PUB

“Assar no espeto”, por Armando Fernandes

Se perguntarmos a um qualquer cidadão urbano dado a causas ambientalista qual a utilidade de um espeto, o interpelado caso não se zangue ante a evidência do perguntado dirá: serve para espetar. Se esta pergunta for feita a um jogador de esgrima a resposta é diferente, como o é noutras situações, embora a mais comum para caçadores rurais de caça menor, Mestras cozinheiras e gourmets esclarecidos o espeto serve para assar. Porém, assar no espeto exige sagacidade, vigilância sobre o assado e lenha seca e adequada.

PUB

Se uma peça de carne de vaca deve receber lume forte no início, será um erro fazê-lo a uma ave doméstica e/ou de caça que só fica bem quando o fogo regulado de modo a ser constante e brando. Também a peça de carne de vaca após a fogosa exposição inicial, ganha sapidez recebendo calor ameno e pendular. A carne de vaca gosta e fica melhor quando regada com a gordura que escorre para o tabuleiro e não com o molho propriamente dito.

É importante que a caça menor seja volteada no espeto a fim de todas as partes receberem o mesmo impacto do calor. No tocante a truques e acolitamentos no decurso das assaduras manda a prudência não interferir nas tarefas de quem assa, para o bem e para o mal (especialmente quando a peça fica esturricada ou encruada), pois os pruridos são muitos e os egos ficam susceptíveis a arranharem a epiderme.

PUB

O mesmo reparo me parece ajustado fazer no que tange a molhos, guarnições e acompanhamentos. Imaginem a intensidade de uma discussão entre um adepto do molho verde e outro entusiasta do molho vilão!

PUB
PUB
Armando Fernandes
Armando Fernandes é um gastrónomo dedicado, estudioso das raízes culturais do que chega à nossa mesa. Já publicou vários livros sobre o tema e o seu "À Mesa em Mação", editado em 2014, ganhou o Prémio Internacional de Literatura Gastronómica ("Prix de la Littérature Gastronomique"), atribuído em Paris. Escreve no mediotejo.net aos domingos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).