Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Alcanena | Filhós com quatro dias de festa em honra de Santo Amaro

Santo Amaro motiva os festejos que começam em Filhós esta sexta-feira, dia 12. Quatro dias com música, cerimónias religiosas, arraial, quermesse, tasquinhas, zumba, jogos tradicionais e produtos da região que só darão descanso aos visitantes na noite de segunda-feira.

- Publicidade -

A responsabilidade de “inaugurar” o palco pertence à banda “FH5 a partir das 22h00, seguida por “Hot Crazy Boy”  pelas 02h00. O fim-de-semana chega no dia seguinte e traz o grupo “Chaparral Band”, a “Banda Stand By” e André A, às 21h00, 02h00 e 03h00, respetivamete. No domingo é a vez do “Trio DM Music”, às 21h00, e a segunda-feira tem o ritmo do Grupo Tradicional de Cantares Populares de Casével – As Camponesas a partir das 19h00 e de “Arnaldo e Bailarinas”, no baile das 21h00.

A música alimenta a mente, mas há quem também queira alimentar o corpo e o serviço de refeições abre às 19h00 do primeiro dia para os primeiros jantares. O horário é igual até segunda-feira, assim como a hora em que os almoços e o arraial começam entre os dias 13 e 15, às 12h00. As 15h00 são o horário da abertura da quermesse, tasquinhas, artesanato, mostra de produtos da região e jogos tradicionais nos dias 13 e 14 e as 16h30 da aula de zumba orientada pela instrutora Neuza Duarte no sábado.

- Publicidade -

O programa da iniciativa apoiada pela Câmara Municipal de Alcanena e a Junta de Freguesia de Bugalhos fica completo com as restantes atividades reservadas para segunda-feira. O Dia de Santo Amaro começa com uma alvorada às 08h00, as cerimónias religiosas incluem a celebração da missa às 14h00 e a procissão às 15h00, os patrocinadores têm jantar marcado às 19h00 e às 22h00 realiza-se o sorteio das rifas.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome