Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Setembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

APELO/TRAMAGAL: Jovem desaparecida deixa mãe em desespero

A estudante Paula Oliveira, de 16 anos, está desaparecida há mais de dois dias do Tramagal (Abrantes) tendo estado com a mãe pela última vez na segunda-feira, dia 9 de maio, à hora de almoço.

- Publicidade -

“Seguiu para a escola aqui em Tramagal por volta das 13:00 de segunda-feira, levou a mochila normal, mas nunca mais regressou a casa até hoje, nem telefona nem me atende as chamadas”, disse a mãe de Paula Oliveira, pedindo, desesperada, que qualquer informação sobre o paradeiro da jovem lhe possa ser transmitido por telefone (912 065 610), mensagem ou através de contacto com as autoridades (GNR – 241 899 010).

Na altura, a jovem estudante, menor de idade, de olhos castanhos, cabelo comprido castanho meio ondulado e cerca de 1,60 metro de altura, “usava leggings pretas e uma camisola preta com bonecos”.

- Publicidade -

“É uma idade difícil, pode ser um namorico mas não sei ao certo o que se passa ou o que lhe possa estar a acontecer. Não sei da minha filha nem consigo contactar com ela e peço a quem saiba de alguma coisa que me diga”, pediu, em aflição.

A mãe desta jovem pediu já o apoio das autoridades tendo afirmado que não notou o desaparecimento de roupas, malas ou outros indícios que levassem a suspeitar de uma fuga premeditada. “Só notei que os fones e o carregador do telemóvel não estavam em casa”, afirmou.

A GNR de Abrantes já mobilizou os meios necessários para tentar localizar a jovem.

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome