Alunos de Sardoal visitaram bairros problemáticos de Lisboa

No âmbito do tema “celebrando a diversidade”, os alunos do projeto/clube eTwinning de Sardoal realizaram no dia 26 de maio uma visita de estudo aos bairros sociais Cova da Moura (Amadora) e Quinta do Mocho (Loures), na grande Lisboa.

PUB

A comitiva foi composta por 44 pessoas, nomeadamente 35 alunos de vários anos de escolaridade, desde o 7º ao 12º ano e com idades entre os 12 e os 18 anos de idade, para além de 3 professores e 6 encarregados de educação. Foi uma visita de estudo muito ambicionada e esperada pelos alunos do projeto e pode dizer-se que a mesma “não defraudou as expectativas, muito pelo contrário”, segundo a organização.

NEVESDe manhã, os alunos visitaram o Bairro Cova da Moura, com a ajuda da Associação Moinho da Juventude, através dos seus guias Silvino e Inês. Tiveram ocasião de visitar várias instalações da associação com as suas diversas valências e de conhecer o seu gigantesco trabalho em prol da comunidade, com particular relevo para o seu projeto turístico “Sabura” cujo objetivo passa pela tentativa de mudança da imagem do próprio bairro junto da comunicação social.

PUB

Em declarações ao mediotejo.net, os professores coordenadores do clube eTwinning de Sardoal, Pedro Neves e Carmina Nascimento, disseram que os alunos “passearam pelas ruas, contactaram com a população local, e observaram um pequeno mercado de vendedoras ambulantes”, tendo destacado que “o ponto alto da visita foi a atuação dos “Black Lyrics”, um grupo de rap local que atuou gratuitamente no Estúdio Cova M, dando um cheirinho da música e cultura cabo-verdiana e que muito foi do agrado dos alunos”.

NEVES2Depois do almoço, seguiu-se a visita ao Bairro Quinta do Mocho que, à semelhança do primeiro, vive com o estigma social da criminalidade e violência.

PUB

A visita foi organizada pela CM Loures, com a ajuda de guias locais do próprio bairro.

Segundo Pedro Neves, o objetivo desta visita prendeu-se essencialmente com a visita ao GAP (Galeria de Arte Pública), que é atualmente considerada a maior galeria de arte pública da Europa com 51 graffitis, que impressionam pelo seu tamanho e realismo e retratam vários aspetos que marcam o quotidiano da vida do bairro.

NEVES3“Artistas como Vhils, Nomen, Odeith, Bordalo II, Violant e Vespa (só para citar alguns) deixaram as suas obras nas paredes do bairro e com isso conseguiram chamar a atenção da sociedade para os problemas sociais do bairro, para o abandono e isolamento a que foi votado durante anos e conseguiram-no. Hoje em dia, os seus habitantes têm orgulho do seu bairro e a visita de centenas de pessoas por dia melhorou muito a auto-estima e o sentimento de pertença dos seus habitantes e foi também essa realidade que quisemos mostrar aos jovens alunos de Sardoal”, concluiu o professor Neves.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here