Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Alcanena | Investimento de 270 mil euros num dos poucos autocarros “inclusivos” do país (c/vídeos)

Alcanena celebra por estes dias os 103 anos da sua formação como concelho. Na sexta-feira, 5 de maio, decorreu um dos momentos altos da programação: a apresentação do novo autocarro municipal, com bancos em pele e mantas de Minde, adaptado com um sistema elevatório para pessoas com mobilidade reduzida. É um dos poucos autocarros de âmbito público, a nível nacional, com este equipamento, sublinhou a presidente da Câmara, Fernanda Asseiceira, que se traduz num investimento municipal na ordem dos 270 mil euros ( inclui IVA). Na sessão esteve a Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes.

- Publicidade -

Em tons escuros, com uma imagem de uma pele em seu redor e os símbolos de Alcanena e a marca “Capital da Pele” bem evidente, o novo autocarro causou sensação na sua apresentação. Com uma lotação de 55 lugares, mais motorista e guia, bancos revestidos a pele e uma plataforma elevatória na parte dianteira, com possibilidade de fixação de duas cadeiras de rodas no início de cada fila, foi considerado um “investimento” pelo município em prol de ser “acessível para todos”.

Apresentação de autocarro com sistema de apoio à deficientes e bancos em pele em Alcanena

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 5 de Maio de 2017

- Publicidade -

Segundo a presidente Fernanda Asseiceira, este “é o primeiro autocarro no concelho de Alcanena, é até o primeiro autocarro no nosso distrito, e um dos cinco autocarros do nosso país que é inclusivo”. O preço final ficou acima dos 270 mil, um investimento “que tinha que ser feito”.

A autarca admitiu que o este foi um processo moroso porque o município quis o veículo fosse personalizado e contivesse a marca identitária do município. O resultado é um autocarro em tons escuros, com enfoque no castanho da fotografia da pele que cobre o chassis. “Tínhamos que ter o autocarro com a pele do concelho”, comentou. Os bancos são forrados a pele, mas também com mantas de Minde, outra marca do concelho que se quis introduzir. “É um autocarro que onde quer que vá leva o concelho de Alcanena, leva a marca distintiva do nosso concelho como a Capital da Pele. Não haverá muitos assim”, comentou.

Ana Sofia Antunes saudou o investimento da Câmara de Alcanena. “Parece quase um veículo do futuro”, comentou, apetrechado para todas as necessidades. “Mas importante que a legislação”, referiu, é fundamental “conseguir que as entidades decisoras, sejam elas a administração central, sejam elas as autarquias, encarem esta temática como uma prioridade entre as muitas temáticas têm que agarrar”. Constatando que os recursos nem sempre chegam para tudo, referiu que é necessário estabelecer estas prioridades para que a acessibilidade plena se torne uma realidade.

Novo autocarro de Alcanena. Intervenção da presidente e da secretaria de estado da inclusão

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 5 de Maio de 2017

Ana Sofia Antunes marcou a abertura do colóquio “Tecer ligações…Promover afetos”, inserido no Fórum de Recursos Humanos que decorre até sábado, 6 de maio. Na sua intervenção lembrou a importância dos afetos e do trabalho que tem desenvolvido com a falta de recursos humanos, nomeadamente nas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJs). Salientava assim a necessidade de se apostar mais na prevenção para situações de risco com crianças e jovens. “São vidas que estamos a comprometer”, afirmou.

A Secretária de Estado respondia ao apelo lançado por Fernanda Asseiceira. No seu discurso, a presidente salientou a necessidade da CPCJ de Alcanena ter mais apoio do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependência, uma entidade sediada em Santarém e que está “muito distanciada dos municípios”. “Precisamos de pessoas mais especializadas nesta área”, frisou, de forma a dar o apoio devido a jovens em risco.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here