- Publicidade -

Alcanena | Comissão Nacional de Eleições “proíbe” inauguração de Lagoa de Monsanto

A Câmara Municipal de Alcanena decidiu adiar a cerimónia de inauguração da requalificação da Lagoa de Monsanto e Área Envolvente, que estava agendada para sábado, dia 16 de março, face à proibição de publicidade institucional decretada pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), anunciou o município.

- Publicidade -

Em comunicado, a Câmara de Alcanena explica que em causa está a nota informativa da CNE, divulgada na semana passada, em que se refere que a partir da publicação do decreto que marca a data das eleições é proibida a publicidade institucional por parte dos órgãos do Estado e da Administração Pública de atos, programas, obras ou serviços, salvo em caso de grave e urgente necessidade pública.

O decreto que marca as eleições Europeias data de 26 de fevereiro.

- Publicidade -

Segundo a nota da CNE, o fundamento da proibição inscreve-se nos deveres de neutralidade e imparcialidade a que as entidades públicas se encontram sujeitas.

“Assim, logo que publicado o decreto que fixa a data da eleição, incumbe ao titular do órgão do Estado ou da Administração Pública, por sua iniciativa, determinar a remoção de materiais que promovam atos, programas, obras ou serviços e/ou suspender a produção e divulgação de formas de publicidade institucional até ao dia da eleição”, acrescenta.

A Câmara de Alcanena tinha agendado para sábado, dia 16 de março, a inauguração da requalificação da Lagoa de Monsanto e Área Envolvente, obra vencedora do Orçamento Participativo Jovem, da autoria de André Cadete Ferreira, mas decidiu adiar a cerimónia para data a definir.

A Câmara de Alcanena investiu cerca de 18 mil euros, acrescidos de IVA, na requalificação da Lagoa de Monsanto e área envolvente, e as obras incluíram “a requalificação do fundo da lagoa através de barro e naturalização das suas margens com lajes de pedra, colocação de plantas aquáticas, reparação de mesas em pedra e muros existentes, colocação de mais três mesas com bancos em madeira, construção de passadiços em calçada, fornecimento e montagem de vedação em madeira, iluminação”, entre outros trabalhos.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).