- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Alcanena | Rui Anastácio é o novo presidente da Assembleia-Geral da Aquanena

O recém-eleito presidente da Câmara Municipal de Alcanena, Rui Anastácio (Cidadãos por Alcanena) é o próximo presidente da Assembleia-Geral da Aquanena – Empresa Municipal de Águas e Saneamento de Alcanena. O vereador Nuno Silva, igualmente eleito pela coligação Cidadãos por Alcanena (PSD-CDS-MPT), será o presidente do Conselho de Administração.

- Publicidade -

Foi durante a primeira reunião ordinária do Órgão Executivo Municipal de Alcanena eleito para o quadriénio 2021/2025, no dia 21 de outubro, que se ficou a saber que serão, respetivamente, Rui Anastácio e Nuno Silva os autarcas responsáveis por ocuparem os lugares de presidente da Assembleia-Geral e do Conselho de Administração da Aquanena.

No mandato anterior, a ex-presidente do município Fernanda Asseiceira (PS) ocupava o lugar de presidente do conselho de administração, enquanto o vereador Luís Pires figurava como presidente da Assembleia Geral. No atual mandato, presidido por Rui Anastácio, houve uma inversão desta ação, tendo sido apresentada a proposta de o presidente do município avançar como presidente da Assembleia-Geral e sendo o vereador Nuno Silva o proposto para o cargo de presidente do conselho de administração, “até pelo seu currículo pessoal”.

- Publicidade -

“Em nossa opinião é a pessoa certa para o que está aqui em causa”, referiu Rui Anastácio.

Ambas as propostas, para as duas nomeações, apresentadas numa reunião onde o diálogo cordial foi uma constante, foram aprovada por unanimidade. 

A nomeação dos dois outros vogais do conselho de administração desta empresa municipal de águas e saneamento compete à sua Assembleia Geral. Rui Anastácio disse que está previsto que o vereador Alexandre Pires (Cidadãos por Alcanena) ocupe um lugar como vogal. Para terceiro vogal está pensado ser alguém “com competências fortes na área financeira”, explicou Rui Anastácio, uma vez que a Aquanena mexe com um orçamento muito forte, equiparado com o da Câmara.

“Acho que aquela estrutura carece de alguém desta área”, disse o presidente do município de Alcanena, acrescentando que já foi identificada uma pessoa mas sem concretizar quem, uma vez que ainda não existe confirmação.

Ao vereador Nuno Silva, Rui Anastácio desejou “muitas felicidades e muita sorte e energia” para o desempenho das funções nesta empresa municipal, que é uma estrutura já com um “peso muito significativo e com movimentos orçamentais também muito significativos”.

Rui Anastácio mencionou uma candidatura a um investimento de 7,9 milhões de euros, dizendo esperar que – para o bem de toda a população de Alcanena, principalmente aquela que se encontra mais próxima da ETAR – estes investimentos “se venham a concretizar de forma célere e que de uma vez por todas se consiga resolver este enorme problema, quer ao nível do cumprimento da licença de descarga, quer ao nível da qualidade de vida das nossas populações”, disse o presidente do município, que é agora também presidente da Assembleia-Geral da Aquanena.

Foto: AQUANENA

Também Hugo Santarém (PS) tomou da palavra para desejar a Nuno Silva as melhores felicidades no desempenho das suas funções, num projeto “estruturante” e considerado “fundamental para que o concelho possa dar um passo em frente naquilo que é a questão ambiental e o problema crítico que temos a nível ambiental”, disse o vereador socialista.

Nuno Silva, por seu lado, agradeceu as palavras que lhe foram endereçadas, dizendo que tem toda a confiança nas pessoas que estão à frente da Aquanena tendo realçado existir “todo um entendimento e um compromisso”.

“Fazer um bom uso daquilo que vem da candidatura, se ela de facto for aprovada, no sentido de dar cumprimento à licença de descarga, é o objetivo número um e é muito premente face à realidade das empresas que estão a ser auditadas”, declarou Nuno Silva, acrescentando que podia adiantar que houve já uma primeira empresa a ser auditada no âmbito do novo protocolo com a LWG (Leather Working Group), o qual sofreu um grau de exigência no cumprimento dos parâmetros, e cuja importância é denotada se for tido em conta que diversas marcas (como a Timberland, por exemplo), não adquirem matéria-prima a empresas que não cumpram estes parâmetros.

A primeira reunião do executivo municipal de Alcanena eleito para o quadriénio 2021/2025 decorreu . Foto: mediotejo.net

Foi ainda dado da conhecer, na sessão, que Alexandre Pires será vereador a tempo inteiro, assim como figurará como vice-presidente da autarquia. O presidente Rui Anastácio, empossado no dia 16 de outubro, propôs igualmente Marlene Carvalho e Nuno Silva (Cidadãos por Alcanena) como vereadores a tempo inteiro, proposta esta que foi aceite por unanimidade, com Hugo Santarém (PS) a referir que esta proposta era “natural” e relembrando que o PS também tinha, no passado, o mesmo número de vereadores a tempo inteiro.

No início da sessão, o líder da oposição, Hugo Santarém (PS), pediu a palavra para desejar um bom trabalho e sucesso a todo o executivo municipal e deu a garantia de que a oposição não se vai limitar a criticar e que estará preparada para elogiar e trabalhar em conjunto nas propostas que merecerem essa consideração, e que “naturalmente, nos pontos em que discordamos, fazermos o trabalho da oposição”, mencionando um mandato fundamental e crucial que vai ser desempenhado em tempos exigentes e num quadro especial com o PRR (Plano de Recuperação e Resiliência).

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo. Ávido leitor, não dispensa no entanto um bom filme e um bom serão na companhia dos amigos.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome