Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Alcanena | Moção pela requalificação da EN361 segue para o Governo

A assembleia municipal de Alcanena aprovou por unanimidade na sessão de 15 de outubro uma moção pela reabilitação da Estrada Nacional (EN) 361. O documento foi enviado ao Governo e várias entidades regionais e de preservação ambiental.

- Publicidade -

A EN361, entre Alcanede e Alcanena, já foi alvo de uma extensa requalificação, mas ficou por terminar o troço final, a partir de Amiais de Cima, a cerca de oito quilómetros da sede deste município do Médio Tejo. A estrada é bastante utilizada pelos camiões das pedreiras da região, atravessando boa parte da freguesia de Monsanto, concelho de Alcanena. O presidente da junta, Orlando Filipe, é por tal um dos que mais se tem queixado das consequências da grande degradação da estrada para a circulação rodoviária dos moradores, que salientam os prejuízos em automóveis e risco elevado de acidentes. O mediotejo.net fez uma reportagem sobre esta estrada, que pode ser lida aqui.

O problema vem-se arrastando há cerca de uma década e a assembleia municipal decidiu aprovar nova moção, apelando a medidas urgentes, para que se cumpra o prazo previsto de obras de beneficiação em 2017.

- Publicidade -

O texto, enviado às Infraestruturas de Portugal (IP) e ao Gabinete do Primeiro Ministro, entre outras entidades, lembra que a obra está prevista desde 2010, mas que em 2013 ficaram por concluir os últimos oito quilómetros de estrada. “Considerando também que, decorridos mais de seis anos, o estado de degradação daquele troço foi agravado ao ponto de a circulação constituir um elevado risco, que teve como consequência vários acidentes, dos quais resultaram vítimas, acrescendo ao elevado risco para a segurança dos utentes” e a importância do troço para a economia da região, a assembleia municipal de Alcanena solicita à IP “na qualidade de responsável pela resolução do estado de degradação da ER 361, nomeadamente: desenvolver as ações que permitam obter a aprovação deste projeto que contempla a beneficiação e a correção do traçado, no troço Amiais de Cima – Monsanto-Alcanena; garantir a dotação orçamental que permita o lançamento do concurso para a realização desta empreitada; calendarizar a execução da empreitada para que a sua realização ocorra antes do período de inverno de 2017”.

O documento seguiu ainda para o Ministério das Infraestruturas e Transportes, ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, CIMT – Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, CILT – Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, Deputados dos Grupos Parlamentares eleitos pelo Distrito de Santarém, Câmara Municipal de Alcanena, Câmara e Assembleia Municipal de Santarém e Câmara e Assembleia Municipal de Rio Maior.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Finalmente a Assembleia Municipal de Alcanena resolveu dar alguma visibilidade ao descontentamento popular que reina há anos na região acerca do péssimo estado da ER 361 entre Amiais de Cima e Alcanena. Efectivamente, aquele troço da ER 361 é, há muitos anos, uma verdadeira vergonha, um atentado às condições de segurança que o trânsito ali devia ter e não tem, mas tem servido para prejudicar a carteira de muitos utentes daquela via regional e acima de tudo a economia de toda aquela região alargada, incluindo a parte norte do Concelho de Santarém, por sinal a mais industrializada daquele concelho, que não tem alternativas para as suas exportações diárias alcançarem a A23 e a A1.
    Porém, lamenta-se que fosse preciso haver uma Assembleia Municipal Extraordinária, sublinhe-se, marcada de véspera, para analisar um assunto importante, a renovação do contrato de Concessão da Exploração e Gestão do Sistema de Abastecimento de Água do Concelho de Alcanena, que expirava no dia seguinte, para meterem ali outro ponto, o Ponto de situação e acções a desenvolver relativamente à Requalificação da ER 361, no troço entre Amiais de Cima e Monsanto/Alcanena quando em boa verdade a Câmara Municipal estava mandatada, desde 10 de Abril de 2015, por Moção aprovada por unanimidade, por esta mesma Assembleia Municipal, com plenos poderes para “se movimentar junto dos órgãos do poder competentes para os sensibilizar para esta triste realidade e exigir prioridade absoluta para a reparação destes quilómetros que faltam para que a Estrada Regional trezentos e sessenta e um se torne mesmo numa via estruturante ao serviço das populações e da economia regional”.
    Não vem aqui ao caso comentar-se a forma pouco usual como a Assembleia decorreu. Mas lamenta-se sinceramente que este problema da ER 361 tivesse sido trazido para esta Assembleia Extraordinária depois de ter passado mais de ano e meio após a aprovação da Moção de 10 de Abril de 2015 que nem sequer foi referida na Moção agora aprovada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome