Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Afeganistão | Bispo de Santarém revela disponibilidade da igreja católica para receber refugiados

O presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, José Traquina, manifestou este sábado a disponibilidade da Igreja Católica portuguesa para ser envolvida no acolhimento de refugiados afegãos. Portugal vai acolher, para já, 50 refugiados do Afeganistão, 30 que colaboraram com a NATO e os restantes que cooperaram com os serviços da União Europeia, como revelou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

- Publicidade -

O bispo de Santarém, em declarações hoje divulgadas pela agência Ecclesia, afirmou que, “com o apoio da Cáritas e o envolvimento da Conferência Episcopal” a Igreja fará o que puder “para auxiliar os que chegarem”, embora sublinhe que a “verdadeira preocupação são os que estão lá [no Afeganistão]”, pois desconhece-se “como vai ser o futuro daquele país”.

Para o presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, este é o momento de demonstrar solidariedade e disponibilidade para o diálogo.

- Publicidade -

“Desejamos que o diálogo seja a solução para a resolução dos problemas. Não são as armas ou as guerras”, disse o bispo José Traquina.

Portugal acolhe “de imediato” 50 refugiados, mais poderão vir ainda este mês

Portugal vai acolher, para já, 50 refugiados do Afeganistão, 30 que colaboraram com a NATO e os restantes que cooperaram com os serviços da União Europeia, revelou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Em relação ao futuro, o ministro da Defesa disse que o Governo está a desenvolver “um trabalho intenso” entre as várias tutelas para a retirada de civis do Afeganistão e a sua receção em Portugal, que pode acontecer já este mês. Santos Silva diz que há escolas superiores já estão a fazer estimativas de quantos alunos afegãos podem receber, e que algumas autarquias também se disponibilizaram para receber refugiados.
 
O número de afegãos que Portugal irá receber ainda não é certo, e também não há uma data definida para a sua chegada, explicou Eduardo Cabrita em declarações à agência Lusa, mas o processo começará “tão breve quanto possível”.
 

Os talibãs conquistaram Cabul no domingo passado, culminando uma ofensiva iniciada em maio, quando começou a retirada das forças militares norte-americanas e da NATO.

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista (1996-2001), que acolhia no seu território o líder da Al-Qaida, Osama bin Laden, principal responsável pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

A tomada da capital põe fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos seus aliados na NATO, incluindo Portugal.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome