Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Associação Rotas de Mação integra programa de filantropia da Microsoft

A Associação Rotas de Mação passou a integrar um programa de filantropia da Microsoft para organizações sem fins lucrativos e que tenham impacto social nos territórios onde operam. Esta parceria fornece gratuitamente ou a custos reduzidos ferramentas e material da multinacional à associação, nomeadamente dando apoio no suporte digital, desde o portal, à nuvem de dados do projeto e à aplicação móvel, que são elementos de divulgação e complemento ao projeto que vai muito além da criação e marcação de percursos pedestres.

- Publicidade -

A associação maçaense teve que se submeter a candidatura e a um processo para atestar a sua idoneidade, tendo sido considerada elegível. A notícia chegou na terça-feira, dia 20 de abril, através de e-mail, onde a Microsoft confirmou que a Associação Rotas de Mação (ARM) foi aceite no âmbito do programa Microsoft Philanthropies Tech for Social Impact.

“Tivemos de nos candidatar, estar sujeitos a avaliação do nosso rating, da idoneidade, da credibilidade da associação, com muita documentação, preenchendo um conjunto de requisitos”, explica Leonel Mourato, presidente da direção da ARM.

- Publicidade -

Leonel Mourato apontou que esta parceria assenta no apoio a organizações sem fins lucrativos com missões e causas sociais.

“Desde que exista notoriedade da associação em prol do desenvolvimento da sua região, pode ser elegível”, referiu, mencionando que entre os apoios surge o acesso gratuito a ferramentas e programas da Microsoft em termos de sistema operativo e de software, bem como a disponibilização de uma nuvem para armazenar todos os dados da associação e que possa ser partilhada por todos os membros da ARM em vez de termos cada um determinados projetos e documentos no seu computador.

Existe ainda um plafond atribuído que permite a aquisição de produtos da empresa, subsidiárias ou parceiros do universo Microsoft.

Miradouro do Castelo Velho da Zimbreira, em Mação. Fotografia: Joaquim Diogo

“Também ficamos visíveis para um conjunto de parceiros deles, onde nos vamos enquadrar. Há um upgrade da credibilidade da Associação Rotas de Mação, que sobe a um patamar de nível mundial. É um passo muito importante, não só ao nível da notoriedade da marca, da credibilidade do projeto e toda a envolvência”, admite o responsável.

O intuito da ARM é continuar em busca de parcerias que venham cimentar a sua credibilidade e notoriedade, possibilitando fortalecer o “currículo” em projetos e candidaturas futuras a apoios.

“As Rotas de Mação não são apenas um projeto para fazer umas caminhadas. Temos iniciativas e projetos pensados, numa estratégia integrada para valorização do território, e por isso temos em mente candidatar a apoios, fundos e projetos de outras instituições, caso da Fundação Calouste Gulbenkian, e temos intenção de estabelecer parcerias, nomeadamente com o Geopark NaturTejo, cujo território é contíguo ao concelho de Mação”, explica o presidente da ARM.

A ideia é ir acumulando “selos” de parcerias que ajudem a promover o trabalho e o projeto da ARM, relembrando por exemplo o protocolo já firmado com o IPT no âmbito educativo e institucional, sob a cátedra da UNESCO, sendo Mação vila da Rede UNESCO das Cidades de Aprendizagem.

“Tudo somado, engrandece a associação e isto era algo pelo qual lutámos muito, e em que nos empenhámos. A chegada desta notícia foi algo magnífico. Nós temos no grupo de voluntários/membros de diversas valências profissionais. Não há um único de nós que saiba tudo, mas em conjunto sabemos e conseguimos alcançar muito. Há um universo de experiências que nos dá uma capacidade de intervenção e afirmação no que fazemos”, assume Leonel Mourato, reafirmando que se trata de um projeto “sério”.

Em termos de trabalho prático, e de acordo com a calendarização da Associação, estão a ser trabalhados os próximos percursos a serem homologados, num trabalho de campo que incidirá sobre os meses de maio e junho.

Azenha do Cavaco/Pego do Morena, após a aldeia de Caratão e já na freguesia de Envendos, integra um dos novos percursos pedestres a homologar. Foto: mediotejo.net

“Em março estivemos a preparar os projetos para apresentar à Federação, dos novos cinco percursos a oficializar, do PR6 ao PR10. EM abril já tivemos validação dos projetos e em maio vamos para o terreno, para marcação dos mesmos. Neste momento a empresa responsável pela sinalética, em Alferrarede, já está a produzi-la”, adianta, referindo que dada a especificidade do território que envolve estes novos percursos deverão também ser construídas pontes de melhorias de acesso, com apoio da Câmara Municipal de Mação, além da desmatação dos trilhos.

Em causa os percursos PR6 – Rota da Amêndoa, PR7 – Rota Casas da Ribeira/Caratão, PR8 – Rota dos Envendos, PR9 – Rota do Penhascoso, PR10 – Rota de Cardigos Praia, que a associação espera que alcancem a homologação pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal durante o verão, apontando para o mês de agosto.

“Vamos ver se conseguimos, pois é muito trabalho. Trata-se de cinco percursos em simultâneo. O nosso objetivo é conseguir ter a homologação em agosto”, conclui o presidente da Associação Rotas de Mação.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome