Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Aprendizagem ao longo da vida ultrapassa os três milhões de adultos

Mais de três milhões de adultos participaram, em 2016, em atividades de aprendizagem ao longo da vida, mais cerca de um milhão do que em 2007, revela o Inquérito à Educação e Formação de Adultos do INE, agora divulgado.

- Publicidade -

Este aumento representa um crescimento de 20 pontos percentuais numa década, já que o número de pessoas que participou em atividades de aprendizagem ao longo da vida (ALV) subiu de 30,9% em 2007 (2,1 milhões) para 50,2% em 2016, (3,2 milhões de pessoas).

“Para o aumento da importância relativa da ALV contribuiu, em maior medida, a participação em educação não formal, cuja proporção duplicou, passando de 23,1% em 2007 para 45,2% em 2016”, refere a publicação “Educação e formação de adultos em Portugal: retrato estatístico de uma década [2007-2016]”.

- Publicidade -

O conceito de aprendizagem ao longo da vida compreende a participação em alguma atividade de educação formal, ministrada em instituições de educação, conducente a um nível de escolaridade, ou não formal – atividade organizada de formação, profissional ou outra, numa dada área de competências, mas que não equivale a um nível de escolaridade.

Em 2016, a grande maioria (86,4%) dos participantes em atividades de educação não formal disse que pelo menos uma das atividades realizadas se relacionava com a atividade profissional.

Relativamente à participação em educação formal, depois de um aumento entre 2007 e 2011 (de 12% para 16,6%), registou-se um decréscimo em 2016 (para 11,3%), adiantam os dados do Instituto Nacional de Estatística.

As taxas de participação em atividades de ALV mais elevadas registaram-se, no ano passado, em Lisboa (56,1%) e na região Centro (52,9%), na população mais jovem (80,7%), nos mais escolarizados (72,6%), nos estudantes (98,1%), nos profissionais mais qualificados (76,1%) e na população com hábitos de leitura.

Os dados do INE salientam ainda a participação em atividades de aprendizagem informal, que mais do que duplicou na última década, alcançando 5,7 milhões de pessoas em 2016 (2,8 em 2007).

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome