Alcanena | Monsanto é Capital do Tordo e quer promover turismo gastronómico (c/vídeo)

Este fim de semana, 9 e 10 de março, decorre em Monsanto, concelho de Alcanena, o IV Festival Gastronómico do Tordo. Uma iniciativa da junta de freguesia de Monsanto e do Clube de Caça e Pesca de Monsanto, que conseguiram em janeiro registar, por um período de 10 anos, a marca Monsanto – Capital do Tordo. O Festival ainda se circunscreve aos comes e bebes de fim de semana no Mercado de Monsanto, mas o presidente da autarquia, Samuel Frazão, espera conseguir dinamizar a freguesia com esta nova marca.

PUB

No sábado, 9 de março, pelas 20h30, vivia-se grande agitação no Mercado de Monsanto, onde decorria o Festival Gastronómico do Tordo. “Vai ter que esperar”, ouvimos da cozinha, quando pedimos para fotografar um suculento prato de tordo acabadinho de sair da panela.

Assim aguardamos, olhando para a ementa: há tordo grelhado, frito e de cebolada. Para além do intenso cheiro a carne de caça, sobressai o odor a ervas aromáticas, também típicas da gastronomia desta zona da Serra de Aire e Candeeiros. Para os que preferem comer algo mais forte que os pequenos nacos de carne desta ave serrana, há também veado e jardineira de javali. A sala está cheia e promete assim manter-se por mais um par de horas.

PUB

Tordo frito, grelhado ou de cebolada, os pequenos nacos de carne de ave são um petisco da gastronomia da serra Foto: mediotejo.net

Da correria de quem serve às mesas e realiza a mediação com o reboliço da cozinha surge Samuel Frazão, presidente da junta de freguesia de Monsanto desde 2017, dividindo responsabilidades entre o apoio às mesas e a gestão da logística, sendo continuamente chamado para ir atender a este ou aquele problema. No meio do stress pede-nos que aguardar, que as cozinheiras estão a preparar um conjunto variado de pratos de tordo para sair que vão dão umas “apetitosas” fotografias.

O Festival, ainda de pequenas dimensões e na sua quarta edição, divide-se entre a restauração e um andar superior, onde decorre uma pequena feira de artesanato. Uma dezena de bancas apresentam alguns produtos locais, como um interessante licor intitulado “Licor dos Casamentos de Monsanto”.

Mas a dimensão do Festival Gastronómico do Tordo pode estar em vias de mudar. Em janeiro a junta de freguesia viu terminar um processo de um ano para registar a marca Monsanto – Capital do Tordo. O registo, explicou Samuel Frazão ao mediotejo.net, ficou em nome do Clube de Caça e Pesca de Monsanto, que detém o título durante uma década.

Festival também quer dar a conhecer produtos locais, como um curioso Licor dos Casamentos de Monsanto Foto: mediotejo.net

O objetivo deste esforço, salientou, é mostrar e promover a gastronomia típica do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros, trazendo assim mais pessoas a Monsanto na senda do turismo gastronómico. O Festival, recordou, nasceu há quatro anos através do grupo de caçadores, a que a então junta de freguesia se associou. “Estamos a dar continuidade”, sintetizou, promovendo esta iguaria da serra.

Este domingo, dia 10, o festival decorre entre o meio-dia e as 18h00, com um torneio de sueca e animação da banda “Troika à Portuguesa”.

Festival Gastronómico do Tordo, Monsanto, Alcanena. Presidente da junta de freguesia, Samuel Frazão

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 9 de março de 2019

PUB
PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).