Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

António Maio (motos), Luís Engeitado (quads) e Beto Borrego (SSV) vencem Raid TT da Ferraria (c/fotogalerias)

António Maio (Yamaha) nas motos, Luís Engeitado (Yamaha) nos quad e Beto Borrego, navegado por Nuno Abrantes, (Can-Am) nos SSV foram os vencedores do XXXIII Raid Ferraria, terceira etapa do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno Road to Dakar.

- Publicidade -

Suspenso no ano transato devido à pandemia, o Raid da Ferraria já vai na sua 33ª edição e apresentou novidades de monta este ano.

Vista aérea do Hipódromo dos Mourões em Rossio ao Sul do Tejo.

- Publicidade -

A prova, organizada pelo Centro Cultural Recreativo e Desportivo da Ferraria (CCRDF) e pontuável para o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno Road to Dakar, percorreu por três vezes um percurso entre Pego(Abrantes) e Gavião com 120 quilómetros apresentando como novidade a utilização pela primeira vez de estradões no concelho de Ponte de Sor, habitualmente usados na Baja de Portalegre.

Abrantes testemunhou verificações técnicas.

Com mais de 120 inscritos as verificações técnicas e documentais decorreram no dia 03 de setembro no Aquapólis Sul, em Rossio ao Sul do Tejo , cujo parque fechado, no relvado do Hipódromo dos Mourões, dava um colorido pouco habitual uma das salas de visitas da cidade de Abrantes.

Com o percurso a ser percorrido por duas vezes no sábado (240 Km) cedo começaram a sair do parque fechado os pilotos que saíram na frente. Pelas 07H30m já a pacatez da “aldeia das casa baixas” era inundada pelo roncar das potentes máquinas.

Para domingo, 05 de setembro, estavam guardados as últimas emoções com o troço de 120 Km a ser percorrido uma última vez.

Campeão em título Luís Engeitado venceu nos Quads.

Luís Engeitado (Yamaha).

O campeão Luís Engeitado venceu sem dificuldade os três troços seletivos (SS) averbando o segundo triunfo na segunda prova que realiza esta época. O líder do campeonato, Luís Fernandes partiu o motor da sua moto ficando impedido de pontuar, permitindo a Fábio Ferreira (Yamaha) realizar o segundo posto ascendendo a igual posição no campeonato.

O pódio ficou completo com o regressado César Martins em Suzuki. Ricardo Rodrigues em Yamaha venceu a Classe Promoção, numa corrida em que Carlos Reguinga venceu entre os veteranos e Rafael Carvalho entre os juniores.

Classificação:

Fonte: FPAK

 À semelhança dos Quads António Maio não deu hipóteses à concorrência nas Motos.

António Maio (Yamaha).

O campeão António Maio veio à Ferraria fazer o pleno. Além de vencer categoricamente as três especiais, averbou a terceira vitória para o Campeonato em outras tantas provas.

O capitão da GNR não podia estar mais satisfeito: “Foi um início de campeonato bom. Esta paragem do CNTT foi positiva porque pude treinar mais e tudo isto está a surtir efeito. Estou bem fisicamente e nesta prova não tive nenhuma queda nem problemas de maior.Foi uma prova gira e estou muito contente com a prestação da equipa e da mota. Agora vou-me focar no Rali de Marrocos, que é um dos grandes objetivos desta época, e também na prova de Reguengos. Vamos ver se continuamos com esta toada de vitórias no CNTT”, disse à Comunicação Social.

Na segunda posição ficou Bruno Santos (Husqvarna), vencedor da classe TT3 e no degrau mais baixo do pódio ficou o vencedor de TT1, Gustavo Gaudêncio em Honda. Gustavo foi deveras penalizado por não ser piloto prioritário, fruto da sua prolongada ausência de cinco anos sem competir. Sem prólogo para definir a ordem de partida, largou muito de trás e foi obrigado a muitas ultrapassagens, o que no pó dos estradões alentejanos se revelou tarefa ciclópica.

Nos juniores venceu João Duarte (Yamaha) e o regressado João Rato com moto da mesma marca averbou a vitória na Promoção. Paulo Santos e Janaina Sousa, ambos em Honda, triunfaram respetivamente nos veteranos e nas senhoras.

 

Classificação:

Fonte: FPAK

 Plurivencedor na Ferraria em Quads Beto Borrego estreou-se a vencer nos SSV.

Beto Borrego-Nuno Abrantes (Can-Am)

Emocionante! É a palavra que melhor define a corrida dos SSV, como normalmente acontece, com a incerteza a reinar e os tempos muito próximos a deixarem tudo em aberto até ao último metro ao cronómetro. Logo no início se percebeu o forte andamento de Beto Borrego secundado pelos Can-Am de Vítor Santos e de Luís Cidade, além de Mário Franco em Yamaha. Com a oposição a ficar para trás devido a variados problemas Beto Borrego poderia assumir uma folgada liderança. Só também sofreu percalços na parte final de SS1 permitindo ao junior Gonçalo Guerreiro, que apresentou forte andamento batendo o campeão João Dias e João Monteiro. Após os 120 quilómetros da primeira especial a diferença do primeiro para o décimo era de apenas 1m31s!

No segundo Sector Seletivo Alexandre Pinto imprimiu um andamento diabólico, vencendo à frente de Borrego por 17 segundos. Atrás ficavam João Dias e Monteiro. Feitas as contas, no final do primeiro dia Borrego estava na frente de Dias por escasso segundo!

Monteiro assumiu o terceiro posto com Gonçalo Guerreiro a cair para o quarto posto.
Com as expectativas elevadas para os derradeiros 120 Km, Beto Borrego não facilitou e ganhou 23s a Guerreiro e 55 a João Dias que consolidou o segundo degrau do pódio. João Monteiro, com o terceiro posto, manteve a liderança no Campeonato.

Gonçalo Guerreiro venceu nos juniores e Pedro Carvalho em veteranos. No Troféu Stock Fox (veículos quase de série) venceu a dupla José e Pedro Garcia e a Taça Yamaha foi para Luís Caseiro.

Classificações:

Fonte: FPAK

*Com David Belém Pereira (multimédia)

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome