Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Junho 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Alcanena | Parque Verde vai custar mais de um milhão de euros e já tem estudo prévio

A Câmara de Alcanena tem intenção de criar no centro da vila um Parque Verde, cujo estudo prévio foi aprovado na reunião do Executivo do dia 18 de novembro. Esta fase inicial foi adjudicada ao Gabinete EcoSalix – Sistemas Ecológicos de Engenharia Natural, Lda., pelo valor de 25.685 euros (+ IVA). Segue-se a elaboração do projeto no prazo de 30 dias e depois a obra, antecedida pelo respetivo concurso público, com um orçamento no valor de 1.084.315,45 euros (+ IVA).

- Publicidade -

O projeto do Parque Verde de Alcanena prevê a criação de diferentes áreas de lazer e de recreio, nomeadamente prado central, miradouros, gincana infantil e circuito de manutenção.

Consiste, conforme explica a Câmara em nota de imprensa, “na criação de um espaço verde público polivalente, que não só promova a conetividade entre a área de intervenção e a malha urbana da vila de Alcanena, nomeadamente através da promoção da mobilidade suave, como garanta o direito à mobilidade de todos os cidadãos, especialmente daqueles que apresentem mobilidade reduzida. Para tal, serão contemplados novos pontos de acesso ao parque e reformulados os existentes, de forma a promover ligações que garantam a igualdade de oportunidades a utilizadores com e sem condicionamentos de mobilidade”.

- Publicidade -

Está prevista a criação de acessos ou ligações para utilizadores com mobilidade condicionada, nomeadamente na Rua José Afonso/Piscinas Municipais, no Bairro Dr. Anastácio Gonçalves, no Depósito de Água e na Rua Dr. José Vasques Tenreiro, bem como a requalificação da escadaria do Bairro Dr. Anastácio Gonçalves e da escadaria junto aos depósitos de água.

O mesmo vai acontecer à rampa existente a este das piscinas municipais, à rua de acesso aos depósitos de água e à escadaria de acesso às piscinas municipais.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome