- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Alcanena aprova voto de protesto contra notícias de negligência em Lar que regista 20 mortos

O grande surto de Covid-19 no Centro de Bem Estar Social de Minde motivou três intervenções na sessão da Assembleia Municipal de Alcanena de sexta-feira, 11 de dezembro. Num momento em que o Lar contabiliza 20 mortos com Covid-19, foi inclusive aprovado um voto de protesto contra a informação de que os idosos estariam a chegar ao hospital com sintomas graves de negligência.

- Publicidade -

A situação epidemiológica no concelho de Alcanena, em particular o surto em torno do Centro de Bem Estar Social de Minde, foi o mote para três votos introduzidos à votação no período antes da Ordem do dia. O primeiro foi um voto de pesar e solidariedade, numa altura em que o lar de Minde contabilizava 18 mortes (entretanto registou mais dois). O tópico teve aprovação por unanimidade.

O segundo voto, este de protesto, foi da autoria do deputado Moisés Morgado (PS). O texto, também aprovado por unanimidade, criticava a notícia da TVI que apontava que os idosos infetados estariam a chegar ao hospital com sintomas de negligência da parte da instituição. Para Moisés Morgado a notícia estava “deturpada” e era “maldosa”, destinando-se a “criar o pânico”.

- Publicidade -

O terceiro voto relacionado à situação partiu da junta de freguesia de Minde, sendo um louvor a todos os profissionais envolvidos no apoio ao surto do Centro de Bem Estar Social. A presidente da junta, que leu o texto aprovado por unanimidade, deixou também as condolências às famílias dos falecidos.

A 29 de novembro uma notícia da TVI deu conta que, segundo fonte das Urgências do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), os idosos com SARS CoV-2 do Centro de Bem Estar Social de Minde estavam a chegar ao hospital com más condições de higiene, sujos, feridos e desidratados. Os utentes estariam a falecer em consequência dessas maleitas e não tanto de Covid-19, foi mencionado.

A informação foi repudiada pelo Lar, que contou com a solidariedade da presidente da Câmara Municipal, Fernanda Asseiceira (PS). Segundo afirmaria a autarca posteriormente, em reunião camarária, não havia qualquer confirmação do sucedido, quer junto da instituição social, quer junto dos bombeiros. A presidente adiantaria inclusive que o CHMT abrira um inquérito ao sucedido.

Entre sexta-feira, dia da Assembleia, e este domingo, 13 de dezembro, registaram-se mais duas mortes no Lar de Minde, que contabiliza agora 20 óbitos relacionados com a pandemia de Covid-19. O boletim epidemiológico do município dá conta que na instituição persistem 113 infetados, 84 utentes e 29 funcionários.

Este é o surto com maior letalidade que há registo na região do Médio Tejo.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome