Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Alcanena | Projetos de oito milhões para executar até final de 2018

São oito milhões euros de investimento global em cinco projetos que vão mudar a face da capital da pele e as condições de vida das pessoas do concelho. As requalificações do Centro escolar, mercado municipal e praça envolvente à paragem de transportes públicos da vila de Alcanena e as Redes de saneamento de águas residuais domésticas de Vale Alto e Covão do Coelho têm financiamento comunitário ao abrigo do programa Portugal 2020.

- Publicidade -

As obras devem ficar concluídas até final de 2018. Na apresentação dos projetos à comunidade, a 28 de junho, no cineteatro São Pedro, a presidente da Câmara Municipal de Alcanena realçou que a requalificação da praça e a requalificação do mercado estão integrados numa candidatura de Requalificação Urbana a fundos comunitários.

Presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira. Foto:mediotejo.net

- Publicidade -

Os projetos assumem maior mérito se apresentados e participados pelas populações a quem se destinam. Cada um dos projetos encontra-se numa fase, “alguns com candidaturas aprovadas, outros com projetos de execução aprovados em junho, em reunião de Câmara”, salientou a edil. Para Fernanda Asseiceira é “prioritária a sua intervenção”.

No caso do saneamento, o objetivo é o município garantir o saneamento básico às populações. “Temos já as candidaturas aprovadas para Casal Carvalheiro. Depois falta o Casal Saramago e a Moita, que será assegurada a sua execução com orçamento municipal”, explicou Fernanda Asseiceira.

Centro escolar de Alcanena
O novo centro escolar de Alcanena vai nascer a partir da Escola Básica Anastácio Gonçalves, sendo construído um novo edifício, destinado ao primeiro ciclo, em formato L. Neste edifício que vai nascer perto do ponto central de entrada no centro escolar, uma parte do rés-do-chão funcionará como recreio coberto.

O piso térreo terá ainda uma sala polivalente, uma sala de reuniões, três salas de aulas, sanitários e arrumos. Já no primeiro piso deste edifício (em formato L e que com o bloco existente formará uma praça interior) serão construídas 12 salas de aula, gabinetes de trabalho, arrecadações e sanitários.

Quanto ao edificado existente, áreas da Escola Básica Anastácio Gonçalves, a sua requalificação implica reconversão de áreas, obras na cozinha e anexos; bem como alterações funcionais ma zona de professores e zona administrativa. O arquiteto David Ribeiro, do gabinete de arquitetura Inplenitus, adiantou que será alterada a linha de limite do terreno de modo a “sugerir uma relação diferente com a rua ”. O investimento é de 2.8 milhões de euros é financiado pelo Programa Centro 2020, através da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo.

Mercado municipal de Alcanena
O projeto de requalificação do mercado municipal de Alcanena é um investimento de 1.36 milhões de euros, ao abrigo do programa de Regeneração urbana do Portugal 2020. A proposta apresentada pela Arqui Hom 2 aponta para a separação do atual edifício em duas zonas: a área do mercado da zona de restauração que passará a ter autonomia face ao mercado, podendo funcionar além destes dias.

Com esta requalificação, os arquitetos António Ferreira e Geraldine de Abreu pretenderam “dar um ar mais jovem, uma dinâmica diferente e enquadrada ”. A zona de separação funcionará como um jardim interior, sendo definidas quatro pórticos de entrada.
Serão também criados sanitários para os comerciantes e feita a redistribuição das bancas. E a entrada de luz foi pensada de modo particular, tal como o controlo de ar natural.

Requalificação urbana da praça envolvente à paragem de transportes públicos da vila de Alcanena
Foi o projeto que mais questões levantou por parte dos munícipes relativamente ao estacionamento e sentido de trânsito. A requalificação da praça pretende devolvê-la ao peão e à socialização, retirando daquela zona nobre da vila o estacionamento dos autocarros.

Para automóveis haverá lugar para duas dezenas de ligeiros e sete táxis, neste projeto de investimento que faz parte do Plano de Ação de Regeneração Urbana de Alcanena. O arquiteto Nuno Sampaio explicou aos munícipes que os autocarros apenas passarão na atual praça, mas não permanecerão aqui estacionados. A zona será devolvida “ao peão, ao cidadão e não ao carro ”. Tanto a zona dos autocarros como a dos táxis terá cobertura e haverá uma área pedonal que liga todas estas zonas. Serão colocadas árvores numa das áreas e a primeira ilha ecológica de Alcanena.

O novo desenho obriga à recolocação do quiosque, agora um espaço envidraçado, e “elemento organizador da praça ”, além de bancos de jardim, salientou o arquiteto responsável pelo projeto, do Gabinete de Arquitetura Nuno Sampaio – Arquitetura, Lda.

Serão ainda criados sanitários para servir as populações e o investimento de 540 mil euros contempla ainda uma cobertura na zona de táxis e na zona de paragem de autocarros e um local para cargas e descargas. Fernanda Asseiceira explicou aos cidadãos que a requalificação está a ser feita tendo em conta a opinião dos taxistas e a da Rodoviária do Tejo, ouvidos nesta matéria.

Saneamento vai beneficiar Vale Alto e Covão do Coelho. Foto: DR

Redes de saneamento de águas residuais domésticas de Vale Alto e Covão do Coelho
O dirigente da Divisão de Planeamento e Gestão de Obras Municipais da Câmara Municipal de Alcanena, Samuel Dinis, apresentou as obras na rede de esgotos, um investimento de 3.5 milhões de euros. O concurso ainda deverá ser lançado este ano e o investimento concluído, no terreno, até dezembro de 2018.

As redes de saneamento de águas residuais domésticas de Vale Alto e Covão do Coelho irão servir uma população de 840 habitantes, destas duas localidades, traduzindo-se num aumento de 6,6% da população servida. Trata-se de uma rede com uma vida útil não inferior a 40 anos, salientou o técnico da Divisão de Planeamento e Gestão de Obras Municipais da Câmara.

O projeto de execução do Vale Alto inclui uma estação elevatória, seis quilómetros de rede e 170 ramais domiciliários. Já o relativo ao Covão do Coelho inclui uma estação elevatória, oito quilómetros de rede e 345 ramais domiciliários. Com a implementação destas duas redes, a cobertura total será de 94 %. Samuel Dinis adiantou ainda que a autarquia não cobra limpeza de fossas, mas tem sensibilizado os munícipes para a ligação (obrigatória se a 20 metros da habitação, sujeita a coima) à rede de saneamento.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome