- Publicidade -

“Apostar na ferrovia para desenvolver a região”, por Hugo Costa

É uma boa notícia para todos os que habitam no distrito de Santarém: na passada semana foi aprovado, por unanimidade, um projeto de Resolução apresentado pelos deputados do PS do distrito, com vista à modernização da Linha do Norte, no troço entre Santarém e Entroncamento, bem como a resolução do problema das barreiras de Santarém. Foram igualmente aprovados, com a mesma votação, os Projetos do BE e do PSD, possibilitando dar seguimento aquilo que defendo que é uma solução conjunta.

- Publicidade -

Encaro a aposta na ferrovia como uma das mais importantes, uma vez que possibilita ainda mais o desenvolvimento do distrito de Santarém, aumentando a qualidade de vida de todos os que aqui habitam. É por isso que luto. Estamos a falar de uma ferrovia que serve milhares de utentes, e que também é crucial para o país.

A modernização da Linha do Norte, entre Vale de Santarém e Entroncamento, tem sido, desde há muito tempo, alvo de intervenções por parte dos deputados do PS de Santarém que sempre sublinharam que a passagem da linha férrea em Santarém e a localização da estação debatem-se com o grave problema que constituem as barreiras de Santarém, devido à sua instabilidade e deslizamentos de terras frequentes.

- Publicidade -

Outro aspeto de relevo é que tanto a estação de Santarém como a estação do Entroncamento mantêm muito da sua traça e organização inicial, o que muitas vezes conflitua com o elevado tráfego ferroviário. Deste modo, consideramos que a modernização dessas importantes estações é fundamental para o conforto e segurança dos passageiros e para a segurança da circulação ferroviária. Esta é uma aposta também na segurança.

O Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030 prevê um investimento de 165 milhões de euros para renovação de estações e interfaces de passageiros e desenvolvimento de soluções de apoio e suporte à operação e este investimento na Linha do Norte é consensual no distrito de Santarém. Isto mesmo está demonstrado na posição unânime que os autarcas da Lezíria e Médio Tejo têm sobre esta temática. O distrito merece uma ferrovia de qualidade.

De sublinhar que os projetos que foram aprovados irão voltar à Comissão de Economia, Obras Públicas e Habitação para a elaboração de uma versão final única que será posteriormente sujeita a votação. Contudo, estou convicto de que a solução será consensual.

Na passada semana tive ainda a oportunidade de participar na audição conjunta dos Coordenadores Regionais no combate à pandemia da Covid-19. Aproveito para destacar os bons resultados do trabalho dos Coordenadores Regionais e o papel agregador dos mesmos.

Uma nota em particular para o grande trabalho realizado por Duarte Cordeiro, coordenador regional de Lisboa e Vale do Tejo, que abrange o distrito de Santarém. Certamente que, sem a sua intervenção, seria mais difícil o combate à covid-19 na nossa região.

Deputado na Assembleia da República e membro das Comissões de Economia, Inovação e Obras Públicas e Habitação, é também membro da Comissão de Orçamento e Finanças. Diz adorar o Ribatejo e o nosso país. Defende uma política de proximidade junto dos cidadãos. Tem 36 anos, é de Tomar e licenciou-se em Economia pelo ISEG. É membro da Assembleia Municipal de Tomar e da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Tem como temas de interesse a economia, a energia, os transportes, o ambiente e os fundos comunitários.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).