Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Alcanena | Faleceu Rogério Venâncio, figura da vida cultural de Minde

Faleceu na segunda-feira, 24 de setembro, aos 99 anos, Rogério Venâncio, figura da vida cultural e associativa de Minde, concelho de Alcanena. Sócio nº4 do Benfica, o Cine-teatro de Minde ficou a dever-lhe o seu nome. O funeral realiza-se às 17h00 desta terça-feira, dia 25, na Igreja Matriz de Minde.

- Publicidade -

Autor de um livro de crónicas lançado em 2017 em edição municipal, Rogério Venâncio esteve ligado à Casa do Povo de Minde e ao teatro local. Nasceu em Lisboa, tendo frequentado a Escola Comercial de Rodrigues Sampaio, a Escola Patrício Prazeres e o Instituto Comercial de Lisboa. Acabou por abandonar os estudos em 1942 devido ao serviço militar.

Dois anos depois, aos 25 anos, chega a Minde, contratado como chefe de escritório e responsável contabilístico da Firma Emídio da Silva Raposo e Cª, Filhos, Lda, onde trabalhou durante 25 anos. Ao longo da sua vida profissional desempenhou ainda vários cargos de contabilidade e serviço administrativo em empresas de Mira de Aire e Gouxaria.

- Publicidade -

A nível cultural, Rogério Venâncio dedicou-se desde 1929 ao teatro, tendo-se tornado, em 1935, encenador teatral. Realizou, em Minde, 20 espetáculos de Teatro de diversos tipos, como comédias, dramas, operetas, entre outros. Em Mira de Aire apresentou 12 trabalhos cénicos. Interpretou mais de 50 poemas, de diversos poetas portugueses, em vários locais durante 75 anos.

Foi presidente da Assembleia da Casa do Povo de Minde durante largos anos, assumindo o Cine-teatro de Minde o seu nome. Esteve ainda ligado ao Jornal de Minde, tendo várias das suas crónicas sido publicadas em livro.

Contactada pelo mediotejo.net, a presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira, manifestou o pesar com que o município recebeu a notícia. Rogério Venâncio, salientou, era uma figura “muito respeitada” quer a nível pessoal como profissional e reconhecida no concelho.

“Tem esta marca cultural”, frisou, tendo participado na comissão celebrativa do centenário de Alcanena e recebido a medalha de mérito municipal, grau Ouro, na vertente cultural.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome