- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Alcanena | Aprovado voto de solidariedade e pesar pelas vítimas dos incêndios

O executivo municipal de Alcanena aprovou por unanimidade na sexta-feira, 20 de outubro, um voto de solidariedade e pesar para com os municípios e populações vítimas dos incêndios de 15 de outubro. Seguiu-se um minuto de silêncio.

- Publicidade -

O voto é dirigido em particular aos municípios de Arganil, Carregal do Sal, Guarda, Nelas, Oliveira de Frades, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Santa Comba Dão, Sertã, Tábua, Tondela, Viseu e Vouzela e para com todas as famílias e populações vítimas dos incêndios.

No texto lido pela presidente da Câmara, Fernanda Asseiceira, recorda-se que dia 15 de outubro foi o “pior dia de fogos do ano”, tendo causado vários mortos, feridos e a destruição de casas e unidades industriais, assim como hectares de floresta e espaços agrícolas. “Esta foi a segunda situação mais grave de incêndios com vítimas mortais este ano, depois de Pedrógão Grande, em junho, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou 64 mortos e mais de 250 feridos”, refere.

- Publicidade -

“O Município de Alcanena acompanhou esta tragédia com um sentimento de consternação e de pesar, lamentando as incalculáveis consequências para tantas famílias e populações afetadas com a violenta dimensão dos incêndios”, continua. “Não pode, por isso, deixar de manifestar uma enorme preocupação face à situação que se bateu sobre o país ao longo do período crítico neste ano de 2017, que tem conduzido, quase à exaustão, a Proteção Civil, Corpos de Bombeiros Municipais e Voluntários e demais entidades civis e militares envolvidas no combate a este flagelo”.

“Há que enaltecer todos quantos fizeram e continuam a fazer tudo ao seu alcance para apoiar as populações e as famílias. O esforço, no limite do cansaço dos operacionais e bombeiros envolvidos, assim como das próprias comunidades que corajosamente se organizaram sobre as frentes de incêndio, na defesa das suas casas, não pode deixar de ser reconhecido”, termina o documento.

- Publicidade -

O voto vai ser enviado aos municípios mencionados.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome