta a ponta, tornando-o um polo de atração turística, convidativo à descoberta dos lugares de interesse em atividades ao ar livre, quer através do pedestrianismo, quer através do geocaching, btt ou todo-o-terreno.

Para o autarca de Mação, Vasco Estrela, esta iniciativa da sociedade civil é já motivo de orgulho na comunidade. “O sucesso das Rotas será o sucesso do concelho de Mação”, afirma, agradecendo o empenho dos voluntários que encabeçaram esta ação em 2018.

PUB

A cerimónia, singela e apenas com presença dos órgãos sociais e autarcas locais de modo a respeitar as diretrizes sobre a pandemia de covid-19, começou com a assinatura de tomada de posse pelo presidente da Assembleia Geral e também diretor do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação, José António Almeida.

José António Almeida foi responsável pela condução da cerimónia, referindo-se ao projeto e à associação que se está a constituir como uma mais-valia para “melhorar a qualidade de vida no concelho”.

PUB
Foto: mediotejo.net

Este que foi um “ato simbólico” assumiu uma “dimensão maior” por ser um passo importante no caminho do desenvolvimento do concelho em diversos fatores.

“Estamos na presença de algo que pode tornar-se muito, muito sério para esta região. Porque está a ser preparado de uma forma muito cuidada e já há bastante tempo (…) Têm sido feitas coisas muito interessantes, aliando conhecimento científico, conhecimento ancestral e popular, que vai ter os seus frutos e muito rapidamente”, afirmou José António Almeida.

O presidente da Assembleia Geral notou a preocupação em “preservar o que é natural e de qualidade” em Mação, lembrando a sua chegada àquele concelho há mais de 30 anos, altura em que lhe passaram a informação sobre o que naquele concelho se distinguia: “os A – Água, ar e azeite”.

José António Almeida frisou ainda a preservação da cultura, História, natureza, a sustentabilidade e o desenvolvimento económico como linhas que têm conduzido a estratégia do projeto das Rotas de Mação.

Por sua vez, Leonel Mourato, mentor e presidente da direção da Associação Rotas de Mação, começou por agradecer o apoio da Câmara Municipal de Mação e o papel de ligação no terreno proporcionado pelas Juntas de freguesia, frisando que não há qualquer envolvimento político ou autárquico no projeto das Rotas.

O presidente da associação lembrou as várias parcerias que têm sucedido, nomeadamente com o ITM, e aquelas que querem ser firmadas nomeadamente com os alunos do Agrupamento de Escolas maçaense.

Foto: mediotejo.net

Leonel Mourato defende o trabalho “com todos de mãos dadas” e que “o futuro em Mação vai ser risonho”.

Na sessão, o autarca Vasco Estrela deixou algumas palavras de apreço e agradecimento pelo empenho e trabalho do grupo de voluntários, e mais concretamente ao mentor do projeto, Leonel, que apresentou a ideia e de tudo fez para a levar avante.

Também o edil frisa que não houve aproveitamento político sobre o projeto das Rotas, e que já estava prevista a criação da associação, para que ganhasse autonomia.

O presidente da Câmara volta a deixar claro que a autarquia irá cumprir com o protocolo assinado, com “cumprimento integral” independentemente da criação da associação.

Vasco Estrela deseja sorte à Associação, nomeadamente quanto ao plano que pretende interagir e integrar os produtores locais, os agentes de restauração e hotelaria/alojamentos locais, crendo que não será tarefa fácil.

O autarca reconhece lamentar o pouco aproveitamento dos produtos locais para divulgação da identidade maçaense por parte dos empresários, lembrando ainda que a Carta Gastronómica “À Mesa em Mação”, lançada em 2012 e que em 2014 venceu o Prémio de Literatura Gastronómica em Paris, foi entregue a todos com receitas e tradições que poderiam ser integradas nas ementas.

“Custa-me isso. Já o disse. É uma pena que não tenhamos orgulho naquilo que é nosso, que é fator diferenciador, que é aquilo que as pessoas procuram. Os empresários são donos do seu negócio, eles é que sabem. Mas às vezes não se podem queixar quando têm à sua disposição meios para eventualmente as coisas correrem melhor, e depois não as utilizam. Espero que as Rotas de Mação tenham melhor sorte, da parte da Câmara também aí terão todo o apoio que necessitarem”, aponta.

O processo vai a meio, pois ainda faltam marcar muitos mais percursos pedestres dos 15 previstos, mas o autarca desejou que a associação e os membros “sigam o seu caminho, com a independência que têm tido” sabendo que poderá encontrar-se entraves pelo meio. “O sucesso das Rotas será o sucesso do concelho de Mação, e é para isso que todos nós trabalhamos”, conclui, deixando votos de boa sorte na continuidade do projeto.

