Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Alcanena | Presidente garante que Museu do Curtume não se vai tornar numa galeria de arte privada

A discussão foi lançada pela CDU: a modificação do nome de Museu do Curtume para Museu da Arte e da Indústria do Couro terá como objetivo implícito tornar o espaço uma galeria de arte privada, recebendo o espólio do ArtSpace João de Carvalho. Na Assembleia Municipal de sexta-feira, 10 de setembro, a presidente Fernanda Asseiceira (PS) negou veementemente esta leitura dos comunistas, frisando que o objetivo do novo programa do espaço é diametralmente oposto.

- Publicidade -

A questão foi colocada por Ivo Santos (CDU) que pediu esclarecimentos à presidente sobre a alteração de designação do Museu do Curtume, aprovada na reunião camarária de 6 de setembro. Fernanda Asseiceira explicou que o espaço tem neste momento uma equipa afeta ao mesmo, que já desenhou um plano de dinamização e conteúdos, tendo surgido assim o nome Museu da Arte e da Indústria do Couro.

Sobre a questão da “arte”, explicou, prevê-se que haja uma articulação com outras instituições do concelho, nomeadamente o ArtSpace João de Carvalho.

- Publicidade -

Face às explicações da presidente, Ivo Santos argumentou que o Museu detém o espólio do Sindicato dos Curtumes e não há informação sobre o destino do mesmo. Considerou assim que o equipamento está a perder o seu sentido original e vai tornar-se numa galeria de arte.

A presidente tornou a responder, comentando que o deputado não estava a compreender o sentido do projeto delineado para o Museu e que a informação votada em reunião lhe seria enviada.

O tema voltaria à discussão alguns tópicos depois, com Fernanda Asseiceira a reiterar que Ivo Santos estava a interpretar erradamente o sentido das suas palavras e que a natureza da articulação entre o museu e o ArtSpace em nada se conjugava com a transformação do mesmo numa galeria de arte. A indústria do couro, constatou, é ela própria uma arte, sendo nesse sentido a mudança do nome do Museu.

A mudança do nome do Museu foi aprovada a 6 de setembro, dando-se assim mais um passo na consolidação de um projeto que se tem arrastado no tempo por falta de recursos humanos e financeiros. O edifício do Museu do Curtume está concluído desde 2008, em resultado da requalificação de 1,7 milhões, com fundos europeus, de um edifício histórico de Alcanena, mas nunca chegou a abrir ao público na sua essência de núcleo museológico. 

Atualmente, conforme explicou Fernanda Asseiceira ao mediotejo.net, o Museu tem finalmente um equipa a trabalhar no seu desenvolvimento a tempo inteiro e delineou as linhas orientadoras do projeto.

A ideia é que este Museu da Arte e da Indústria do Couro possa ter disponíveis vários conteúdos multiplataforma, da vertente artística à componente didática, apresentando-se as diferentes fases, da origem ao produto final, da indústria do couro, valorizando-se assim o setor e criando uma rede com o Centro de Ciência Viva do Alviela. 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome