Alcanena | Troço de Monsanto da ER361 pavimentado com máquina que recicla desperdício

Samuel Frazão, presidente de Monsanto, e Lina Louro, presidente da união da Louriceira Malhou e Espinheiro frente à máquina Foto: Samuel Frazão

Só existem 15 máquinas destas no mundo e uma está a trabalhar nos cerca de dois quilómetros do troço de Monsanto da Estrada Regional (ER)361. A há muito aguardada requalificação da via, num total de sete quilómetros, passou esta semana finalmente pelos dois quilómetros que atravessam a aldeia, um momento de grande entusiasmo para a junta de freguesia de Monsanto.

PUB

“Isto tem uma logística muito grande”, comentou o presidente da junta de Monsanto, Samuel Frazão, ao mediotejo.net. “Estão a ser dias históricos, foi uma luta de décadas”, reconheceu, explicando que as máquinas estão a trabalhar na base e ainda terá que ser colocada a pavimentação final.

O trabalho é porém mais específico que o que se poderia pensar. “Pelas informações que me têm passado, encontra-se aqui uma máquina pioneira na requalificação de pavimento antigo”, explicou o autarca.

PUB

Segundo o Engenheiro Luís Viana, das Construções Pragosa, responsáveis pela requalificação da ER361, a máquina branca de riscas laranja que circula por Monsanto esta semana é um exemplar raro de tecnologia que promove a sustentabilidade, uma das 15 que existem no mundo. A mais próxima, adiantou, encontra-se em França.

A máquina, explicou, trabalha a frio e recicla tudo aquilo em que intervém. “Os 80 mil metros cúbicos de material são totalmente reciclados”, afirmou. “Só aí temos uma mais valia em termos ambientais, que nunca se viu no país. Se as nossas redes viárias assim fossem reabilitadas, podia-se diminuir a emissão de C02”.

PUB

Para além da ausência de pegada ambiental, este equipamento permite fazer em 2 ou 3 dias o que tradicionalmente levaria dois meses a executar, explicou o engenheiro.

A ideia surgiu porque a base da estrutura da ER361 é em pedra, sendo que os diferentes equipamentos instalados ficaram demasiado à superfície. “Iam ser danificados”, constatou, pelo que “encontrámos esta solução”.

A Infraestruturas de Portugal (IP), dona da obra, abriu portas à experiência amiga do ambiente, em trabalhos que decorreram durante a semana passada, em Monsanto.

Troço de Monsanto da ER361 pavimentado com máquina que recicla desperdício. Foto: DR

Luís Viana não soube adiantar os custos totais envolvidos, mas garantiu que a utilização da máquina não encareceu a obra.

A requalificação da ER361 entre Amiais de Cima e Alcanena foi orçada em 3,2 milhões de euros.

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here