A associação assenta para já num instrumento de divulgação e comunicação, que é o portal online www.rotasdemacao.pt. “É um portal com interface bastante agradável e acessível”, afirmou Leonel Mourato num breve apresentação do site.

Também foi apresentado um dos próximos objetivos de trabalho, que se prende com criação de uma equipa multidisciplinar com elementos das Rotas, da CM Mação e das escolas, responsáveis pelo contacto com os agentes económicos da área dos alojamentos locais e restauração, seguindo-se reuniões para apresentação do projeto.

“Temos de lhes fazer perceber que eles podem ganhar com as Rotas e que nós podemos ganhar com a restauração/alojamentos”, menciona.

Foto: mediotejo.net

Outra situação a ser trabalhada é junto dos produtos e produtores locais, estando a ser feito levantamento para permitir que entre os restaurantes, os alojamentos e os produtores haja ligação, dando visibilidade a quem produz e incentivando a sua venda/consumo nos estabelecimentos do concelho.

“Faz todo o sentido que, por exemplo, pequenos potes de mel sejam oferecidos nos restaurantes ou nos alojamentos, para que o turista quando sai de Mação, leve Mação no coração”, explica.

Outro ponto de trabalho prende-se com a sustentabilidade e recuperação dos ecossistemas. “Está na nossa génese. Infelizmente mais de 98% da floresta ardeu nos últimos incêndios, não é fácil levantar um concelho completamente ardido e derretido (…) Começámos do zero”, nota.

Pretende-se além de “abrir o concelho ao mundo”, defender os locais de interesse e espaços que serão identificados por uma equipa durante o ano 2021, para que se possam fazer intervenções e eventos de natureza que incluam recolha de lixo e limpeza da envolvente. Exemplo de preocupação neste âmbito prende-se com o Pego da Rainha, em Envendos, que teve grande projeção nos últimos anos e que tem acolhido centenas de visitantes, que ali têm relevado marcas da presença humana. Algo a que a Associação Rotas de Mação está sensível, nomeadamente por se situar em propriedade privada.

Quanto à recuperação dos ecossistemas, pretende-se estudar hipóteses de dinamização de ações de reflorestação e criação de projetos de cultivo/plantação de espécies autóctones que vinguem e sejam resistentes em locais despidos de árvores.

Leonel Mourato, o mentor do projeto Rotas de Mação e presidente da direção da Associação em constituição, não escondeu o entusiasmo com este passo da tomada de posse. Foto: mediotejo.net

Na componente pedagógica/educação, pretende-se o contributo dos alunos do AEVH para recolha de tradição oral e popular, bem como lendas e histórias associadas às aldeias. “A ideia é colocarmos os alunos a fazerem recolhas através de entrevistas aos mais idosos. Fazer com que este património não se perca”, diz.

A aplicação para dispositivos móveis continua em desenvolvimento e está a ser testada. Vai permitir consulta de mapas interativos em tempo real, informação sobre pontos de interesse e dos percursos pedestres.

O Plano de Socorro é pioneiro a nível nacional, e tem sido a grande aposta, com marcação das balizas de socorro ao longo dos percursos pedestres, que estão georreferenciadas. “O turista do futuro vai dar prioridade à segurança”, afirma Leonel Mourato, entendendo que esta é uma aposta que tinha de ser feita.

Ainda há muito trabalho pela frente, e a associação ganha agora balanço para começar a queimar etapas, ganhando força a nível institucional, socioeconómico e cultural. A ambição passa por deixar um legado às gerações do futuro, e que os jovens maçaenses tenham cada vez mais orgulho de Mação.

Órgãos sociais para o quadriénio de 2021-2025:
Mesa da Assembleia Geral – Presidente: José António Almeida (Ortiga); Vice-presidente: Jorge Delgado (Roda, Cardigos); 1º Secretário| Nuno Gaspar (Castelo-Mação); 2º Secretário: Gonçalo Lobato (Castelo-Mação)
Direção – Presidente: Leonel Mourato (Ortiga); Vice-presidente: Jorge Lemos (Envendos); Tesoureiro: Rui Moleiro (Ortiga); Secretário: Carmelinda Marques (Penhascoso); Vogal: Regina Dinis (Amêndoa); Vogal: Berta Silva Lopes (Queixoperra); Vogal: João Fernandes (Mação)
Conselho Fiscal – Presidente: Rui Murta (São José das Matas); Vice-presidente: Joel Marcão (Ortiga); Vogal: Andreia Lourenço (Aboboreira)
O Conselho Consultivo é constituído pelo Agrupamento Escolas Verde Horizonte de Mação, pelo Instituto Politécnico de Tomar, Instituto Terra e Memória e Associação Ares do Pinhal.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here