Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Apanha da azeitona inspira projeto internacional para festival Bons Sons

Um projeto inspirado na apanha da azeitona venceu o concurso internacional de arquitetura e design lançado pelo Festival Bons Sons, em Tomar, onde a estrutura estará disponível na próxima edição, que decorrerá de 12 a 14 de agosto.

- Publicidade -

“The great gig in the sky” (“O melhor espetáculo no céu”) é o título do projeto que resultou na criação de uma estrutura baseada nas redes de apanha da azeitona, que “serão invertidas e colocadas suspensas sobre balões ancorados ao solo”, criando um toldo ao qual, durante o festival, os visitantes “poderão acrescentar balões, alterando a [sua] forma e dimensão”, divulgou hoje a organização do Festival Bons Sons.

À noite, “a obra torna-se visível graças aos LED acesos dentro dos insufláveis e ao reflexo das luzes do palco”, acrescenta a organização numa nota de imprensa.

- Publicidade -

O projeto vencedor é da autoria do Colletivo Arquipélago, originário de Bari, Itália, e, segundo a organização, foi escolhido entre as 16 propostas que disputaram o concurso, lançado em parceria com a plataforma Ideasforward, que pretendia “dotar o Palco Eira de uma estrutura efémera”, que permitisse simultaneamente “proporcionar conforto aos visitantes, durante o dia, e constituir um objeto icónico da vivência desta edição do Bons Sons”.

De entre projetos da Alemanha, Áustria, Bélgica, França, Itália, Japão, Portugal, Rússia e Suíça, o júri “destacou o envolvimento do público” na solução proposta pelos concorrentes italianos, considerando que esta gerará “uma relação efetiva na sua construção e manutenção”.

“Foi valorizada a relação com o imaginário da Eira e com as tradições agrícolas locais” – nomeadamente a apanha da azeitona – e o facto de se tratar de um “projeto mutável, dinâmico e desafiador devido à imprevisibilidade formal”, pode ler-se no documento.

Em segundo lugar foi escolhida a propostas da equipa de Marc Timo Berg e Rebecca Galley, de Cottbus, Alemanha, com o projeto “Value of being”, uma estrutura que providenciaria sombra e assentos em bandas suspensas, a partir de uma estrutura metálica.

O terceiro lugar foi atribuído a Alice Cardoso e Pedro Barros, de Braga, com o título “Manto Amarelo”, um toldo constituído por fitas amarelas, “numa reinterpretação contemporânea das decorações das festas populares, enfatizando o jogo de luz e sombra criado com o movimento das fitas provocado pelo vento”, explicou a organização do festival.

Os três projetos vencedores e as sete menções honrosas atribuídas pelo júri, bem como todas as propostas concorrentes, vão poder ser apreciadas pelos visitantes, na próxima edição do festival, que decorrerá de 12 a 14 de agosto, na aldeia de Cem Soldos, no concelho de Tomar.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome